Novo endereço do nosso site

Novo endereço do nosso site
Feminismo Diabolico

sábado, 1 de junho de 2013

Se os homens defendem o branco; nós mulheres precisamos defender o preto, porque este é o oposto e não porque é o certo.



Se os homens defendem o branco; nós mulheres precisamos defender o preto, porque este é o oposto e não porque é o certo.

Percebem aqui a verdadeira origem do feminismo? O feminismo não foi um corpo de Doutrinas que surgiu naturalmente a partir da Reflexão das feministas e por sua ânsia por justiça. O feminismo foi criado para ser a antítese ao sistema patriarcal europeu. Elas pegaram ponto por ponto a sociedade ocidental, e depois elas defenderam no feminismo o seu exato oposto: a antítese feminista. Tudo o que as feministas acreditam deriva do seguinte: Se os homens defendem o branco; nós mulheres precisamos defender o preto, porque este é o oposto e não porque é o certo. Assim, se os homens porventura defenderem a verdade e a justiça em algum aspecto, nós feministas precisamos defender a mentira e a injustiça, porque isso é ser uma antítese ao patriarcado. É por esse motivo que as autoras feministas criticam absolutamente tudo o que o Patriarcado fez. Mais claro do que estou sendo aqui, é impossivel. Se você não percebe a semelhança entre a doutrina feminista e a teoria de Hegel da Tese e da Antítese, então não há mais nada que eu possa fazer por você.

Georg Wihelm Friedrich Hegel
Filósofo Alemão
(ê Stuttgart – 1770 † Berlim – 1831)
A D I A L É T I C A D E H E G E L
Dialética s.f (Do grego dialektike (tekne), discussão, pelo latim dialectica.) 1. Arte de argumentar ou discutir. – 2. Método de raciocínio que consiste em analisar a realidade, pondo em evidência suas contradições e buscando supera-las. – 3. Desenvolvimento do pensamento por tese, antítese e síntese.
Hegel é o preconizador da dialética, com retomadas dos diálogos de Parmênides de Eléia e Heráclito de Éfeso.
A lógica da Dialética Hegeliana pode ser dividida em 3 partes:
.
- O intelecto ou a Doutrina do Ser (influência direta de Parmênides); Que é a teoria da “imutabilidade”. Que é o “ser”, existe e o “não ser”, que é o nada; e a própria identidade do ser e das coisas.
- O intelectual ou a Doutrina da Essência (influência direta de Heráclito); Que tudo se transforma, nada é eterno; (a história do rio...) e a luta dos opostos: frio, calor; vida, morte; bem, mal...
- O Especulativo ou A Doutrina do Conceito (Síntese do pensamento parmenídico e heraclítico).
Tese: É a afirmação geral sobre o ser, por exemplo: a cadeira é de madeira .Tal afirmação pode ser negada.
Antítese: Constitui a negação da tese, por exemplo "a cadeira não é feita só de madeira" ,mas produto de árvores destruídas pelo trabalho humano e pelos instrumentos utilizados pelo homem. A antítese é a primeira negação que também pode ser negada.
Síntese: Constitui a negação da negação, nela se encontram a tese e antítese repensadas, no caso reformuladas: a cadeira é produto do trabalho humano com o auxilio de instrumentos. A síntese constitui uma nova tese a ser desenvolvida. Esta em constante movimento, não é estanque em momento nenhum.

HEGEL concebe o processo racional como um processo dialético no qual a contradição não é considerada como "ilógica", "paradoxal", mas como o verdadeiro motor do pensamento. O pensamento não é estático, mas procede por contradições superadas, da tese (afirmação) à antítese (negação) e daí à síntese (conciliação). Uma proposição (tese) não existe sem oposição a outra proposição (antítese). A primeira será modificada nesse processo de oposição e surgirá uma nova. A antítese está contida na própria tese que é, por isso, contraditória. A conciliação existente na síntese é provisória na medida em que ela própria se transforma numa nova tese.

Hegel chega ao real, ao concreto, partindo do abstrato: a razão domina o mundo e tem por função a unificação, a conciliação, a manutenção da ordem do todo. Essa razão é dialética, pois procede por unidade e oposição dos contrários. Aqui Hegel assim retoma Heráclito.

Hegel refere-se muitas vezes em espírito, não como algo transcendental e nem religioso, e sim espírito no sentido de conhecimento, cogito, inteligência.
Para o senso comum, a oposição entre verdadeiro e falso é algo de fixo; habitualmente ele (senso comum) espera que se aprove ou se rejeite em bloco um sistema filosófico existente; e, numa explicação sobre tal sistema, ele só admite uma ou outra dessas atitudes.
“A dialética é também uma teoria engajada. Ao contrário da metafísica, é questionadora, contestadora. Exige constantemente o reexame da teoria e a crítica da prática. Não existe nenhum critério de relevância (nem científico, social, teórico, nem prático) que possa determinar que um ponto de vista é relativamente mais válido que outro. O professor pensador de sua práxis, deverá manter uma crítica e uma autocrítica constante, uma dúvida levada à suspeita, e a humildade de que fala PAULO FREIRE, para reconhecer cotidianamente as limitações do pensamento e da teoria. Concluindo, a dialética opõe-se ao dogmatismo, ao reducionismo, portanto, é sempre aberta, inacabada, superando-se constantemente”.
Fontes:

Observação: Percebem aqui a verdadeira origem do feminismo? O feminismo não foi um corpo de Doutrinas que surgiu naturalmente a partir da Reflexão das feministas e por sua ânsia por justiça. O feminismo foi criado para ser a antítese ao sistema patriarcal europeu. Elas pegaram ponto por ponto a sociedade ocidental, e depois elas defenderam no feminismo o seu exato oposto: a antítese feminista. Tudo o que as feministas acreditam deriva do seguinte: Se os homens defendem o branco; nós mulheres precisamos defender o preto, porque este é o oposto e não porque é o certo. Assim, se os homens porventura defenderem a verdade e a justiça em algum aspecto, nós feministas precisamos defender a mentira e a injustiça, porque isso é ser uma antítese ao patriarcado. É por esse motivo que as autoras feministas criticam absolutamente tudo o que o Patriarcado fez. Mais claro do que estou sendo aqui, é impossivel. Se você não percebe a semelhança entre a doutrina feminista e a teoria de Hegel da Tese e da Antítese, então não há mais nada que eu possa fazer por você.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

ShareThis

Veja também

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...