Novo endereço do nosso site

Novo endereço do nosso site
Feminismo Diabolico

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

O verdadeiro objetivo da Comissão de Diversidade Sexual da OAB

A famigerada Ordem dos Advogados do Brasil - OAB está promovendo em suas diversas seccionais as chamadas Comissões de Diversidade Sexual. É de autoria dessa nefasta comissão o Projeto de Lei da Marta Suplicy que visa legalizar a pedofilia e proibir, punindo com penas de prisão, quem defender os principios religiosos bíblicos da União entre um homem e uma mulher.
Mas é de se perguntar: Por que os advogados da OAB estão promovendo essa putaria toda e a destruição das familias? A resposta para essa pergunta é muito simples: Dinheiro. Ao contrário dos médicos, que ganham a vida ajudando as pessoas a sobreviverem, os advogados mais se assemelham a abutres ou donos de funerária: eles só ganham dinheiro com a desgraça dos outros. Quantas centenas de bilhões de reais os divórcios já renderam aos advogados da OAB desde que a Lei de Divórcios foi aprovada nos anos 70? Os divórcios, separações, querelas sobre custódia dos filhos foi uma mina de ouro incomparável para os membros da OAB. Quanto mais a população se meter em encrencas, quanto mais divórcios, separações, houverem, mais dinheiro os abutres da OAB vão ganhar. É só por isso que os advogados apoiam o casamento gay. Eles sabem que 99% dos casamentos gays vão terminar em divórcios e separações, porque os gays são promíscuos por natureza e jamais se contentam com um unico parceiro. O casamento gay é a galinha dos ovos de ouro da OAB, a armadilha que os advogados golpistas daquela famigerada entidade estão fazendo os gays caírem.
Por que vocês acham que todas as seccionais da OAB possuem uma Comissão de Diversidade Sexual? Por que vocês acham que a OAB quer aprovar o Estatuto da Diversidade Sexual, que vai legalizar a pedofilia, a zoofilia e vai criminalizar a crítica ao homossexualismo? Ora, com mais essas putarias acontecendo, vai significar mais dinheiro no bolso dos advogados picaretas da OAB, já que um estatuto daqueles vai permitir que todo mundo processe todo mundo.
Eu sei, porque eu sou formado em Direito; mas não exerço essa desprezível profissão porque não aceito as imoralidades inerentes a esse oficio. Me recordo que em uma aula de Direito Processual Civil, o meu professor disse para a sala que nós deveriamos ir em um restaurante, pedir um prato de comida e depois nos recusar a pagar a conta. Se o dono do restaurante mandasse nos prender, nós deveriamos apresentar na delegacia um Habeas Corpus que previamente haveriamos de levar no bolso e que os obrigaria a nos libertar na hora. E no processo que porventura fosse feito contra nós, deveríamos alegar que foi um "furto famérico", que é um furto por necessidade, um furto que ocorre porque o ladrão estava com fome e, por isso, não é passível de punição. Eu levantei a mão e perguntei: Mas e o restaurante que forneceu a refeição, ele não vai receber nada pela refeição que nós comermos de graça? O professor respondeu: Claro que não, a idéia desse exercício é justamente para vocês aprenderem o Habeas Corpus, o furto famérico. Então eu respondi a ele: Mas isso é errado professor, talvez, manipulando o sistema nós consigamos não sermos punidos; mas isso é moralmente errado e não devemos fazer isso, porque nós estariamos roubando o restaurante. Então o meu professor respondeu que nenhum advogado deve seguir a moralidade; mas sim, deve fazer todo tipo de trapaça e truque sujo para extorquir seus clientes. Então ele citou um caso do começo da carreira dele. Um advogado idoso e já conceituado na cidade havia enviado o filho para estudar Direito na Capital. Depois de formado, o rapaz foi trabalhar no escritório de advocacia do pai e pegou uma causa que se arrastava há mais de 17 anos no tribunal, sempre com recursos, intimações, querelas etc, etc. O rapaz pegou a causa, trabalhou nela e em menos de 30 dias conseguiu o ganho de causa para o cliente. Orgulhoso de si mesmo ele foi mostrar ao pai o sucesso dele: Olha só pai, essa causa que estava aqui no seu escritório há dezessete anos sem ser solucionada, eu peguei ela e em menos de 30 dias solucionei o caso e dei ganho de causa para o nosso cliente. O pai olhou para o moço e balançou a cabeça em sinal de reprovação: tsc, tsc, e respondeu: Você é um tolo meu filho. Essa causa foi quem pagou a sua faculdade. A arte de ser um bom advogado não é solucionar rapidamente os problemas dos clientes; mas sim enrolá-los por décadas, tirando deles a maior quantidade possível de dinheiro.
Ai está senhores, o meu professor de Direito Processual Civil nos contou essa pequena anedota na faculdade, para nos ensinar a enrolarmos os nossos futuros clientes para extorquir deles a maior quantidade possível de dinheiro, pela maior quantidade possível de tempo. Eu peguei um tal nojo e repugnância das profissões jurídicas, que desse dia em diante eu decidi que eu mesmo jamais iria me tornar um advogado. Sou funcionário publico atualmente e não pretendo jamais entrar nessa famigerada OAB, que para mim é uma entidade totalmente desprezível.
Agora eu pergunto para os gays: Vocês acham mesmo vantajoso aceitar esse presente de grego da OAB, que é o casamento gay? Agora, com o casamento gay, os homossexuais vão entrar na mesma fria e na mesma enrascada que os heteros: a indústria da pensão alimenticia, partilhas de bens em divórcios, e dos honorários advocaticios. Vão ter que ceder uma boa parte de suas rendas para pagar honorários de advogados, pensões alimenticias e mil e uma outras putarias de roubo e pilhagem que a OAB inventou. Ou vocês achavam mesmo que aqueles advogados picaretas apoiavam essas putarias todas só porque eles acham sagrado o direito à queimação de rosca?

Nenhum comentário :

Postar um comentário

ShareThis

Veja também

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...