Novo endereço do nosso site

Novo endereço do nosso site
Feminismo Diabolico

sábado, 1 de junho de 2013

Pornografia, sexo e prostituição: a hipocrisia e falta de coerência feministas



Pornografia, sexo e prostituição: a hipocrisia e falta de coerência feministas



                                                                     “Deixei de me depilar pelo bem das mulheres. Nossa, sou demais”.
Antes de mais nada que fique avisado que achamos sexo uma coisa boa. Depois disso que sabemos as diferenças entre pornografia, sexo e prostituição. O que queremos falar é sobre a hipocrisia e falta de coerências feministas em relação a estes assuntos.
Embora as feministas se afirmem como “mulheres super poderosas, modernas, intelectuais e tudo o mais” no quesito sexo e assuntos mais picantes (como uma forma de propaganda libertária que quer chocar o sistema) além de outros assuntos, podemos perceber que grande parte das feministas ou simpatizantes do feminismo nem sabe porque defende o feminismo ou não sabe o que as feministas gurus querem ou defendem. Lavagem cerebral coletiva em massa. Querem exemplos?
A imagem acima é um exemplo. Todas sabemos que feministas acham pelo em ovo em tudo e criam teorias absurdas pela neurose e mente abalada por anos de lavagem cerebral feminista-marxista cultural. Pois bem, o movimento que diz que “podemos fazer o que queremos dos nossos corpos” (e isto inclui se depilar, que hoje inclusive é uma escolha), é o mesmo movimento que acha que mulheres que se depilam totalmente fazem apoiam a pedofilia (?) Essas mesmas feministas acham que homem que gosta de mulher depilada é pedófilo (?) e apoia a pedofilia. Podemos achar isso na internet entre outras teorias loucas. Falamos sobre as feministas que são contra a depilação que pararam de se depilar para ser contra o patriarcado em um post antigo aqui mas este assunto veio de novo a tona. Talvez devamos  parar de escovar os dentes também, parar de usar cremes e homens, por favor, parem de fazer a barba. Assim iremos mudar o mundo. Talvez seja melhor que começemos a fazer a barba e que os homens se depilem para assim nos transformarmos em clones mal acabados um do outro. Tudo pela igualdade feminista que “vai nos libertar” bla bla bla. O movimento GLBT vai adorar.
E o sexo? Debata sobre sexo com uma feminista. Tente. Ela não vai falar que gosta de sexo, sexo é  legal e tudo mais. Ela  quer ir além para provar que pode. Ego inflado? Que nada! Ela vai querer chocar e fazer tudo o que puder para isso. Vai dizer coisas deste tipo: que pode sair nua porque nas cavernas as pessoas andavam nuas, quer mostrar que pode esfregar a periquita na cara das pessoas, vai querer fazer uma orgia na frente dos pais que devem aceitar isso como “moderno, do futuro” ou outros absurdos como discutira a vida sexual em rede nacional. E não vai querer ser julgada por isso. Feministas desconhecem a palavra intimidade. Tudo para elas é vida loka estilo BBB. Mas embora digam ser completamente livres para pensar e transar e tudo o mais as suas gurus (que comandam as feministas cegas massa de manobra) acham que fazer sexo por escolha com homem é “compactuar com a sociedade patriarcal” ou “sexo por escolha com homem é um ato de estupro”. A tradicional falta de coerência feminista soma a cegueira coletiva.
E a pornografia? Pois bem, novamente o duplo julgamento. Feministas adoram dizer ser contra a mulher objeto e a pornografia mas dizem que cada uma faz o que quer com o próprio corpo. Fora que muitas feministas adoram defender quando convém quem ganha dinheiro como objeto. Mas e as atrizes de filmes adultos ? Para feministas as atrizes são “oprimidas pelo patriarcado, forçadas e estupradas, abusadas”, etc. Procurem no Google alguma atriz ou ator deste tipo de  filme e vocês verão que muitas possuem 100 filmes ou mais feitos. Na nossa sociedade faz um bom tempo que fazemos escolhas e temos direitos de ir e vir. Porque uma pessoa com 100 filmes ou mais continua fazendo filmes deste tipo e ainda ganhando dinheiro se é oprimida/o? Provavelmente muitas delas gozem e realizem fantasias com os homens e vice-versa. Estas atrizes podem passsar longe de serem exemplos, mas dizer que elas são violentadas é exagero. No final feministas, perdem mais uma vez.
A mesma coisa server para a prostituição que sempre existiu e sempre vai existir. Feministas dizem ser contra a mulher objeto quando a prostituição é um caso da mulher ser objeto. Umas inclusive por que querem acham legal ser mulher objeto. E cade as feminista nesta hora? Outras se tornaram prostitutas por falta de escolha ou fizerem péssimas escolhas e hoje até se arrependem, caindo em uma vida de drogas e tristeza. Mas aqui também feminismo em muitos casos apoia a prostituição como “nobre e exemplar” pois adora apoiar mal exemplos. Na verdade feministas adoram a cultura do péssimo exemplo.  Aquela coisa: para atrair mais seguidoras elas usam da conversa de “sem limites, sem regras”, o que amplia a quantidade de pessoas que possam se identificar de algum modo com o feminismo, mesmo que isso seja um mal exemplo para alguém como crianças, filhos. Afinal, tudo é certo, nada é errado, relativismo moral. No final, o que são as crianças ou valores para as feministas? Palavras, nada mais.

O resultado do relativismo moral e outros absurdos feministas misturados com a propaganda-mentira de liberdade, igualdade, etc. Responsabilidade que é bom, nunca. Tudo é culpa de alguém.
Outra coisa estranha é que embora a liberdade de escolha exista para quem quer fazer péssimas escolhas (pornografia, prostitutas, drogas e tudo mais), as feministas pegam estes modelos como exemplos de “pessoas modernas, futuristas” para crianças, jovens e tudo mais.  Uma apologia a coisas estranhas que elas mesmo reclamam depois ao verem absurdos que apoiam diretamente ou indiretamente. A liberdade vira desculpa para justificar idiotices que atingem a sociedade. Enquanto bons exemplos de verdade viram quadradice, do passado opressor, de gente idiota e “boazinha”. Feministas nunca pegam um bom exemplo para defender em debates. Observem.
O ponto é que as feministas repetam as coisas sem pensar e nem ligam para a coerência. Elas miram o seu objetivo (atrair mais mulheres simpatizantes ou afins) para engrossar o coletivo, para mais mass de manobra e fazer barulho. Mas nem mesmo elas acreditam no que elas falam ou pregam.  Umas poucas tolas massa de manobra talvez acreditem mesmo que isso é “futuro” embora no mundo na mente delas neguem que o “futuro” parece estar transformando crianças em adultos cada vez mais cedo,  casos de crimes , impunidade, gravidez indesejada e caos social parecem piorar cada vez mais . No final, elas sempre culpam alguém.
Outras repetem e agem sem pensar, sendo massa de manobra barata e descartável. Outras, possuem raiva de serem mulher e gostariam de serem homens (milstantes lésbicas feministas) e irão fazer de tudo para sabotar a relação mulher x homem. Elas fazem isso por não terem poder como minoria e querem forçar uma ditadura baseadas no vitimismo.  As maiores gurus e intelectuais feminstas são deste grupo e comandam o resto que aceita cegamente por cair na propaganda de luta por” um mundo melhor”. E usam de muita propaganda como a “sociedade do  futuro”. Se alguém se opuser a elas é taxada de reaça, antiquada, ocidentalizada e tudo o mais. O engraçado é que as sociedades mais livres hoje e que permitem elas falarem com protestos muitas vezes agressivos são justamente as sociedades de cunho Ocidental, com origens judaico-cristãs conservadoras que geraram a democracia. As “perfeitas” sociedades marxistas-atéias que elas tanto querem são ditaduras quase sem nenhuma liberdade de expressão e muito repressoras. E outras sociedades possuem crenças muito diferentes da nossa sociedade Ocidental, com origens judaico-cristãs. Nestes lugares nem sempre a democracia, harmonia, protestos, frases prontas e vitimismos nunca seriam permitidos.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

ShareThis

Veja também

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...