Novo endereço do nosso site

Novo endereço do nosso site
Feminismo Diabolico

sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

A Queda do Feminismo


Por que os psicanalistas não acreditam na castidade?




Muitos psicanalistas não creem na possibilidade de uma vida casta. E isso se deve às teses de seu pai fundador, Sigmond Freud; para quem a pregação cristã sobre a castidade, seja no matrimônio, seja no celibato, não passava de uma espécie de armadura colocada sobre o ser humano. Em seus escritos, Freud considera o homem um animal defeituoso, dominado por uma pulsão que o leva à vida: o eros. O homem, portanto, deseja fazer sexo, ter prazer. Não obstante, há uma estrutura no mundo que, segundo Sigmond Freud, o oprime, impedindo-o de realizar todos os seus desejos. Essas estruturas, por sua vez, seriam apenas uma superfície, uma crosta artificial, cujo intuito não poderia ser outro senão mascarar as reais inclinações do gênero humano. Foi baseado nessa argumentação que Freud chegou a ensinar aos seus alunos que se o homem fosse colocado numa prisão com outros malfeitores, tarados sexuais e pervertidos, em pouco tempo, todos estariam entregues ao próprio extinto, fossem eles padres, advogados, médicos, juízes, etc.
Essa afirmação de Sigmond Freud, não obstante, já foi bastante refutada nos últimos decênios, inclusive por um de seus alunos mais famosos: Viktor Frankl[1]. Victor Frankl padeceu os horrores do regime nazista, nos campos de concentração da Áustria, onde foi mantido por quase três anos. Em meio àquela tragédia, marcada por um sentimento cortante de terror e medo, o médico psiquiatra viveu na pele o que seu mestre, Freud, havia apenas descrito na teoria: a fome, a tortura, o desespero e a dor. Mas para frustração da psicanálise freudiana, Frankl descobriu que quando os indivíduos daquele ambiente tinham em que se agarrar, surgia-lhes uma faísca de esperança, que os mantinha vivos e mais saudáveis, ao passo que aqueles que já não viam mais sentido algum em sua existência entregavam-se facilmente à morte. Dessa experiência nasceu o famoso livro "Man's search for meaning", no qual Frankl discorre sobre a busca do homem por um sentido na vida.
Mas antes que Viktor Frankl fizesse essa constatação, já havia na teologia católica quem a tivesse feito. Santa Teresa d'Ávila, por exemplo, no seu livro Castelo interior, faz uma analogia muito interessante com relação à alma humana. Ela compara nossa alma a um castelo, dizendo que se homem quiser realmente se conhecer, ele deve adentrar aos quartos mais íntimos dessa morada. E a porta de entrada para essa morada é a oração. No século XX, uma filósofa chamada Edith Stein - ou Teresa Benedita da Cruz, como viria a se chamar após entrar para o carmelo - começou a se interrogar perante os escritos de Teresa d'Ávila se era possível que os psicólogos não tivessem acesso à própria alma[2]. Não estaria Santa Teresa querendo impor uma visão exclusivamente espiritual sobre um assunto tão vasto? Era o que se perguntava Edith Stein a respeito daqueles escritos, e qual não foi sua surpresa quando, após muito refletir, deu-se por vencida e admitiu: sim, somente pela oração se tem acesso à nossa alma. A alma humana, no dizer de Santa Teresa d'Ávila, é o jardim das delícias de Deus. Deus habita dentro de nós. Por outro lado, o pecado nos arrancou de nós mesmos, fazendo com que saíssemos de nossa alma, isto é, do castelo interior. É por isso que Santa Teresa diz que a maioria das pessoas encontra-se fora do castelo, fora de sua alma, vivendo aos seus arredores. A oração, porém, consiste numa relação amorosa com Deus, em que eu me desfaço totalmente de minhas máscaras. Quem quiser entrar no castelo, portanto, precisa entregar-se à oração. Essa é a única porta de entrada.
A psicologia de Freud só foi capaz de atingir o foço desse castelo. Ele, sim, atingiu apenas a superficialidade da existência humana. Mas é preciso ir além. Desse modo, insiste Santa Teresa, se se quer atingir a última morada, é necessário, pois, admitir também nossas própria fraquezas. Quando entramos na primeira morada entram conosco nossos animais, sabandijas - para usar a linguagem de Teresa -, que ficam nos mordiscando, impedindo-nos de enxergar a beleza do castelo. Isso explica o porquê de tantos católicos, após algumas tentativas de verdadeira conversação, desistirem no meio do caminho, dando razão às teorias de Freud. Temos de ser mais generosos. É preciso que estejamos dispostos a dar o próximo passo: ir para a outra morada. E é nesta relação de amor com Deus que encontramos nossa alma e, por conseguinte, a castidade. Trata-se de uma entrega. Por isso, deve-se fugir da atitude da mulher de Jó que, olhando para trás, à procura dos bens que deixara, converte-se em estátua de sal. Não olhemos para trás. Olhemos para Cristo. Ame a Deus e você encontrará a castidade.
Referências
Olavo de Carvalho, A mensagem de Viktor Frankl, in Bravo, novembro de 1997
Edith Stein (ou Teresa Benedita da Cruz) foi uma filósofa e fenomenóloga judia do século XX, cujo trabalho foi influenciado por Edmund Husserl, de quem foi aluna e assistente. Após sua conversação, decidiu entrar para o carmelo, onde viveria até a trágica deportação para o campo de concentração de Auschwitz, vindo a morrer na câmara de gás. O Papa João Paulo II a canonizou em 1998, sob os auspícios de que seu exemplo pudesse nos inspirar sentimentos de verdadeira comunhão com Deus, sobretudo no instante da dor.

Fonte: http://padrepauloricardo.org/episodios/por-que-os-psicanalistas-nao-acreditam-em-castidade

Meus comentários: Existe uma coisa a respeito de Sigmundo Freud que explica todas essas opiniões dele: Ele era um JUDEU. Na verdade, Padre Paulo Ricardo, os Psicanalistas acreditam sim na Castidade. Mas eles dizem que a castidade é impossível, porque eles MENTEM. O Padre Paulo Ricardo é extremamente inteligente; mas o Padre Paulo também é um homem bom, correto, santo e justo e ele não compreende como funciona a mente de um depravado mentiroso. Mas eu compreendo muito bem como funciona a mente de Freud, de Marx, da Lola. Nós já vimos aqui que TODAS as líderes feministas são mulheres JUDIAS. Karl Marx era JUDEU. Eu não lhe diria que existe uma correlação entre os judeus e essas doutrinas degeneradoras, porque o antissemitismo é proibido no Brasil. E é justamente por causa disso que eu não posso recomendar a leitura do livro "Os Protocolos dos Sábios do Sião"  que é um livro PROIBIDO no Brasil e, portanto, vocês NÃO DEVEM LÊ-LO E NEM PROCURÁ-LO. Eu poderia lhe dizer que Freud sabia que suas teorias eram falsas e mentirosas; mas para quem não leu os Protocolos dos Sábios do Sião é impossível compreender isso que estou dizendo. Eu prefiria que no Brasil houvesse uma verdaderia liberdade de manifestação do pensamento, pois assim, os Protocolos não seriam proibidos. Mas, como todos sabemos, os direitos inscritos na Constituição são mera ficção e a liberdade de manifestação do pensamento na verdade não existe no Brasil, já que quem lê ou vende os Protocolos dos Sábios do Sião, vai preso.

TODAS as líderes feministas são mulheres JUDIAS. Coincidência?

A Feminista Lola Aronovich é uma mulher JUDIA. Outra Coincidência?





Legendetes nuas


http://amamosmulherpelada.blogspot.com.br/2014/07/juju-do-panico-nua-na-playboy.html

40 COISAS QUE UM HOMEM DEVE SABER SOBRE A VIDA, AMOR E MULHERES



40 COISAS QUE UM HOMEM DEVE SABER SOBRE A VIDA, AMOR E MULHERES

Homens espertos entendem que devem estar preparados para a vida, o amor e as mulheres. Essas 40 pepitas de sabedoria proverão a você as informações necessárias que precisará para viver e aproveitar sua vida em sua plenitude. Compartilhe essas reflexões vitais com cada homem que conhecer. Eles serão eternamente gratos por isso!

1. Más decisões podem arruinar a vida de um homem. Você deve evitar arrependimentos graves pensando nas coisas antes de agir.
2. Uma compreensão fundamental a respeito da psique feminina é uma obrigação a todos os homens – estas informações podem poupa-lo de ter sofrimento emocional e dor.
3. Infelizmente, o mundo está cheio de mulheres que desejam pisar em seus sonhos e arruinar a sua vida. Portanto, escolha sua companheira sabiamente.
4. Não importa o quanto isso possa parecer, no fim você irá terminar sempre colhendo o que plantou!
5. Aprenda a diferença entra amor verdadeiro e pura luxúria o mais cedo possível em sua vida. Isso será crucial para evitar que seja pego em armadilhas sexuais.
6. Se uma mulher for embora de sua vida, deixe-a ir!
7. Vivemos em uma época diferente em relação à economia, globalização, politica e sociedade. Como as coisas hoje não são como há dez ou vinte anos atrás. Não viva sua vida baseado em informações de ontem. Conheça sua historia, mas viva no futuro.
8. Muitas mulheres nutrem ódio e maldade em relação a todo o gênero masculino. Elas procuram sua vingança submetendo homens bons através de divórcios, violência domestica, família e disputas judiciais pela guarda de crianças. Aprenda como reconhecer essas mulheres para que não seja o próximo alvo de sua habilidosa e implacável fúria.
9. Seja um cavalheiro na vitória e gracioso na derrota.
10. Não permita que pessoas negativas tirem o potencial de sua vida. Elas prosperam à medida que atrofiam o crescimento dos outros com seu pessimismo fatalista. Você tem muito pelo que viver, fique longe de toda essa negatividade.
11. Aprenda como ouvir e conhecer a voz de Deus. Ele é um grande conversador e sua sabedoria surpreenderá você.
12. É melhor terminar um compromisso, do que ficar dividido entre outra mulher.
13. Seja rápido ao ouvir e fale devagar; saiba quando deve falar e quando ouvir. Obedeça essas regras e irá longe na vida.
14. É a lei da natureza; o alfa sempre fica com a garota. Não choramingue por isso. Levante-se, prepare-se para ser um homem e torne-se um macho alfa.
15. Nunca faça amizade com uma mulher zangada, nunca!
16. Torne-se intimamente familiarizado com o primeiro e maior mandamento de todos os mandamentos.
17. Toda a mulher que alega acreditar em Deus não está dizendo a verdade! Saiba como perceber a diferença ou irá pagar caro.
18. Sexo não é um esporte e mulheres não são troféus. Trate o sexo oposto com respeito e honra – sua vida será abençoada.
19. Se uma mulher mentir para você uma vez desonra a si mesma, se ela mentir duas desonra a você. Uma terceira e você estará faminto para ser castigado.
20. Se você odeia o seu emprego, encontre outro e então se demita.
21. Aprenda como lidar com as derrotas, falhas e perdas com vivacidade.
22. Camisinhas não significam sexo seguro. Nunca foram e nunca serão.
23. Não diga a uma mulher que a ama, a menos que realmente seja verdade.
24. Aprenda como rezar para ter resultados.
25. Saiba como responder propriamente quando as pessoas tratarem-no mal.
26. Nunca ponha sua confiança em uma mulher não confiável, nunca!
27. Você controla seu destino. Realize-o com superior planejamento, execução e entusiasmo.
28. Você não pode mudar as pessoas, então pare de tentar!
29. Se você está infeliz com a sua vida, não reclame, mude isso!
30. Se você não sabe os fundamentos para adquirir e manter a fortuna – pare o que estiver fazendo e vá aprende-los agora.
31. Saiba como responder quando as pessoas tentarem coloca-lo para baixo.
32. O pecado é agradável por uma época, mas quando ela termina, saiba que é certo que você pagará caro.
33. Certo ou errado, verdadeiro ou falso, bom ou mal, as pessoas sempre terão opiniões sobre você. Não se deixe guiar por suas palavras.
34. Todos os homens de verdade sabem desapegar e livrar-se. É um claro sinal de que alcançaram a verdadeira masculinidade.
35. Saiba a arte da comunicação, avançar e retroceder. Isso será uma matéria prima importante no amor e no casamento.
36. Não faça joguinhos com as emoções e sentimentos femininos. Você pode acabar danificando a mente dela pela vida inteira e outro homem pode acabar pagando caro por suas ações.
37. Mulheres que juram e usam palavras para suavizar cônjuges contenciosos, não saia com elas, não case com elas, apenas vá embora.
38. Quando os tempos forem difíceis e a pressão estiver insuportável, lembre-se da verdade irrefutável, nenhuma tempestade dura para sempre.
39. Há certas coisas na vida que você não poderá mudar aceite a verdade e pare de tentar muda-las!
40. Se você não acredita em Deus, no céu ou inferno, é melhor estar certo!

fonte: http://www.gillistriplett.com/manhood/articles/40things.html

Obs: este artigo foi escrito por um pastor americano. Mesmo que alguns conselhos sejam mais voltados as pessoas que seguem uma religião cristã, boa parte do que é dito aí deve ser observado por todos. São dicas valiosas.

Gabriela Spanic NUA - Novela A Usurpadora


















quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

A Cura Gay através do Poder do Subconsciente

A Cura Gay não é nenhum mistério e não precisa ser feita por especialistas. Se você é gay e não quer mais ser gay o caminho é bem simples e fácil: Basta você usar a autosugestão e o infinito Poder do seu Subconsciente fará o resto. Você pode reprogramar o seu cérebro para acreditar e fazer qualquer coisa que você quiser. O único problema é que se você deixar de ser gay, provavelmente você terá que se relacionar com uma mulher feminista e essa perspectiva, amigo, não é nada animadora. Portanto, tenha certeza de que você realmente não quer mais ser gay e, depois disso, basta você usar a autosugestão ensinada neste livro do Dr. Joseph Murphy que você deixará de ser gay rapidinho. E o melhor é que você pode usar esse método da autosugestão do subsconsciente para conseguir qualquer coisa que você queira. Confie em mim. A técnica é simples e FUNCIONA!! Você pode curar qualquer doença ou qualquer condição física ou psíquica que você tenha. Fique aberto para o infinito Poder do seu Subconsciente. Mas lembre-se: qualquer coisa que você gravar no seu subconsciente, ele moverá céus e terra para tornar realidade. Se você foi programado pelo movimento gay para acreditar que você nasceu homossexual, a única solução é desprogramar essa idéia do seu subconsciente e implantar uma nova idéia no lugar dela. Em menos de 30 dias você estará 100% curado do homossexualismo. Eu garanto. E também o caminho inverso pode ser feito. Se você é hetero e quer virar gay, basta usar o Poder do seu subconsciente, que você consegue.

Transex Liah nos fala sobre O preconceito

Vejam bem que essa travesti é inteligente, embora ela esteja equivocada na reflexão dela sobre Deus, porque ela raciocinou que se foi Deus quem criou as pessoas, não faria sentido que Deus criasse pessoas más, só para depois mandá-las para o inferno. Não é culpa dela raciocinar assim, isso é apenas um equívoco dela porque ela de fato nunca estudou a religião. Ou seja, ela não chegou a essa conclusão porque ela é má, ou por que ela se esqueceu de Hitler, Stálin, Pol Pot e Mao Tsé Tung, que, segundo a "lógica" dela, também seriam pessoas boazinhas só porque foram criadas por Deus. Mas todos sabemos que nem Hitler, nem Stálin eram flor que se cheirasse e, portanto, o raciocínio dessa travesti, de que todas as pessoas são boas só porque foram criadas por Deus, é FALSO. Mas esse equívoco não desmerece de nenhum modo a inteligência dela, que elaborou um raciocínio relativamente complexo, para ela. Isso sem contar que ela é uma gracinha também.



Mas o que eu realmente gostei nesse video (além do engenhoso decote dela), foi a maneira como ela encara o preconceito. Essa travesti encara o preconceito da forma correta: ela simplesmente aceita que ele existe e nem liga para ele. Bem diferente do resto da asquerosa militância gay da gaystapo que quer impor pela força, pela truculência, pela coação das leis que os outros os aceitem.
Ou seja, a transex Liah está errada na análise que ela faz a respeito da religião. Mas, ao mesmo tempo, ela está CERTA na reação dela ao preconceito contra ela. Errada e certa ao mesmo tempo. Homem e mulher ao mesmo tempo. Tenho que tomar cuidado para não me apaixonar por essa travesti, porque o meu fraco são as contradições. Eu AMO as contradições e as travestis são a quintessência da contradição. E essa transex Liah é tão deliciosamente contraditória. E que peitões que ela tem. E o rostinho de anjinha sapeca dela? Eu queria dar uns beijos nela.

Curso GRÁTIS do Padre Paulo Ricardo: Teodicéia - Uma resposta ao mal

Teodicéia: Uma resposta ao mal

Teodiceia   main 5
Quando os Iluministas fizeram acusações contra Deus, relacionadas ao problema do mal no mundo e também o da liberdade humana, os filósofos cristãos começaram a tecer de defesa de Deus frente a essas acusações, criando, assim, o termo Teodiceia. É evidente que Deus não precisa de defesa, mas a teologia que surgiu a partir dessas acusações se mostrou bastante útil e complexa.
O Catecismo da Igreja Católica formula e responde essa pergunta crucial:
"Mas por que Deus não criou um mundo tão perfeito que nele não possa existir mal algum? Segundo seu poder infinito, Deus sempre poderia criar algo melhor, Todavia, em sua sabedoria e bondade infinitas, Deus quis livremente criar um mundo em estado de caminhada para sua perfeição última. Este devir permite, no desígnio de Deus, juntamente com o aparecimento de determinados seres, também o desaparecimento de outros, juntamente com o mais perfeito, também o menos imperfeito, juntamente com as construções da natureza, também destruições. Juntamente com o bem físico existe, portanto, o mal físico, enquanto a criação não houver atingido a sua perfeição." (CIC 310)
Uma outra questão estudada pela Teodiceia refere-se as provas da existência de Deus. O Catecismo pode ser o ponto de partida para esta reflexão quando diz:
Criado à imagem de Deus, chamado a conhecer a amar a Deus, o homem que procura a Deus descobre certas vias para aceder ao conhecimento de Deus. Chamamo-las também de provas da existência de Deus, não no sentido das provas que as ciências naturais buscam, mas no sentido de argumentos convergentes e convincentes que permitem chegar a verdadeiras certezas. Estas vias para chegar a Deus têm como ponto de partida a criação: o mundo material e a pessoa humana. (CIC 31)
Estas vias são: o mundo e o homem. Por elas, o homem pode aceder ao conhecimento de uma existência de uma realidade que é a causa primeira e o fim último de tudo, e que todos chamam Deus (CIC 34) O estudo dessas vias de acesso ao conhecimento de Deus, bem como dos mencionados argumentos convergentes e convincentes será o principal objetivo desse curso.
Todavia, mais importante que estudar a teoria acerca desse assunto tão complexo é saber que se Deus existe realmente - e Ele existe - isso deve mudar completamente a forma de o homem viver sua própria existência nesse mundo.

AulaTítuloDuraçãoData
1Introdução ao curso de Teodicéia01:01:29Fevereiro 23, 2011
2Uma resposta a Kant e os limites da investigação sobre Deus41:21Fevereiro 25, 2011
3O homem que naturalmente busca a Deus44:11Março 05, 2011
4O homem como tarefa insolúvel e os meios éticos para a sua realização36:34Março 18, 2011
5As experiências originárias como vias de acesso à Felicidade Eterna01:00:07Março 22, 2011
6Experiência do sofrimento e assertiva do pensamento57:05Março 27, 2011
7O que significa ter um Deus?37:40Abril 13, 2011
8O problema da pergunta23:06Abril 18, 2011
9Os limites da razão humana na teologia de Santo Tomás de Aquino41:23Abril 23, 2011
10O homem é capaz de Deus29:35Abril 27, 2011
11O falar analógico35:38Maio 08, 2011
12A origem das coisas e a resposta do ateu50:07Maio 15, 2011
13O sentido das coisas25:47Maio 24, 2011
14Sentido das demonstrações42:57Maio 30, 2011
15As perguntas sobre a existência de Deus35:21Junho 01, 2011
16Argumento Ontológico35:21Junho 02, 2011
17Argumento Noológico21:25Junho 12, 2011
18Argumento Cosmológico59:19Junho 27, 2011
19Argumento Teleológico01:09:39Julho 06, 2011
20Argumento Moral50:16Julho 13, 2011
21Fundamento das refutações47:23Julho 18, 2011
22Fundamento das refutações - Parte 257:17Julho 25, 2011
23Exemplo de ateísmo 53:45Agosto 30, 2011
24Exemplos de ateísmo - Parte 231:43Agosto 04, 2011
25Exemplos de ateísmo - Albert Camus36:06Agosto 24, 2011
26Exemplos de ateísmo - Jean Paul Sartre54:57Setembro 12, 2011
Fonte:  http://padrepauloricardo.org/cursos/teodiceia-uma-resposta-ao-mal

Padre Canta Paródia da Música Show Das Poderosas da Anitta.


Marco Feliciano afirma que no Brasil, preconceito contra gays não é maior do que com “gordinhos, negros e religiosos”

Marco Feliciano afirma que no Brasil, preconceito contra gays não é maior do que com “gordinhos, negros e religiosos”
Publicado por Tiago Chagas em 29 de janeiro de 2014

Receba Notícias Gospel em seu email gratuitamente! Insira seu email:

ou no facebook

O pastor Marco Feliciano (PSC-SP) afirmou que no Brasil, os homossexuais não sofrem mais preconceito do que pessoas obesas, negras ou religiosos, por exemplo. A polêmica declaração acontece no mesmo momento em que o principal ativista gay do país, deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) é alvo de intensas críticas por seu discurso precipitado e acusatório no caso Kaique, adolescente homossexual que se suicidou em São Paulo.
Para Feliciano, até o início de seu mandato à frente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM), houve exagero na forma como a homofobia era tratada politicamente, e afirma que o preconceito contra homossexuais não é maior do que o “que religiosos, negros, gordinhos, magrinhos etc” sofrem todos os dias.
“Em 2012 houve no Brasil 50 mil assassinatos. Destes 270 foram assassinatos ligados a crimes sexuais com homossexuais. Destes 270, 70% foram crimes cometidos por parceiros homossexuais, ou seja, crimes passionais. Não há como alardearem um genocídio gay. Lembro-me que antes de assumir a CDHM os deputados desta comissão diziam que recebiam milhares de ligações por dia de denúncias de crimes homofóbicos. Assumi em março de 2013. De janeiro até dezembro, não houve uma única denúncia na CDHM. Alguém pode dizer que era porque eu estava ali, mas só fui pra lá em março, ou seja, 90 dias passaram sem uma única ligação, quando diziam que eram milhares por dia. Alguém estava faltando com a verdade”, revelou o deputado, numa entrevista concedida ao jornal A Voz, publicação regional do interior de São Paulo.
O pastor voltou a afirmar que a homossexualidade é “um fenômeno comportamental”, e que por isso, deve ser estudado por especialistas: “Penso que o assunto não está esgotado, psicólogos precisam se dobrar sobre este assunto e estudar mais. Sobre a união homoafetiva, ela existe e ponto. Daí transformá-la em casamento sou contra, afinal a Constituição Federal no Art. 226 parágrafo 13, diz que uma união estável só pode ser transformada em casamento se for a união entre um homem e uma mulher. Como parlamentar, defendo a Constituição”, ponderou.
Brasília, eleições e polêmicas
Segundo Marco Feliciano, o cargo de deputado federal exige que o político assuma uma postura e trabalhe por ela durante todo o tempo de seu mandato: “Não dá pra ser clínico geral em Brasília, é preciso levantar uma bandeira e lutar por ela. A minha bandeira sempre foi a família e as liberdades de expressão e de culto [...] Fiquei conhecido pela esquerda da casa como ‘pedra no sapato’, deputado conservador e fundamentalista religioso”, disse o pastor.
Nas eleições deste ano, Feliciano praticamente descarta candidatar-se ao Planalto: “Se meu partido, o PSC, me desse à legenda para presidente eu não temeria. Todavia me sinto despreparado hoje, mas num futuro próximo tudo pode acontecer. O IBGE diz que dentro de 10 anos o Brasil, que hoje tem 40 milhões de evangélicos, terá a metade de sua população evangélica. Se esta profecia se cumprir, hoje sou o evangélico político mais popular do Brasil”, afirmou.
Suas declarações polêmicas veiculadas à exaustão na mídia em geral são um ponto no passado, segundo o pastor: “A mídia divulgou vídeos que tem mais de 15 anos como se fossem atuais. Vídeos de quando havia embates entre católicos e evangélicos, por exemplo. Hoje trabalho ao lado de padres em uma luta onde mais são as coisas que nos unem, do que as que nos separam. Em 15 anos um homem amadurece e revê muito do que fez”, finalizou.

Fonte: http://noticias.gospelmais.com.br/feliciano-preconceito-gays-maior-gordinhos-negros-64669.html

Como convencer uma mulher que ela está errada

‪#‎TRIPA‬: AS MARCAS DE BATOM NO BANHEIRO - (muito boa para amigos, professores e pais) Numa escola pública no centro de Belo Horizonte, estava ocorrendo uma situação inusitada: meninas de 15,16,17 anos que usavam batom, todos os dias beijavam o espelho para remover o excesso de batom. O diretor andava bastante aborrecido, porque o zelador tinha um trabalho enorme para limpar o espelho ao final do dia. Mas, como sempre, na tarde seguinte, lá estavam as mesmas marcas de batom. Um dia o diretor juntou o bando de meninas no banheiro e explicou pacientemente que era muito complicado limpar o espelho com todas aquelas marcas que elas faziam. Fez uma palestra de uma hora. No dia seguinte as marcas de batom no banheiro reapareceram. No outro dia, o diretor juntou o bando de meninas e o zelador no banheiro, e pediu ao zelador para demonstrar a dificuldade do trabalho. O zelador imediatamente pegou um pano, molhou no vaso sanitário e passou no espelho. Nunca mais apareceram marcas no espelho! Moral da história: Há professores e há educadores... Comunicar é sempre um desafio! Às vezes, precisamos usar métodos diferentes para alcançar certos resultados. Por quê? Porque a bondade que nunca repreende não é bondade: é passividade. Porque a paciência que nunca se esgota não é paciência: é subserviência. Porque a serenidade que nunca se desmancha não é serenidade: é indiferença. Porque a tolerância que nunca replica não é tolerância: é imbecilidade.






Como fazer uma Revolução Pacífica?

Esta é, na verdade, a definição de uma revolução pacífica, se é que é possível uma coisa dessas. Se, como já ouvi um deles me perguntar, o coletor de impostos ou outro funcionário público qualquer indagar:
"Mas o que devo fazer agora?", a minha resposta é: "Se de fato quiser fazer alguma coisa, então renuncie ao seu cargo". Quando o súdito negou a lealdade e o funcionário renunciou ao seu cargo, então a revolução completou-se. Mas vamos supor que há violência. Não poderíamos considerar que uma agressão à consciência também provoca um tipo de ferimento grave? Um ferimento desses provoca a perda da autêntica humanidade e da imortalidade de um homem, e ele sangra até uma morte eterna.
Posso ver esse sangue a correr, agora.
Especulei sobre a prisão do infrator, e não sobre o confisco dos seus bens - embora ambas as medidas
sirvam ao mesmo fim -, porque os que afirmam o certo e que, por isso, são os seres mais perigosos para um Estado corrupto, em geral não gastam muito do seu tempo na acumulação de propriedades. Para homens assim o Estado presta serviços relativamente pequenos e um imposto bem leve tende a ser considerado exorbitante, particularmente quando são obrigados a realizar um trabalho especial para conseguir a quantia cobrada. Se houvesse quem vivesse inteiramente sem usar o dinheiro, o próprio Estado hesitaria em exigir que ele lhe entregasse uma quantia. O homem rico, no entanto - e não pretendo estabelecer uma comparação invejosa -, é sempre um ser vendido à instituição que o enriquece. Falando em termos absolutos, quanto mais dinheiro, menos virtude; pois o dinheiro interpõe-se entre um homem e os seus objetivos e permite que ele os compre; obter alguma coisa dessa forma não é uma grande virtude. O dinheiro acalma muitas perguntas que de outra forma ele se veria pressionado a fazer; de outro lado, a única pergunta nova que o dinheiro suscita é difícil, embora supérflua: "Como gastá-lo?" Um homem assim fica, portanto, sem base para uma moralidade. As oportunidades de viver diminuem proporcionalmente ao acúmulo daquilo que se chama de "meios". A melhor coisa a ser feita em prol da cultura do seu tempo por um homem rico é realizar os planos que tinha quando ainda era pobre. Cristo respondeu aos seguidores de Herodes de acordo com a situação deles. "Mostrem-me o dinheiro dos tributos", disse ele; e um deles tirou do bolso uma moeda. Disse então Jesus Cristo: "Se vocês usam o dinheiro com a imagem de César, dinheiro que ele colocou em circulação e ao qual ele deu valor, ou seja, se vocês são homens do Estado e estão felizes de se aproveitar das vantagens do governo de César, então paguem-no por isso quando ele o exigir. Portanto, dai a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus"; Cristo não lhes disse nada sobre como distinguir um do outro; eles não queriam saber isso.
Quando converso com os mais livres dentre os meus vizinhos, percebo que, independentemente do
que digam a respeito da grandeza e da seriedade do problema e de sua preocupação com a tranqüilidade pública, no fim das contas tudo se reduz ao seguinte: eles não podem abrir mão da proteção do governo atual e temem as conseqüências que a sua rebeldia provocaria nas suas propriedades e famílias. Da minha parte, não gosto de imaginar que possa vir algum dia a depender da proteção do Estado. Mas se eu negar a autoridade do Estado quando ele apresenta a minha conta de impostos, ele logo confiscará e dissipará a minha propriedade e tratará de me hostilizar e à minha família para sempre. Essa é uma perspectiva muito dura. Isso torna impossível uma vida que seja simultaneamente honesta e confortável em aspectos exteriores. Não valeria a pena acumular propriedade; ela certamente se perderia de novo. O que se tem a fazer é arrendar alguns alqueires ou ocupar uma terra devoluta, cultivar em pequena escala e consumir logo toda a sua produção. Você tem que viver dentro de si mesmo e depender de si mesmo, sempre de mala feita e pronto para recomeçar; você não deve desenvolver muitos vínculos. Até mesmo na Turquia você pode ficar rico, se em tudo for um bom súdito do governo turco. Confúcio disse: «Se um Estado é governado pelos princípios da razão, a pobreza e a miséria são fatos acabrunhantes; se um Estado não é governado pelos princípios da razão, a riqueza e as honrarias são os fatos acabrunhantes». Não! Até que eu solicite um remoto porto sulino, que a proteção do Estado de Massachusetts me seja estendida com o fim de preservar a minha liberdade, ou até que eu me dedique apenas a construir pacificamente um patrimônio aqui no meu Estado, posso negar a minha lealdade ao governo local e negar o seu direito à minha propriedade e à minha vida. Sai mais barato, em todos os sentidos, sofrer a penalidade pela desobediência do que obedecer. Obedecer faria com que eu me sentisse diminuído.

Trecho do livro "Desobediência Civil" de Henry David Thoreau

Por que os homens ganham um pouco mais do que as mulheres?


quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Resposta para leitora Íris sobre a minha tara em travestis, a Inquisição e o machismo

Hoje uma leitora comentou a minha postagem sobre a lactação dos homens suecos e a minha tara em travestis:

Íris Briefs
19:05
 
Você deveria se desculpar por querer ficar com o travesti também, os tais atos de torturas, perseguições, fogueiras e etc., não foi culpa da igreja católica. A igreja católica apenas excomungava os hereges, quem os torturava, perseguia e queimava era o estado, afim de deixar os fiéis com medo, sabendo o estado a influência que a igreja católica tinha na época.
Íris Briefs
19:08
 
Mas fora isso cê tem toda razão de não querer namorar uma feminista :v Eu já li sobre elas e já presenciei algumas, e podes crer, nunca me senti tão próxima do inferno ( mentira, no colégio eu me sinto no inferno ). Mas tenho uma pergunta à vossa mercê, o senhorito é machista ? é tão difícil achar anti-feminista que seja realmente machista 
 
Minha resposta: Bom, não entendi bem a sua lógica; mas tudo bem, eu me desculpo com as travestis. Travestis, me desculpem por achar vocês muito gostosas. Sinto muitissimo por morrer de tesão em vocês, travestis. Agora o equilíbrio do Universo foi restaurado, Iris? Agora, sobre a Inquisição você está certíssima. É isso mesmo que você escreveu. Mas acontece que na escola e na faculdade não foi isso que me ensinaram. Eles me ensinaram que a culpa de tudo era da Igreja Católica. Mas veja como são as coisas, você mesma nos esclarece que a Igreja Católica não teve culpa nem disso. Concordo 100% com você, nesse ponto. Realmente foi isso mesmo que aconteceu na Idade Média. A Igreja Católica não teve culpa mesmo. Mas o meu ponto é que a perseguição contra as bruxas na Idade Média provavelmente deve ter sido necessária, porque as mulheres quando ficam endemoninhadas, fazem até o capeta ficar com medo delas. 

Agora sobre a sua pergunta se eu sou machista. A resposta é NÃO. Eu NÃO sou Machista. Eu acredito que todos os movimentos ideológicos que terminam com o sufixo ISMO são mentirosos e nefastos. Ex: FascISMO, ComunISMO, SocialISMO, NazISMO, IntegralISMO, MachISMO, FeminISMO. As feministas falam que o problema do Machismo está no MACHO. Mas eu digo que o problema está no ISMO. É por causa do ISMO que eu sou contra o MachISMO e sou contra o FeminISMO.
Existem outras categorias de palavras que também terminam com o sufixo ISMO, tais como palavras que designam profissões, doenças e até religiões. Não é nessa acepção que eu uso a minha regra do ISMO. A minha regra de que o ISMO é falso só é aplicada quando se refere a um movimento ideológico de massas ou de fanatismo. Portanto, ParaquedISMO não se enquadra na minha regra e nem CatolicISMO se enquadra na minha regra, porque o primeiro designa uma profissão e o segundo uma religião. Mas quando o ISMO se refere a um movimento ideológico, então é certeza de 100% de que se trata de algo nefasto e mentiroso. E é por isso que eu não sou a favor nem do MachISMO, nem do MasculinISMO, e muito menos do FeminISMO.
 

29 de janeiro - Dia da visibilidade trans







Boicotem as empresas que financiam a Ditadura Gay

Pessoal, o Instituto Ethos, uma ONG que só promove putaria no Brasil, lançou uma cartilha para ensinar as empresas a implantar uma ditadura Gay e perseguir heteros, protegendo apenas os gays. Várias empresas, entidades, órgãos do governo e até estatais patrocinaram essa cartilha. Eu fiz um banner com os nomes das empresas que estão tentando destruir as familias brasileiras através da promoção do movimento gay. Peço a vocês que divulguem a imagem abaixo onde puderem: facebook, Orkut, blogs, twitter, sites, fóruns de internet, e-mails para seus amigos e peçam para as pessoas BOICOTAREM as empresas abaixo, porque essas empresas estão financinando o movimento gay e a destruição das famílias brasileiras. Ah, mas algum esperto vai vir me dizer: mas como você é contra isso, se você mesmo admite que gosta de travestis? Uma coisa é a pessoa ser gay; outra coisa bem diferente é ser um maldito militante gay. Eu não tenho nada contra os gays; até prefiro travestis do que mulheres. Mas eu sou CONTRA o movimento gay, que quer impor pela força, pela trapaça e pela corrupção os seus pontos de vista na sociedade. Portanto, BOICOTEM todas essas empresas, mandem cartas, e-mails para essas empresas dizendo que nunca mais vão comprar produtos delas porque elas estão apoiando a Gaystapo. Divulguem isso nas suas Igrejas, escolas, locais de trabalho, murais das faculdades, escolas, sites de internet, twitter, blogues, páginas do facebook, comunidades e perfis do Orkut e onde mais vocês puderem. Vamos provocar a FALÊNCIA de todas as empresas que apoiarem esse maldito movimento GAY!!


Aqui está o link da famigerada cartilha gay acima: http://www3.ethos.org.br/cedoc/o-compromisso-das-empresas-com-os-direitos-humanos-lgbt/#.UukBLLROnIW

Renata D'Ávila do BBB NUA

Clique na foto abaixo para ver ela nua:

http://amamosmulherpelada.blogspot.com.br/2014/07/renata-davila-nua-na-playboy.html

Nós devemos combater a Lei Maria da Penha



POR QUE COMBATER A LEI MARIA DA PENHA?

Essa lei deve ser COMBATIDA E DEPOIS REVOGADA, pois ela é uma lei Feminista que só protege as mulheres e deixa os homens serem vítimas de falsas denúncias de mulheres desonestas. Além disso, as as mulheres tbm são agressoras veja: http://masculinismo.org/categoria/violen...
Mas haja o que houver uma mulher nunca será punida pela lei Maria da Penha, porque segundo essa lei MALDITA, somente os homens podem ser punidos por algo. Mesmo que seja algo que eles nunca fizeram; mas que a mulher disse que ele fez.
Mais: http://omarxismocultural.blogspot.pt/201...
Detalhes adicionais
A lei maria da penha defendeu apenas alguns homens por merito de super advogados, que conseguiram usa-la por brechas nessa lei, mas as feministas estão querendo blindar a lei pra impedir que homens usem...
Homossexuais tbm são protegidos do feminismo, não estou falando deles, estou falando de homens heteros, esses são odiados e perseguidos pelo feminismo que não luta coisa nenhuma por direitos iguais:
Feministas defendendo Elize matsunaga, dizendo que ela matou seu marido por culpa dele: http://omarxismocultural.blogspot.com.br...

COMO COMBATER A LEI MARIA DA PENHA?

Henry David Thoreau, no seu livro Desobediência Civil, nos dá ótimos conselhos sobre como desobedecer leis injustas, criadas por governos hipócritas:

Existem leis injustas; devemos submeter-nos a elas e cumpri-las, ou devemos tentar emendá-las e
obedecer a elas até à sua reforma, ou devemos transgredi-las imediatamente? Numa sociedade com um governo como o nosso, os homens em geral pensam que devem esperar até que tenham convencido a maioria a alterar essas leis. A sua opinião é de que a hipótese da resistência pode vir a ser um remédio pior do que o mal a ser combatido. Mas é precisamente o governo o culpado pela circunstância de o remédio ser de fato pior do que o mal. É o governo que faz tudo ficar pior. Por que o governo não é mais capaz e se antecipa para lutar pela reforma? Por que ele não sabe valorizar a sua sábia minoria? Por que ele chora e resiste antes de ser atacado? Por que ele não estimula a participação ativa dos cidadãos para que eles lhe mostrem as suas falhas e para conseguir um desempenho melhor do que eles lhe exigem? Por que eles lhe exigem? Por que ele sempre crucifica Jesus Cristo, e excomunga Copérnico e Lutero e qualifica Washington e Franklin de rebeldes?
Não é absurdo pensar que o único tipo de transgressão que o governo nunca previu foi a negação
deliberada e prática de sua autoridade; se não fosse assim, por que então não teria ele estabelecido a
penalidade clara, cabível e proporcional? Se um homem sem propriedade se recusa pela primeira vez a recolher nove xelins aos cofres do Estado, é preso por prazo cujo limite não é estabelecido por qualquer lei que eu conheça; esse prazo é determinado exclusivamente pelo arbítrio dos que o enviam à prisão. Mas se ele resolver roubar noventa vezes nove xelins do Estado, em breve estará novamente em liberdade.
Se a injustiça é parte do inevitável atrito no funcionamento da máquina governamental, que seja
assim: talvez ela acabe suavizando-se com o desgaste - certamente a máquina ficará desajustada. Se a
injustiça for uma peça dotada de uma mola exclusiva - ou roldana, ou corda, ou manivela -, aí então
talvez seja válido julgar se o remédio não será pior do que o mal; mas se ela for de tal natureza que exija que você seja o agente de uma injustiça para outros, digo, então, que se transgrida a lei. Faça da sua vida um contra-atrito que pare a máquina. O que preciso fazer é cuidar para que de modo algum eu participe das misérias que condeno.
No que diz respeito às vias pelas quais o Estado espera que os males sejam remediados, devo dizer
que não as conheço. Elas são muito demoradas, e a vida de um homem pode chegar ao fim antes que elas produzam algum efeito. Tenho outras coisas para fazer. Não vim a este mundo com o objetivo principal de fazer dele um bom lugar para morar, mas apenas para morar nele, seja bom ou mão. Um homem não carrega a obrigação de fazer tudo, mas apenas alguma coisa; e só porque não pode fazer tudo não é necessário que faça alguma coisa errada. Não está dentro das minhas incumbências apresentar petições ao governador e à Assembléia Legislativa, da mesma forma que eles nada precisam fazer de semelhante em relação a mim. Suponhamos que eles não dêem atenção a um pedido meu; que devo fazer então? Mas nesse caso o Estado não forneceu outra via: o mal está na sua própria Constituição. Isto pode parecer grosseria, teimosia e intransigência, mas só quem merece ou pode apreciar a mais fina bondade e consideração deve receber este tipo de tratamento. Todas as mudanças para melhor são assim, tais como o nascimento e a morte, que produzem convulsões nos corpos.

QUANDO A LEI É INJUSTA.

A gravidade da injustiça da lei se torna pérfida quando, não raro, acometida mediante o contraste evidente entre o ordenamento jurídico e o verdadeiro sentimento de justiça prevalente na sociedade. Enquanto o infausto fica por conta da lei despótica, a desobediência é sufocada no peito de um povo que recua e se cala.
Se já abandonam a sociedade à sua sorte, embora epistemologicamente seja esta, fonte jurídica por natureza e excelência, nada farão quando não mais contarem com a mesma na coação dos seus súditos subjugados, posto que a partir daí simplesmente usarão do açoite ao invés da falácia.
A Lei Municipal nº 10.188, de 03 de junho de 2011, que desafetou parte da Rua Musas, no Bairro Santa Lúcia, nesta capital, e foi vendida à iniciativa privada, desatendendo as súplicas das comunidades locais, sopita na arrogância a tal ponto, que muitos se acham novamente a descoberto, diante de um poder autocrático, importado cabalisticamente por poucos, para descaracterizar a persistente democracia social defendida por tantos.
Uma lei, tal qual a do debate, quando rechaçada pela população, sobretudo pelos espíritos defensores do interesse público, falece em seus atributos de lei e agoniza nas mãos dos detentores do poder.
Uma lei alquebrada, que não consegue uma imagem física de lei social, por iníqua e contrária aos princípios garantidores da juridicidade ético-política do sistema, capenga há de ser, neste e nos séculos que virão.
O intérprete da lei precisa de coragem, bom senso e prudência na busca da face justa da lei, de modo a fazer perseverar o direito, pois, caso contrário, se alastram os dogmas, que na justiça não evoluem e colocam tudo a perder.
A lei injusta padece de combate e pede pelo seu afastamento da vida humana, longe da ingenuidade dos que professam a vontade da lei ou a intenção do legislador, jamais unívocas, mas influências péssimas da lei amoral, conflitante com os anseios da sociedade que pode, para tal, requerer a decisão de um Juiz que não suscite o divórcio entre o Direito e a moral.
A justiça pode e deve decidir contrariamente à interpretação indevida de uma lei injusta, uma vez inadmissível na jornada do Estado Democrático de Direito a imposição do povo e das ideias, do Estado e da sociedade civil, do poder e da razão, a patamares diferentes de discussões.
O Poder Judiciário ao aplicar o direito não pode, sob hipótese alguma, manter uma postura de neutralidade diante de casos em que se apresentem positivadas normas injustas. A dissociação do Direito da distribuição de justiça ou da promoção do bem estar da sociedade coloca em risco iminente a democracia, e pode se transformar em instrumento de arbítrio e degradação da pessoa humana.
De se ressaltar, outrossim, que a lei injusta causa tamanho e irreparável dano ao indivíduo que se deve conceder ao Juiz uma maior liberalidade para decidir. A atuação nobre de buscar um sentido útil e justo da lei não se restringe aos Juízes, mas a qualquer operador do Direito a favor do bem.
Uma lei não é um todo em si mesma e muito provavelmente jamais será. É tão somente um instrumento, uma norma para a convivência e harmonização da sociedade. Quando injusta, para nada disso serve e simplesmente se presta ao papel da discórdia e da desobediência.
A lei injusta, obra humana, contém defeitos que podem causar justamente aquilo que se pretendia evitar – a injustiça. E nesse sentido é a lei que viabilizou a venda de trecho de via pública, em benefício de uns e em prejuízo de muitos.
Assim, em determinadas ocasiões a lei injusta há que ser revogada, nula e anulada, mas que seja pela urgência dos clamores sociais.

Wilson Campos (Advogado/Assessor Jurídico do Movimento das Associações de Moradores de Belo Horizonte).
(Este artigo mereceu publicação do jornal O TEMPO, edição de 22/09/2012).
Fonte: http://wilsonferreiracampos.blogspot.com.br/2012/09/quando-lei-e-injusta.html

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Mesmo presa mulher consegue matar o próprio filho

Quem ainda consegue sentir um pingo de dó ou de piedade de uma mulher feminista, que veja essa notícia: Uma mulher que foi presa pela Polícia Suiça degola o próprio filho. Ela era uma imigrante ilegal na Suiça e a Policia a prendeu.
De acordo com fontes policiais, a mãe disse aos guardas que iria mudar a fralda na criança e, em seguida, tirou de um saco uma faca com a qual inesperadamente ela matou seu filho de 10 meses de idade, que sofre de uma doença grave e que entrou na Suiça ilegalmente. Mais tarde, ela tentou o suicídio.
O bebezinho de dez meses tinha uma doença: hidrocefalia, que causava o acúmulo de líquidos no crânio e que pode causar problemas se não for tratada; mas, segundo os médicos, o tratamento é bem simples e consiste apenas em drenar o líquido da cabeça da criança, periodicamente. Mas a mãe feminista não levava a criança ao hospital para fazer o tratamento. Ao invés disso, por volta das onze horas da noite, a mulher pediu para ver o filho para tomar banho ou trocar a fralda (dependendo da versão), quando ela decidiu decapitá-lo e, em seguida, tentando se matar com a mesma faca.  A mulher, após a tentativa de auto-agressão, foi operada de urgência e está pendente de evolução e prognóstico.

Fonte em espanhol: http://sociedad.elpais.com/sociedad/2014/01/23/actualidad/1390471731_803825.html 

Pe. Paulo Ricardo - Responsabilidade










segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Leitora diz que não concorda comigo

Recebeu um contato acerca do seu abaixo-assinado: Abaixo-assinado PROJETO DE LEI DE INICIATIVA POPULAR QUE PROÍBE A APOLOGIA DO FEMINISMO NO BRASIL .

Nome: Atenéia Rocha
Email: ateneia

Mensagem:
Meu nome é Atenéia, sou mulher e não concordo com muito do que você diz a respeito do feminismo. Penso que homens e mulheres devem viver em harmonia e não penso que os homens são bestas de carga ou estupradores, mas seres humanos com direito a ser tratados com dignidade. Entretanto, acho seu texto exagerado e parcial.

Minha resposta: Minha cara Atenéia, você é a primeira mulher que me manda uma mensagem sem me xingar ou me ameaçar de morte. Eu também acredito que os homens e as mulheres devem viver em harmonia; mas infelizmente não é isso que o feminismo ensina para a mulher moderna. Mas eu não acho que o meu texto seja exagerado. As feministas européias estão tentando legalizar o infanticidio (porque o aborto elas já legalizaram). As feministas suiças conseguiram legalizar a eutanásia de CRIANÇAS na Suiça. E elas estão tentando legalizar a eutanásia de CRIANÇAS na Bélgica e em outros países europeus. E olha, isso é só a ponta do Iceberg do que as feministas andam aprontando e planejando fazer com os homens e com as crianças.
Tudo o que eu digo é que a situação atual das mulheres já é boa o bastante para elas. Se o verdadeiro objetivo do feminismo fosse buscar a igualdade com os homens, então por que elas não extinguem o movimento feminista, já que a igualdade já foi alcançada?
Se eu estou errado em fazer essa lei proibindo o feminismo, então me diga você Atenéia: Se o momento de extinguir o movimento feminista não for AGORA; então QUANDO, vocês pretendem acabar com o feminismo? O que mais vocês precisam conquistar para chegarem a conclusão de que o feminismo já chegou no topo do Everest e não precisa conquistar mais nada?
Visite os meu sites: feminismodiabolico.blogspot.com.br e www.antifeminismo.com.br
 

Larissa Riquelme NUA: a Musa da Copa

Larissa Riquelme: a Musa da Copa

No Paraguai tem muita mulher bonita. Tem algumas feministas também; mas a maioria são gatas.























ShareThis

Veja também

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...