Novo endereço do nosso site

Novo endereço do nosso site
Feminismo Diabolico

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Kelly Key nua na Playboy

 Clique na foto abaixo para ver a Kelly Key nua na Playboy:





Da onde saíram tantas mulheres contra o feminismo?

 
O texto abaixo foi retirado de um site muito bom, amigo nosso: http://avezdoshomens.blogspot.com.br/2014/02/quem-nao-e-contra-o-lesbocomunismo-e_26.html

O texto também está no site: http://avezdasmulheres.blog.com/2014/02/26/quem-nao-e-contra-o-comunismo-e-parte-dele-parte-2/

Quem não é contra o lesbocomunismo é parte dele - parte 2: de onde saíram tantas mulheres contra o feminismo?

A gente está vendo uma turma cada vez maior de mulheres antifeministas. Uma mulher pode ser contra o LGBT-Feminismo só porque conhece o LGBT-Feminismo e tem um nível moral e mental suficiente para achá-lo abominável, além de ter brilho próprio suficiente para achá-lo inútil. Mas as mulheres contra o Feminismo têm alguns problemas tanto em por que quanto em como são antifeministas. Eu vou mostrar alguns tipos mais comuns de mulheres antifeministas mostrando os problemas de cada um e depois explico melhor no geral.

Tipo 1: mulher cristã tradicionalista feia e/ou velha sexofóbica

Ela tem três grandes motivos para ser contra o Feminismo: discorda do mundo provinciano dos anos 50, destruiu este mundo provinciano e, pensa ela, incentiva a luxúria hétero. Esse tipo entrou na adolescência sonhando em ser como a mãe ou a avó, anorgásmica, instável, idiota, frustrada e geralmente analfabeta, mas tratada com veneração pela comunidade e como autoridade pela família. Mas, mesmo com vários problemas do progresso feminista, socialista e pseudoateu no Brasil e em vários países do mundo, os filhos das jovens da década de 60 já chegaram aos 20 anos tendo estudado mais, se divertindo mais e sabendo mais do que elas. E pior para elas do que não serem vistas como alguém de um nível mais alto, como se ser mais velho deixasse alguém muito melhor, é saber que não merecem ser vistas como alguém de um nível mais alto. Elas vão conversar com outras comadres sobre como antigamente as pessoas eram mais honestas e as crianças eram obedientes por medo de serem espancadas, ops, disciplinadas, mas elas queriam mesmo é viver no tempo em que qualquer mulherzinha analfabeta com cara de que nunca teve um orgasmo na vida (e que nunca teve um orgasmo na vida) podia ser tratada com temor. Uma mulher desse tipo pode gerar confusão entre ser contra o Socialismo (incluindo o Lesbofeminismo) e querer a volta do século XIX.

Tipo 2: mulher cristã tradicionalista bonita esclarecida e com nível universitário

É quase o tipo 1, e tem um motivo a mais para ser contra o LGBT-Feminismo: como é casada, teme que o Socialismo e o Feminismo prejudiquem o marido ou o filho homem e ela não consiga segurar a onda. Como ela é bonita, bem formada e geralmente simpática, pode ter conseguido uma boa carreira não só pelo talento como pela amabilidade de muitos homens. E por conhecer a Bíblia e a história do Cristianismo, sabe que ser submissa ao homem nunca significou falta de vida social ou humilhação. Então, não deve nada ao Feminismo, e até pode ter tido problemas com mulheres colegas de trabalho feias ou feministas além de feias. Mas uma mulher desse tipo no antifeminismo tem quase o mesmo risco de associação que o tipo 1.

Tipo 3: lésbica independente bem-sucedida

Ela é mal acostumada desde menina, conseguiu uma bela carreira nas costas do marido ou do pai opressor e de velhotes importantes, ganha bem, tem status profissional. Como não precisa de homem (ela própria já disse isso várias vezes), é solteira, antissocial e simpática com um ou outro homem (mas cheia de risos e sorrisos com as colegas fúteis e imbecis). Um dia, ela se cansou de ser forte e independente e quer um homem para cuidar dela (eu já li um comentário não me lembro onde em que uma mocinha diz isso, depois de mostrar como ela não precisa dos homens). Isso pode ser depois que ela teve tido um filho e sentiu falta de ter tempo pra ele, ou quando ela sentiu falta de tempo até de lazer (já leu a matéria "Basta de igualdade", da IstoÉ de 08 de outubro de 2008?). Então, ela pode ver que os homens com "valor de mercado" além de serem cada vez em menor número, em geral são casados ou afeminados. E pouquíssimos deles estão interessados em casamento de contos de fadas com lésbicas cheias de si de 30 e poucos anos. Ela pode passar um tempo dizendo para os outros e para si próprias que são bonitas, pós-graduadas e bem-resolvidas e que são os homens que não estão à altura delas. Depois de levar de volta um pouco da falta de gratidão e de respeito que espalhou no mundo, vai começar a falar DE SI PRÓPRIA e de como os homens ficaram hostis às mulheres. Ela nunca vai se lembrar de que a força e a independência que para ela foi qualidade para um homem é obrigação.

Tipo 4: vadia em fim de carreira

É aquela história que a turma da Real conta: a moça, enquanto era jovem e desejada, desprezava os rapazes trabalhadores, estudiosos, de caráter e gentis enquanto fazia loucuras pelos piores homens; quando percebeu o "sex appeal" começando a cair, passou a dar mais atenção aos homens amáveis que ela desprezava antes para arrumar um casamento e dar pra um deles as sobras da própria vida, talvez incluindo um filho que ela teve quando o marido ainda era virgem. A primeira coisa que ela procura é um grupo religioso, geralmente uma igreja. Quando ela prega contra a promiscuidade ou a queda dos valores morais, ela não está só tentando esconder o próprio passado sujo, está se enturmando também. Indo rápido para uma igreja, ela ainda pode achar um homem de uns 30 anos virgem. Mas ela pode ver na igreja e no trabalho dela que as mulheres estão cada vez melhor profissionalmente enquanto os homens estão quase todos casados, com maus empregos, aposentados por invalidez, pagando pensão ou apenas sem interesse em casamento. Talvez ela já receba a pensão alimentícia de um ex-companheiro juntando com o dinheiro de um subemprego mais um trabalho informal, mas se ela quer ir muito além disso, vai ter com o que se preocupar. Com algum interesse de buscar explicações, ela pode tropeçar no Feminismo.

Tipo 5: Vanderneia

O Vandernei era um personagem do Casseta e Planeta (programa humorístico da Rede Globo, Brasil). Estava sempre numa sauna gay, rodeado de gays, sempre fazia algumas coisas suspeitas, mas jurava: "eu não sou gay". A Vanderneia diz que não é feminista, não é de esquerda e não se encaixa em rótulos ou ideias prontas (tipo aquela mocinha da parte 1 desta série). Mas só diz que é contra a violência da mulher contra o homem, ou da apologia a ela, para antifeministas. Mas quando se expõe um caso de um homem agredindo ou matando uma mulher, ela deixa as comadres lésbicas atribuirem a todos os homens a natureza de agredir e estuprar mulheres, e toda vez que se mostra um caso de patifaria feminina, ela vem dizer que não se deve generalizar. Mas quando um masculinista mostra uma pregação de ódio de feministas na década de 2010 ou na década de 1960, a Vanderneia diz que esta feminista é um caso isolado e é o masculinista que prega o ódio (misoginia). As críticas dela ao Lesbofeminismo são discordâncias em questões secundárias como serviço militar ou em pontos mais abomináveis como o aborto, mas ela só se manifesta em fóruns antifeministas, em fóruns não dominados por feministas ou em uma página pessoal. Ah, já leu o texto "Feminismo Híbrido", do Canal do Búfalo?

Tipo 6: vítima direta do Lesbossocialismo

Esposa de um homem que paga pensão alimentícia para a ex-companheira e a família está passando dificuldade, mulher com um bom emprego que trabalha com outras mulheres e passa aborrecimentos, mulher que perdeu vaga de emprego ou promoção por ser discriminada por outras mulheres, etc. E também pode ser uma mulher atacada diretamente por esquerdistas ou grupos de "representação popular" por dizer o que eles não querem. Mesmo sendo alvo direto, essa mulher raramente analisa a coisa mais fundo e descobre uma trama sórdida, como alguns homens comuns perceberam certas coisas e se tornaram referências pelo menos na blogosfera antifeminista.

Tipo 7: ex-militante feminista

Primeiro, ela não diz nada que já não esteja sendo dito desde fim de 2007 só no Brasil por blogueiros masculinistas sem muitos recursos que nem sempre podem mostrar o próprio nome. Segundo, ela não saiu, foi chutada depois de algum incidente dentro do próprio grupo de onde saiu. Aceitar uma mulher ex-feminista como colaboradora é dar ao Feminismo a chance de, como diz Olavo de Carvalho, se limpar na própria sujeira.

Conclusão

Eu defino Feminismo como justificar tudo que uma mulher é e faz, dar todo o suporte a toda a baixeza de espírito dela, dar a ela os direitos que ela tem e os que não tem só por ela ser mulher e defender o que satisfaz ou beneficia às piores mulheres como regra para a sociedade como um todo. Por isso feministas defendem ou nem comentam sobre mulheres que mataram ou fizeram falsa denúncia contra homens, enquanto querem linchar qualquer anônimo que tenha feito uma piada que elas não gostaram.

Há cinco dias atrás, uma sexta-feira, eu estava num ônibus que passa por uma faculdade e ouvindo uma ninfetinha universitária com o jeitinho típico de filhinha de papai falando no celular no banco de trás. Ela estava falando sobre o namorado dizendo que ele era infantil mas que não terminava o namoro porque gostava dele. Mas se ela desistisse dele, a fila ia andar. Até aí, é o que a turma da Real fala da mulher de hoje em dia. Mas ela disse uma coisa que me chamou a atenção: "se bem que está tendo muito veado" (paneleiro, em português de Portugal). Ah, e isso era umas 18:20 e eu não estava indo pra casa ainda, quando eu estava mesmo indo pra casa, eu peguei um ônibus da mesma linha e passando pela faculdade, umas 22:40, a mocinha pegou o ônibus também, dessa vez ela se sentou no banco da frente e estava com três amiguinhos, um com jeito de frouxo, um com jeito de burguês mimado e um com jeito de gay. Foi o resto da viagem, uns 15 minutos, com aquela conversa de hiena só de asneiras e futilidades. Mas o ponto onde que eu queria chamar a atenção de vocês neste caso é que até uma burguesinha mal acostumada, sem muita coisa que preste na cabeça e metida a gostosa pode já ter notado que a casa vai cair em breve, enquanto homens falam de namoradas autoritárias no trabalho como se fosse piada. Explicando melhor: ser contra pelo menos parte do Feminismo virou obrigação psiquiátrica para pessoas comuns e agora até estratégica para quem não tem patrimônio moral; defender o Feminismo na íntegra é coisa de lésbicas insensatas, sindicalistas e homens frouxos esquizofrênicos.

Mas dos tipos de mulheres contra o Feminismo acima, o tipo 1 é uma vaca retrógada que vive na época errada; o tipo 2 ainda pode dar uma publicidade melhor para a direita cristã e segurar rapazes sexualmente vivos que ainda estão lá, mas a moça teve o azar de nascer na época em que não dá pra escolher o melhor do tradicionalismo e o melhor do Feminazismo ao mesmo tempo; os outros tipos são lésbicas amorais que cairam do cavalo, que mal perceberam algum mal no Feminismo depois de muita dor pessoal; o tipo 5 é uma feminista que pelo menos tem alguma noção do perigo que o Feminismo vai trazer no futuro inclusive para ele próprio; os tipos 6 e 7 são idiotas inúteis.

Uma mulher deve muito aos homens, principalmente aos homens que prestam, inclusive a oportunidade de fazer feminismo no mundo desenvolvido. Se uma mulher não está interessada em fazer mais pela sociedade, principalmente os homens que prestam, do que a sociedade faz por ela, ou, no pior dos casos, recebe mais da sociedade ou dos homens bons do que dá a eles sem ter vergonha, humildade ou gratidão, ela deve ser classificada como feminista. Mas o que é ser uma mulher contra o Feminismo de verdade?

  1. A mulher contra o Feminismo tem talento intelectual e profissional para mostrar, tem caráter para fazer o bem para a coletividade e tem luz própria para ganhar a vida sem prejudicar o direito de ninguém, e sabe que só algumas mulheres medíocres e muito poucos homens, e não a sociedade, fariam alguma coisa para prejudicar mulheres como ela.
  2. A mulher contra o Feminismo faz o que pode contra o Feminismo, não o que não tem outra escolha além de fazer.
  3. A mulher contra o Feminismo se manifesta quando pode contra o Feminismo, não quando não tem outra escolha além de manifestar.
  4. A mulher contra o Feminismo vê um problema do Feminismo quando ele existe em princípio e mal se manifesta, não quando ele já fez danos suficientes para ser imoralidade e loucura não falar dele.
  5. A mulher contra o Feminismo trata uma mulher filha da puta como uma mulher filha da puta que não merece uma defesa corporativa, assim como os feministas tratam qualquer pessoa que critique essa mesma mulher ou o movimento como alguém que odeia as mulheres, ou consideram um homem que estupra e mata uma mulher como representante de todos os homens.
  6. A mulher contra o Feminismo não só reconhece que as mulheres não devem nada ao Lesbofeminismo quanto reconhece o quanto deve aos homens honrados do passado.
  7. A mulher contra o Feminismo reconhece que mesmo que existisse um assaltante estuprador em cada ponto de ônibus no fim de noite, não existem menos homens que condenam a violência contra a mulher.
  8. A mulher contra o Feminismo não tem caso de discordância com mulheres feministas, tem caso de isolamento, bloqueio no Facebook, amizade perdida, insulto, difamação, denúncia, ser chamada de fake, machista, misógina, homofóbica e racista.
  9. A mulher contra o Feminismo dá o melhor que pode oferecer para ser desfrutado pelos melhores homens, assim como qualquer lésbica "loser" mãe solteira com cara de macaco exige o melhor dos homens.
  10. A mulher contra o Feminismo faz a alegria dos homens que prestam, assim como eles fazem a alegria dela.
  11. A mulher contra o Feminismo não se incomoda de ver, ouvir ou fazer brincadeiras de duplo sentido ou de conteúdo sexual.
  12. A mulher contra o Feminismo sabe que o Feminismo é o totalitarismo lesbocêntrico de ódio aos homens, não uma causa nobre com problemas aqui e ali na teoria ou na militância.

Uma notinha final. Eu já contei algumas vezes que eu estou no A Vez das Mulheres de Verdade desde setembro de 2009, e a dona Imaculada Virgínia, minha mãe, começou este trabalho em meados de 2006. O nosso trabalho foi tão "diferente" que o nosso outro blogue, A Vez dos Homens que Prestam, já esteve no extinto agregador de blogues Central Masculinista, enquanto o A Vez das Mulheres de Verdade estava entre os recomendados. Até 2010 ou 2011, eram os únicos blogues escritos por mulheres com o antifeminismo como tema principal. Portanto, esse texto foi uma autopromoção contra as novatas, hehehehe.

Abigail Pereira Aranha

Texto original em português sem fotos e vídeos de putaria, no A Vez das Mulheres de Verdade: Quem não é contra o lesbocomunismo é parte dele - parte 2: de onde saíram tantas mulheres contra o feminismo?, http://avezdasmulheres.blog.com/2014/02/26/quem-nao-e-contra-o-comunismo-e-parte-dele-parte-2 e http://avezdasmulheres.livejournal.com/16499.html

Texto original em português com fotos e vídeos de putaria, no A Vez dos Homens que Prestam: Quem não é contra o lesbocomunismo é parte dele - parte 2: de onde saíram tantas mulheres contra o feminismo?, http://avezdoshomens.blogspot.com/2014/02/quem-nao-e-contra-o-lesbocomunismo-e_26.html

Parte 1, sem fotos e vídeos de putaria, no A Vez das Mulheres de Verdade: http://avezdasmulheres.blog.com/2014/02/16/quem-nao-e-contra-o-comunismo-e-parte-dele-parte-1 e http://avezdasmulheres.livejournal.com/16144.html

Parte 1, com fotos e vídeos de putaria, no A Vez dos Homens que Prestam: http://avezdoshomens.blogspot.com/2014/02/quem-nao-e-contra-o-lesbocomunismo-e.html

Fonte: http://avezdoshomens.blogspot.com.br/2014/02/quem-nao-e-contra-o-lesbocomunismo-e_26.html

Playboy - Capa: Multishow, As Gatas da Casa Bonita! NUAS - Edição Maio 2013

 

Confira as fotos das gatas do reality show Casa Bonita 5 do canal Multishow  as gatas são Thalita Bellotti, Marianna Rosas, Thaíz Schmitt, Muriellen Rodrigues, Jéssica Amaral, Kellen Cheque, Renata Leal, Bianca Leão, Samanta Diniz, Andriza Leite, Alice Ramos, Estefânia Alves, Monique Maciel e mais Paloma Tocci, as coelhinhas Liandra Silveira, Ana Paula Xavier, Taiany Silva, capa da Playboy de maio de 2013,  ensaio secundário com a alemã Sandra Latko e tambem a seção click.

CLIQUE NA IMAGEM ABAIXO PARA VER AS FOTOS DELAS NUAS:

0_Playboy_Capa_as_gatas_da_casa_bonita_do_multshow_edi_o_maio_2013_garotadaplayboy.blogspot.com_1_

Revista Trip - Capa: Fernanda Mayrinck Nua - Edição Março 2013

 

Confira as fotos da musa ativista dos direitos dos animais, Fernanda Mayrinck, capa da revista Trip de março de 2013! Clique na foto abaixo para ir na galeria com todas as fotos dela nua:

0 revista trip capa Fernanda Mayrinck março 2013 garotadaplayboy.blogsot.com (1)

A prova que nem todo homossexual, precisa pregar a degeneração social.

clodovil nao e da gaystapoDitadura Gay com propaganda

MONONUCLEOSE INFECCIOSA – DOENÇA DO BEIJO

MONONUCLEOSE INFECCIOSA – DOENÇA DO BEIJO

Postado por: netdentista em Uncategorized Deixe um comentário

MONONUCLEOSE INFECCIOSA – DOENÇA DO BEIJO

PROGRESSÃO E SINTOMAS

1662622_819918834701740_373481563_n

A infecção inicial é pela saliva alheia, pode se ocorrer uma ou mais vezes no mesmo indivíduo o aparecimento da doença e consequentemente dos sintomas que só aparecem entre 4 e 8 semanas após contraida a doença, o vírus pode ser contraido continuamente até que o indivíduo crie anticorpos contra este. Infecta inicialmente as células da mucosa da faringe, e depois invade os linfócitos B do tecido linfático adjacente, onde continua a multiplicar-se. A sua multiplicação é detectada pelo sistema imunitário que secreta citocinas defensivas que causam febre alta (39-40 °C), mal estar, fadiga, dores de garganta, (faringite) e por vezes hepatite moderada, aumento dos gânglios linfáticos do pescoço.

A infecção é controlada ao fim de alguns dias, mas o vírus frequentemente permanece por toda a vida do individuo escondido de forma latente em alguns dos linfócitos B originalmente infectados. Estes linfócitos multiplicam-se mais rapidamente e autodestroem-se menos frequentemente, devido a proteínas pró-crescimento e anti-apoptose produzidas do genoma viral. O resultado é a característica linfocitose (aumento do numero de linfócitos) facilmente detectada nos episódios agudos da doença.

DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO

O diagnóstico é feito por detecção sorológica de anticorpos específicos, contra as proteínas do capsídeo (que continuam a existir por toda a vida) ou contra determinados antígenos do vírus que só existem na fase aguda.

Como a maioria das doenças causadas por vírus não há tratamento disponível nem mesmo é necessário uma vez que na maior parte das vezes ela é autolimitada. Utiliza-se medicamentos para os sintomas como analgésicos, antitérmicos e se necessário medicamentos contra o enjôo. Recomenda-se para aqueles que apresentam baço aumentado que não pratiquem esportes ou atividades que representem risco de ruptura do mesmo.

Fonte: http://www.netdentista.com/2014/02/doenca-do-beijo.html

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Homens machistas são maridos melhores

Homens machistas são maridos melhores

29 de julho de 2010
Lugar de mulher é na...
Lugar de mulher é na…
Calma, meninas. Não briguem comigo. Quem chegou a essa conclusão foram duas pesquisadoras (sim, mulheres) da Universidade de Rutgers, em Nova Jérsei (EUA). E o estudo já é descrito, logo de cara, como “preliminar”, então não levem tão a sério. Mas é isso aí: os resultados de testes e entrevistas aprofundadas que Jessica Good e Diana Sanchez fizeram com 102 voluntários homens indicam que os machistas (o termo se refere, nesse estudo, aos caras que “apenas” veem a mulher como um ser mais fraco, que precisa da proteção masculina – nada a ver com qualquer tipo de comportamento violento ou coisa assim) mostraram maior investimento na família, em deixar a companheira satisfeita e no relacionamento em geral. Justamente por esse ímpeto de proteger, de cuidar da pobre mocinha indefesa.
E aí, o que você acha? Dá para conferir o trabalho completo aqui.
Leia também:
A fórmula da esposa perfeita
Se o marido for mais feliz do que a esposa, é divórcio quase certo
Mulheres casadas dormem melhor do que solteiras


Fonte: http://super.abril.com.br/blogs/cienciamaluca/homens-machistas-sao-maridos-melhores/

Sexy Eyes - Domino Presley

A travesti Domino Presley tem olhos sexy. Visitem: feminismodiabolico.blogspot.com.br






segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Masculinidade em Crise

Masculinidade em Crise

24 segunda-feira fev 2014

Publicado por Renan Felipe em Direito, Família, Nacional

Deixe um comentário

Tags

androfobia, crise da masculinidade, direitos das mulheres, direitos dos homens, direitos femininos, direitos masculinos, feminilidade, feminismo, femismo, ginofobia, identidade de gênero, igualdade de gênero, machismo, masculinidade, masculinismo, misoginia, virilidade

Algum tempo atrás escrevi um artigo parodiando os masculinistas do “Movimento da Real”, que trouxe até o blog vários comentários enfurecidos na defesa do movimento. Não porque eu menospreze o movimento, mas porque acho sua abordagem bastante superficial.

Dying Gaul

Não é segredo para ninguém que o Ocidente passa por uma crise de masculinidade. E isso pode ser associado a vários fatores: queda alarmante nos níveis de testosterona nos homens, queda do desempenho escolar e acadêmico entre a população masculina, crises dos setores econômicos que mais afetam os homens (como a indústria), propagação de valores androfóbicos na sociedade.

Alguns sintomas desta crise são os números alarmantes da evasão escolar e acadêmica entre a população masculina, a proporção e o impacto do desemprego sobre os homens, o número crescente de homens que simplesmente abandonam a paternidade ou são alienados de seus filhos, a queda de seu desempenho profissional em um ambiente cada vez mais voltado para o público feminino.

Não é um problema que a sociedade abra mais possibilidades para as mulheres. É um problema que os ganhos para as mulheres representem perdas para os homens. O problema maior é que a sociedade acuse os homens de se desmotivarem porque estão apenas “perdendo privilégios” e exija deles um esforço masculino para construir uma sociedade na qual eles terão ainda menos “privilégios”. Como motivar uma pessoa a fazer parte daquilo que lhe é prejudicial senão por chantagem ou coerção?

Enumerarei aqui apenas algumas das preocupações que uma militância “masculinista” (não gosto do termo e explicarei mais adiante por quê) deve ter em mente:

1. Os homens são um grupo com interesses próprios
Frequentemente exige-se que um homem “seja homem” em prol da sua mulher, da sua família, dos fracos e oprimidos, etc. O problema é que não se pode exigir o sacrifício de uma pessoa que foi educada segundo uma ética hedonista ou utilitária. Ninguém sacrifica-se por sacrificar-se, ou sem a certeza e percepção de uma relação direta entre seu sacrifício e o benefício de seus amados: para exigir sacrifício, primeiro se necessita uma ética que o valorize com prestígio, honra, recompensas, etc.

No cenário atual, há de se contentar com aceitar que o homem prioriza seus próprios interesses egoístas: jogar futebol, beber cerveja, assistir o UFC, comer bacon, transar, malhar, etc. O primeiro passo, portanto, é assumir o homem como homem, fim de si mesmo, e não como uma ferramenta para o trabalho ou sustento de outras pessoas. E isso significa, também, dar a ele o direito de ser como ele é: deve-se tolher o assalto moral de ideólogos que querem moldar o seu comportamento, emasculando-o ou tornando um “gênero neutro”. Gostamos de esportes de contato (“violentos”) sim, e ninguém vai proibir. Sentimos mais necessidade de sexo, sim, e ninguém tem o direito de nos desmoralizar ou condenar por isso. E por aí vai.

2. Os homens não admitem, mas estão em situação de vulnerabilidade social
A nossa economia é cada vez menos industrial e mais voltada a serviços, o que significa que muitos homens com pouca formação acadêmica estão sendo empurrados para o abismo do desemprego, especialmente em períodos de crise onde os homens são as vítimas preferenciais das demissões massivas. Também os homens são as maiores vítimas de acidentes de trabalho, principalmente os fatais.

Os homens, também, são mais vulneráveis a cair no mundo do crime ou ser vítimas de crimes violentos. São eles também que compõem as fileiras dos exércitos de mendigos e usuários de drogas. Enquanto entre as mulheres o crime é tratado como um “desvio” patológico que requer um tratamento praticamente médico, assume-se que entre os homens a criminalidade é “normal” e a resposta mais adequada é a punitiva.

O homem, também, está sendo gradualmente expulso da célula familiar: o divórcio fácil, apesar de representar um avanço para algumas mulheres, para a maioria dos homens significa um aumento injustificado e abusivo na já arriscada tarefa de casar. Com a relação risco-benefício do casamento pendendo cada vez mais para o lado do risco, não é de admirar que o casamento esteja se tornando um fenômeno raro e estejamos nos tornando a sociedade das mães solteiras.

E não venham imputar a culpa da mãe solteira toda ao homem porque qualquer homem divorciado e com filhos sabe que a Justiça brasileira praticamente o mata como pai e o reduz a uma conta bancária. A alienação paterna é um verdadeiro crime que se comete não só contra o homem que perde seu filho mas também contra a criança que é privada de um pai. Neste novo arranjo familiar, composto por mãe, filho e um assistente social (ou advogado), não há espaço para o pai. Lembremos que a maioria dos criminosos foram criados em famílias onde a figura paterna é ausente. Portanto, o combate à criminalidade e à miséria se faz com a paternidade.

A situação mais grave imaginável, neste quesito, é a discussão sobre o aborto que, em vez de focar no filho ou no casal que o gera, tem sido desviada por feministas até girar completamente em torno da mulher e excluir por completo o direito de um pai interceder pela vida de seu filho.

3. Existem valores masculinos que não devem ser comparados com os femininos
Os homens são frequentemente ridicularizados por seu comportamento mais agressivo: diz-se que eles querem compensar em agressividade a “masculinidade” que não tem. Curiosamente, esta “masculinidade” que afirmam que não temos é justamente uma artificial e concebida por sociólogos enviesados e de honestidade duvidosa (não raramente feministas). Para quem abandonou os valores tradicionalmente masculinos, como a honra e a coragem, não faz sentido nenhum a demonstração de vigor físico (“agressividade”) exceto quando ela coincide com a ética utilitária: quando a coragem rende lucros ao turismo de aventura, quando a honra serve à segurança nacional, quando a agressividade serve para capturar estupradores.

Deve-se perguntar: o homem é agressivo? Em comparação a quem? À mulher? A mulher não pode ser a medida para o homem, e vice-versa. Do mesmo modo, comparar a dissimulação feminina com o comportamento masculino (como faz o pessoal “da real”) é incabível.

Deve-se combater, portanto, a ridicularização dos valores que estimamos. Não fazê-lo é conceder o monopólio moral à androfobia, segundo a qual nosso vigor, honra e coragem só servem para proteger mulheres e crianças, vender filmes de ação, e sacrificar nossos divertimentos para financiar através de impostos o feminismo universitário. Quem acha que honra, coragem e sacrifício são valores ridículos, machistas e patriarcais, que abra mão dos serviços da polícia, do exército e dos bombeiros.

4. O homem precisa saber e sentir que é homem
Enquanto as feministas afirmam querer libertar homens e mulheres dos papéis sociais “opressores” de gênero, elas criam uma verdadeira identidade de gênero e um ativo lobby feminino sem equivalente masculino. Isto porque “masculino” é encarado como “padrão” e “neutro”: política masculina é apenas política. Só a feminina leva os adjetivos identitários. Isto precisa mudar, e os homens também precisam acordar para defender seus interesses e direitos. Enquanto aborto, divórcio, violência doméstica e empowerment (acadêmico e empresarial) forem só questão de “direitos das mulheres”, nós seremos os prejudicados porque tudo isso também nos diz respeito e somos arbitrariamente excluídos das discussões. Nosso direito político, em questões como essas, é nulo hoje: a nós cabe apenas obedecer o que foi decidido por um punhado de sociólogos e lobistas.

As mulheres tem um rito de passagem, que é a festa de debutante aqui no Ocidente. É um rito, com símbolos e cerimônias, para apresentar à sociedade uma nova mulher. Nós homens já não temos rito de passagem algum, e por isso os adolescentes ficam desorientados e se portam como crianções mesmo após os 20 anos: nos contentamos com substitutos pobres em rito, simbologia, prestígio ou identidade como a aquisição da licença para dirigir, a formatura, ir morar sozinho. Todos estes substitutos podem ser e são obtidos por mulheres também, então de que servem? Qual foi o último homem “apresentado” à sociedade? Retomar a prática da passagem é urgente: não se pode exigir homens de uma sociedade que não produz nenhum.

5. Um bom homem depende de uma boa mulher, e vice-versa
Os gêneros (os dois que existem na nossa sociedade) não são conflitantes, mas complementares. Se os homens vão mal, as mulheres vão mal. Se as mulheres vão bem, os homens vão bem. É por isso que a mulher tem cuidado tão bem da casa e dos filhos enquanto o homem tem governado e morrido nos campos de batalha com gosto nos últimos 10.000 anos. O homem se sente mais homem porque tem uma mulher a quem dedicar-se, a mulher se sente mais mulher porque tem um homem a quem dedicar-se. Uma mulher promíscua não pode exigir dos homens um comportamento reto. Um homem covarde não pode exigir de uma mulher dedicação.

Não só a qualidade dos homens em nossa sociedade deve nos preocupar, mas também das mulheres. Criticá-las, sem instruí-las, é uma atividade improdutiva e que só rega a semente do ódio sexista. Instruam as mulheres, as filhas e irmãs, as esposas e namoradas, as tias e primas, colegas e amigas. É preciso remover a erva daninha do “sextremismo” e da androfobia, e também do machismo e da misoginia, enquanto se planta a semente para uma sociedade onde masculinidade e feminilidade trabalhem em sinergia.

Deste meu último ponto vem a objeção ao nome “masculinismo” para a busca dos direitos da população masculina. Não é o caso de garantir direitos a um gênero às custas do outro, ou de afirmar a identidade de um em oposição à do outro: é uma questão de entender e aceitar a complementariedade dos gêneros em termos morais e identitários, e reconhecer a necessidade do equilíbrio entre ambos nas questões familiares e sociais.

Conclusão
Um movimento “masculinista” que se preze não pode ficar limitado a uma fraternidade que ajude homens com a carreira e os relacionamentos. É necessário combater ativamente o viés androfóbico na mídia, nas escolas e universidades, nas artes, bem como afirmar-se politicamente e assegurar que os homens tenham voz onde hoje são silenciados por aqueles que estão comprometidos com a destruição da nossa identidade de gênero, o que prejudica a todos nós, homens ou mulheres.

Fonte: http://direitasja.com.br/2014/02/24/masculinidade-em-crise/

As mulheres modernas são completamente obsoletas e supérfluas

Por esses dias eu estive pensando sobre a verdadeira natureza do feminismo e tive a impressão de que além do ódio e do medo que movimentam as feministas, outra emoção que também pode estar agindo nelas é o desespero. As mulheres estão desesperadas porque elas estão começando a intuir a obsolescência delas, pela primeira vez na história. A mulher moderna não tem mais utilidade, a mulher moderna é uma tecnologia obsoleta.
Haviam três utilidades para as mulheres em toda a história da humanidade: a primeira era como procriadora e mãe. A segunda, era como esposa, para o sexo. E, a terceira utilidade era para fazer os serviços domésticos. Nunca se exigiu das mulheres que elas trabalhassem fora, que elas conseguissem o dinheiro para sustentar o lar. Também nunca se exigiu das mulheres que elas fossem lutar nas guerras. Essas tarefas, com altas taxas de mortalidade, sempre couberam aos homens, que queriam proteger as mulheres, já que eram as mulheres que tinham os valiosos úteros, que carregavam as próximas gerações. Mas hoje em dia a mulher moderna é estéril e não quer mais ter filhos e quando engravida, ela aborta. A mulher moderna virou lésbica feminista e não quer mais fazer sexo com os homens. A mulher moderna não quer mais se casar com os homens e só quer explorá-los. Então eu pergunto: Que utilidade tem para nós as mulheres? Por que razão os homens ainda destinam parte de seus recursos para sustentar uma criatura inútil como a mulher? A mulher moderna não quer mais ser mãe, ela não procria. A mulher moderna só existe para atrapalhar a vida dos homens e para prejudicar os homens. A única suposta utilidade que a mulher moderna tem atualmente é para dar prazer sexual para os homens. Mas nem isso essas incompetentes servem mais. As travestis substituem as mulheres no sexo, com inúmeras vantagens. Então eu me pergunto: Por que nós ainda mantemos as mulheres consumindo nossos recursos e nosso dinheiro? Elas não nos servem para nada; a não ser para nos atazanar a vida e nos roubar o dinheiro fruto do nosso trabalho e a nossa liberdade. Se as mulheres vivessem quietinhas no canto delas, não haveria motivo para a guerra. Mas as mulheres são incapazes de viver dentro dos limites dos próprios recursos. Faz parte da natureza parasitária da mulher tentar, de todas as formas e meios roubar os homens, sugá-los, explorar o seu trabalho, a sua inteligência, a sua riqueza, e agora, com o feminismo, elas querem nos sugar sem dar nada em troca. Nem sexo, nem amor, nem filhos, nem familia, nem nada.
O problema com o feminismo e com as feministas é que elas não querem simplesmente viver longe dos homens. Mas elas querem viver longe dos homens, ao mesmo tempo em que são sustentadas e protegidas por esses mesmos homens que elas desprezam. Ora, se elas querem a independência, então que vivam com o próprio dinheiro, que parem de sugar os homens, de extorquir os homens. É só isso que eu exijo e não vou abrir mão do direito dos homens de serem donos de seus próprios recursos e não de ficarem entregando de mão beijada o fruto do seu trabalho para alguma biscate, para alguma Maria Chuteira sanguessuga parasita da vida.







Enhanced by Zemanta

domingo, 23 de fevereiro de 2014

Estupro Lésbico–Mulheres que Estupram outras mulheres

Numero de estupros lésbicos ultrapassa o numero de estupros héteros, e são até mais cruéis, pois lésbicas estupradoras usam objetos que machucam muito mais.estuprolesbico

A verdade que é abafada pelo governo, pelas feministas e pelo movimento gay, é que uma crescente onda de estupros lésbicos vem crescendo desde a década de 1990, e crescendo mais intensamente após 2005, mulheres forçando outras mulheres a terem sexo com elas, e para espanto geral, isso é tão comum que chega a ultrapassar o numero de estupro cometido por homens!
e quando olhamos para as Bi-sexuais, a situação é ainda mais alarmantes, em algumas cidades brasileiras, de cada 5 mulheres Bi-sexuais, 3 já foram vitimas de violência sexual por parte de outra mulher.
Agora fica a pergunta: porque não vemos isso no jornal? porque não se ouve falar sobre o assunto? eu adoraria dizer que é simples, mas na verdade se trata de um monte de fatores que se unem em um denominador comum, os quais vamos analisar a seguir:
01 – A vítima sente vergonha de denunciar e ser chamada de Lésbica, sem falar no medo de virar motivo de chacota na frente do povo, ficar falada e etc.
02 – Repressão do movimento feminista: Não é nada interessante para o movimento feminista, a existência da informação de que existem mulheres que estupram, já que isso derrubaria totalmente a plataforma de luta delas que diz que o estupro é uma pratica ligada exclusivamente aos homens e que eles “são opressores”, de modo que elas são capazes literalmente de matar e esquartejar qualquer um para manter essa informação em sigilo.
03 – O movimento gay faz tudo para abafar o caso: Mulheres que estupram outras mulheres são obrigatoriamente lésbicas, e isso é péssimo para a imagem do movimento, o qual já sofre com as contantes denuncias de pedofilia, ter que lidar com acusações de estupro seria o fim para eles.
04 – O Governo Brasileiro é formado em sua maioria por Gays, Feministas e Esquerdistas aliados do movimento gay, sendo que o governo manda na justiça e na mídia, então a vitima tem medo de denunciar, quando denuncia, a justiça não faz nada, e quando faz, a mídia não noticia nada.

Atualmente, entre delegados de polícia, advogados, promotores e juízes, existe uma falta de consenso sobre o que pode ser configurado estupro, enquanto uma parte diz que estupro é qualquer ato sexual realizado a força, outros dizem que para configurar estupro é necessário haver penetração, sendo nos demais casos configurado apenas atentado violento ao pudor, na dúvida, nossa equipe procurou o presidente da OAB da cidade de Codó, no estado do Maranhão, Dr. Francisco Antonio Ribeiro de Assunção Machado (Cidade a qual possui vários casos desses correndo em segredo de justiça), em entrevista, Dr Machado citou a lei 12.015/09 Art. 213, que diz:

Constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a ter conjunção carnal ou a praticar ou permitir que com ele se pratique outro ato libidinoso:

Pena – reclusão, de 6 (seis) a 10 (dez) anos.

E completou: Não é mais necessário que haja penetração para que seja configurado estupro, e o que antes era tido como atentado violento ao pudor, hoje também é configurado como estupro, segundo a legislação também não importa se o agressor é homem ou mulher, e se a agressão é contra homem ou mulher, a pena é a mesma.

Fonte: http://www.paradahetero.com/2013/11/04/estupro-lesbico-mulheres-que-estupram/

Anamara "Maroca", do Big Brother Brasil 13! NUA

http://1.bp.blogspot.com/-gYbuO5XVYsI/UaYCd5KrEPI/AAAAAAAAIoM/UhOVRsXHMqQ/s1600/0+revista+sexy+capa+anama+maroca+junho+2013+garotada+playboy.blogspot.com+%25281%2529.jpg

Clique na foto para ver ela pelada

Playboy Especial - Big Brother Brasil, Fani, Natália, Cacau, Maroca, Ariadna, Roberta Brasil, Jaque Khury, Priscila Pires, Adriana Santanna, Renatinha, Gyselle Sores, Íris Stefanelli e Mariana Felicio - Edição Fevereiro 2013

http://2.bp.blogspot.com/-CRe11jLp3lM/UTNNDgQme6I/AAAAAAAAHQA/ZvJkC6sxnBY/s1600/0+Playboy+Especial+Big+Brother+Brasil+fevereiro+2013+www.garotadaplayboy.blogspot.com+(1).jpg

Clique na foto para as fotos delas nuas

Não se case: Por que o casamento se tornou um mau negócio para os homens

O texto abaixo foi traduzido do inglês usando o tradutor automático do Google. Por isso, algumas frases apresentam pequenos erros de concordância; mas que em nada dificulta o entendimento do texto.

Não Se Casam: Por casamento tornou-se um negócio cru para homens
Este ensaio visa educar os homens sobre as realidades de que eles podem estar recebendo em si mesmos quando se casam. Uma decisão informada é menos provável de ser aquele que mais tarde se arrependeu. A intenção não é dissuadir os homens de se casar, mas para incentivá-los a se comunicar com franqueza as suas preocupações e expectativas de casamento com seus cônjuges em potencial. O objectivo desta escrita é também esclarecer as mulheres com algumas das razões pelas quais um número crescente de homens solteiros elegíveis de sucesso, que de outra forma preferem relacionamentos monogâmicos de longo prazo, estão virando as costas para o casamento.
Ir direto para o Fórum
Menu de navegação
Sociedade pinta automaticamente um estereótipo sobre os homens que hesitam, atrasar, ou optar por não se casar. Eles são rotulados como:
A) mulherengos que são incapazes de participar de um relacionamento de longo prazo, ou
B) os homens egoístas, infantis ou irresponsáveis ​​que não podem cuidar de si mesmos ou de outra pessoa.
Nenhuma outra explicação é sempre explorado.

O custo de proclamar seu amor eterno
É de 2012, e as mulheres são agora dadas as mesmas oportunidades educacionais e profissionais de carreira que os homens. Ao contrário da propaganda feminista, as mulheres, de fato, é pago o mesmo salário que os homens, já que eles estão dispostos a trabalhar os mesmos tipos de trabalhos que os homens, e trabalhar tantas horas como sua contraparte masculina. Apesar desta realidade, muitas mulheres entram em um casamento com muito poucos recursos e muitas vezes eles são confrontados com a dívida substancial. Em geral, os homens são os que poupam e investem. (Não acredita em mim? Conte o número de mulheres em idade de casar você sabe que subscrevem a Fortune, Forbes, ou revista Dinheiro.) Um número significativo de 20 e 30 e poucos anos as mulheres gastam a maior parte de sua renda disponível em apartamentos de aluguel de luxo, refeições em restaurantes de luxo, freqüentes férias exóticas, carros alugados, tratamentos de spa, e quantidades excessivas de roupas de grife, bolsas, sapatos, e excessories. São todas as mulheres gostam disso? Não. Poderia esta ser a sua futura esposa? Possivelmente. (No entanto, ironicamente, nos meios de comunicação, os homens são os únicos que são retratados como imprudentes, gastadores irresponsáveis.)
Ao contrário do que as feministas dizem, a maioria dos homens não quer uma noiva por correspondência, uma esteira de porta, alguém que é "descalça e grávida na cozinha". Os homens simplesmente não querem encontrar uma mulher só para tê-la iniciar um divórcio depois de alguns anos de casamento e, em seguida, ser forçado a pagar pensão alimentícia e pensão alimentícia para o resto de suas vidas. Acordos pré-nupciais são frequentemente derrubados e pode ser facilmente jogado fora de uma audiência da Vara de Família.
Este estado de coisas tem colocado muitos homens em uma situação em que eles não se casam, não agora, e muitas vezes parar de olhar para uma mulher em tudo - mesmo que eles querem uma mulher em suas vidas.
** Disclaimer: Para os propósitos deste ensaio, vou estar generalizando sobre as circunstâncias possíveis e papéis de gênero que podem assolar os homens em casamento moderno de hoje. O que é a exceção e qual é a regra está aberta ao debate. No entanto, meu objetivo é educar os homens sobre alguns dos resultados possíveis que existem para o casamento de hoje e divórcio. (Lembre-se, as generalizações são geralmente verdade!)
Como resultado, quando o casamento entra em cena, padrões duplos e os desequilíbrios financeiros deixar os homens responsáveis ​​por pegar a folga. (E também corrigir a bagunça que ela pode ter feito.) Para começar, os homens são forçados (sim, forçado) a gastar suas economias suado (ou tomar um empréstimo) em um anel de diamante. Mulheres justificar esse ritual relativamente novo (gerado por uma brilhante campanha de 1940, de lavagem cerebral liderada por DeBeers.), Insistindo um homem quer comprar-lhe um diamante. Que faz um homem orgulhoso de anunciar o seu amor e carinho desta forma. Concedido, alguns homens podem ser desta forma, mas há muitos que procuram uma parceria ao longo da vida e compromisso, mas não tenho interesse em comprar diamantes. Que escolha desses homens tem? Ninguém! Para muitos homens, o anel de casamento / / lua de mel é uma mina indesejável em sua jornada rumo à estabilidade financeira de um adulto. Para adicionar insulto à injúria, (um tema recorrente em casamento, como você vai ver), o homem está agora preso a uma vida de pagamentos de seguro para esta jóia escandalosamente caro. (Ao contrário da crença popular, os diamantes não são raros, mas sua oferta foi manipulado artificialmente.) Alguns homens estão mais preocupados com realizar seu sonho de possuir uma casa, e / ou tornar-se financeiramente estável o suficiente para começar uma família. Homens se preocupar com essas questões, porque, em última análise, torna-se a sua responsabilidade também.
Isso só prenuncia as coisas que virão. Os custos dos casamentos de hoje Imediatamente após a compra de um anel, o homem pode ser recompensado com as demandas de financiamento, total ou parcialmente de um casamento luxuoso ... (Dependendo do tamanho da sua conta bancária.) Superior ao de um pagamento de casa para baixo. (Ou, em certas partes do país, a própria casa.) Se um homem entra em um casamento de ter guardado um pagamento para sua casa de sonho, ele pode de repente ser arrebatado para a direita fora de debaixo dele. Muitos homens podem opor-se a gastar essa quantia de dinheiro em uma festa de um dia. (Ou passar um ano de sua vida planejando isso, quando poderiam usar o mesmo tempo para continuar a sua carreira ou educação.) No entanto, o que um homem quer não é realmente de qualquer preocupação. Não é negociável. Um casamento não é mais para a noiva eo noivo. Como Bridezilla de hoje alegremente lembra: "Este é o meu dia". (O que, aparentemente, lhe dá carta branca para se tornar egoísta, irresponsável e infantil.) São todas as mulheres como esta? Nem um pouco. Isso poderia ser a sua futura esposa? Possivelmente. Um homem que se recusa a gastar suas economias de toda a vida (ou se endividar para) um anel de casamento, e lua de mel pode ser rotulado como um pão-duro egoísta ou não um "homem de verdade". (Enquanto isso, o que exatamente constitui uma "mulher real"?) Na verdade, se uma mulher deixa um homem para sugerir que eles tentam manter seus custos sob controle, ela teria total apoio de todos ao seu redor. "Ela pode fazer melhor que isso" ... "Claramente, ele não a ama", etc ... Este é um sinal de boa auto-estima, e que ela não vai se contentar com nada menos. No entanto, no mesmo fôlego deste senso de direito, as mulheres orgulhosamente proclamar como iguais e independentes que são. No entanto, você pode imaginar se um homem exigiu igualdade de tratamento? Por exemplo, exigindo a mulher comprar-lhe um relógio Rolex, e uma caça ao urso duas semanas na Sibéria, como condição de casamento? Isso seria visto como um absurdo, mas as mulheres fazem isso todos os dias. O casamento é uma parceria, né? Por favor, continue a ler, meu amigo.
As injustiças pode ir de mal a pior quando as crianças entram em cena. Se o homem pode dar ao luxo de transportar todo o encargo financeiro, a mulher pode optar por parar de trabalhar. (Independentemente de como o homem pode sentir-se sobre a decisão.) O dia em que a mulher pára de funcionar é o dia toda a sua bagagem financeira passado inequivocamente é jogado sobre os ombros do homem. Se a mulher já acumulou dívidas de cartão de crédito, estes são agora seus pagamentos. Se a mulher não se preocupou em pagar seus empréstimos estudantis, estes tornam-se também a responsabilidade do homem. (De revirar o estômago ironia: o homem está preso pagando por
seu grau, e ela nem mesmo funcionando mais!) E pode o homem opor? Ele pode dizer: "Não, você fez a sua bagunça, e não deve ser o meu trabalho para limpá-lo. Você sabia que queria ter filhos, mesmo antes de me conhecer, e você deve ter planejado com antecedência." Não, os pagamentos não pode ser adiada até que ela é mais uma vez capaz de continuar a pagá-los a si mesma (além disso, esse dia pode nunca vir), não se ele quer manter um rating de crédito limpo para obter um empréstimo para a sua casa de sonho. Se ele mesmo sugeriu que ela voltar a trabalhar para pagar as suas próprias dívidas, ele seria castigado como um mau pai, pondo em perigo o bem-estar de seu recém-nascido. Então, o marido responsável agora compensa passado irresponsável roda livre da mãe, e compensa todas as suas dívidas. Em mais uma torção doente de ironia, o marido pode estar pagando os cartões de crédito utilizados para financiar férias e presentes de Natal partilhadas com namorados anteriores, etc Comprador cuidado! Esta é a recompensa para o homem de hoje, que trabalha duro, faz sacrifícios, planeja o futuro, e investe com sabedoria. Novamente, isso nem sempre acontece. Mas, ao se casar, o homem é, certamente, suscetível de ser atropelado por essa situação, porque é completamente aceitável dentro dos papéis de gênero de hoje aceitos. São todas as mulheres gostam disso? Não. Poderia esta ser a sua futura esposa? Possivelmente.

O casamento pode significar escravidão carreira
Qualquer um que diz: "A escravidão é morto" claramente não contemplou a situação de muitos pais americanos. Webster define a escravidão como "o estado de estar sob o controle de outra pessoa." Se o marido ganha o suficiente para sustentar os dois, ele seria duramente pressionado para fazer um argumento para preservar a igualdade, e tê-la continuar a trabalhar como ele faz. Se a mulher decide parar de trabalhar, os homens que ficaram segurando a bolsa financeira encontrar suas opções limitadas. Eles podem encontrar-se preso em carreiras que eles odeiam, ou trabalhar para a gestão de exploração abusiva, trabalho excessivamente longas horas, trabalhando em empregos que são fisicamente ameaçador, que não têm potencial de crescimento, suportando deslocamentos prolongados, etc Neste momento, considerando o canto ele foi pintado em, ele é muitas vezes impotente para afetar qualquer mudança em sua própria vida. Um marido pode ter sido abrigar delírios que uma vez que a mulher foi capaz de voltar ao trabalho, ele iria ganhar alguma flexibilidade para corrigir algumas das deficiências em sua própria carreira (por exemplo, mudar de carreira ou aceitar um salário mais baixo em uma empresa diferente, em troca de melhores horas, mais curto trajeto, e / ou o trabalho mais gratificante, etc), mas, uma realidade distinta é que ele vai continuar a assumir as responsabilidades financeiras sozinho ... recompensa de um homem para trabalhar duro e ficar à frente é tornar-se preso em sua carreira, e arcar com os encargos financeiros de uma família só. Será que pagar para trabalhar duro mais?

Se ela parar de funcionar, ela nunca pode funcionar novamente
Há muitos debates sobre os méritos de uma mãe dona-de-casa contra uma mãe trabalhadora. Meu objetivo aqui é simplesmente educar o homem sobre os riscos invisíveis que ele está tomando quando ele concorda em aceitar 100% do encargo financeiro para permitir que sua esposa para ficar em casa. Mais uma vez, uma decisão informada é menos provável de ser aquele que mais tarde se arrependeu.
Cada pai vai concordar que ficar em casa com uma criança é quebra-costas (e muitas vezes entorpecente) de trabalho. Muitos dos novos pais vai admitir que é muito mais fácil para ir trabalhar do que ficar em casa com várias crianças. No entanto, o maior desequilíbrio nos esforços e contribuições para um casamento pode se manifestar uma vez que todas as crianças estão em idade escolar. A casa está agora vazia de oito horas - três horas. A mulher tem 7 horas para si mesma, enquanto as crianças estão na escola, e que o marido está no trabalho. Depois de alguns anos de trabalho duro em casa, muitas mulheres podem sentir-se o direito de "relaxar". O bom marido no entanto, tem trabalhado esses mesmos anos, fez o seu 50/50 do trabalho doméstico, e ainda está trabalhando para sustentar a família, uma vez que as crianças estão na escola. Ele raramente é oferecida a mesma opção de escalar para trás seus esforços durante o dia.
Qual a motivação que a mulher moderna tem que voltar ao trabalho? Muito pouco. Há vários anos, o salário do homem tem sido o suficiente para viver. (Caso contrário, ela teria vindo a trabalhar.) A menos que as finanças apertadas ditam que ela deve voltar ao trabalho, o marido realmente tem pouco a dizer sobre este assunto. A mulher pode se esconder por trás de muitas desculpas diferentes, a fim de não trabalhar, apesar de ter pouco a ver a partir de 8:00-15:00:

"Estou ocupado com o trabalho doméstico"
É fácil exagerar as obras das tarefas domésticas diárias. No entanto, quanto tempo leva para lançar roupas para a lavagem, e removê-los mais tarde? Aspiração pode ser feito em 1 hora uma semana. Compras de supermercado é mais uma hora por semana. A refeição decente pode ser preparado em menos de uma hora. Será que tudo isso somam 7 horas por dia? Nota: Esta mentira não é tão convincente como ele pode ter sido no passado, porque em uma época de casamento mais tarde, muitos homens já têm experiência em cozinhar, limpar, e saber o que pouco esforço que isso implica. (Note-se que nem toda dona-de-casa-esposa ainda faz todas essas coisas.)

"Eu não posso encontrar um emprego"
Ela tem sido fora do trabalho por muito tempo, e, portanto, é incapaz de encontrar um emprego. Isso pode ser verdade, mas muitos homens não consideram esse risco quando eles concordam em apoiá-la, enquanto ela "temporariamente" pára de funcionar. (Esperemos que, agora eles vão, e pode tomar uma decisão mais informada.) Além disso, muitas mulheres podem usar esta como um bode expiatório para convenientemente não se incomodam mesmo à procura de qualquer trabalho. (Abaixo, descrevo como este ainda pode ser usado contra o marido em caso de divórcio.)

"Ele não paga para eu trabalhar"
No curto prazo, as despesas de trabalho (gás, almoço, roupas) não torná-lo útil para ela voltar a trabalhar. Isso pode ser verdade, mas isso justifica seu tênis de jogo, enquanto o marido labuta fora? Muitos casais podem ser muito míope sobre este assunto. Inicialmente, os números de custo / benefício pode não ser ideal, mas o seu retorno ao trabalho vai melhorar suas habilidades de trabalho e rede de contatos. (Mais do que passeando pelo shopping local todas as tardes.) Com o tempo, como sua carreira recebe de volta no caminho certo, e ela torna-se qualificado para o melhor emprego, seu salário também deve melhorar.
Deve ser devidamente notado que algumas esposas de trabalho ver o seu salário como "gastos pessoais dinheiro", e ainda esperar o homem para pagar a totalidade ou a maioria das contas. (O meu O que é meu, eo que é seu é nosso.) São todas as mulheres como esta? Não. Poderia esta ser a sua futura esposa? Possivelmente.

Dois pesos e duas Ainda mais injustas que favorecem esposas

Cheating
Se um homem casado trai, ele é a escória da terra, um idiota egoísta que colocou em risco a unidade da família. No entanto, quando a mulher trai, ela está convenientemente retratado como vítima. Coitada. É para ela empowerment, ou para ajudar a sua auto-estima. Pior ainda, ela fazer batota pode ser culpa do homem. Como? Ele não cumprimentá-la como seu novo homem faz. Ou ele trabalha muito. (Sim, o homem que está lutando para pagar a hipoteca e os carros que ela pode ter exigido agora é considerado negligente. O homem que pode estar trabalhando dois postos de trabalho para permitir que ela estar em casa com seus filhos é agora considerado negligente.)
Quando uma mulher trai, a primeira coisa que as pessoas perguntam é o que ele fez (ou não fez) para levá-la para os braços de outro homem.
Quando um homem trai, ninguém nunca faz a mesma pergunta.
Quando uma mulher trai, por vezes, a reação pode ser: "Ah, coitada, o marido provavelmente não era bom na cama."
No entanto, se um homem trai, ninguém pára para pensar ... "Oh pobre coitada, a mulher dele foi horrível na cama."
Além disso, se um homem passa a deixar sua esposa por uma mulher mais jovem, ele é automaticamente assumido que ele é um maníaco sexual superficial cuja motivação é apenas para estar com uma mulher mais jovem. Se sua esposa é preguiçoso, ou um perdulário imprudente, ou abusivo, ou é muito acima do peso, ou é uma mãe incompetente, estas realidades são totalmente ignorados. Não, a única razão que ele deixou é estar com uma mulher mais atraente jovem. (Não importa se ela é um jogo melhor para ele.) Porque, aparentemente, é o único fator que motiva esses neandertais.

Acordos pré-nupciais
Se um homem insiste em um acordo pré-nupcial, ele é egoísta e pouco romântico. Quando foi a última vez que uma mulher que exigiu um acordo pré-nupcial era chamado de "pouco romântico"? Ao contrário, se uma mulher pede um acordo pré-nupcial, ela é fiscalmente responsável e olhando para fora de si mesma. (Nota: Se o seu noivo de se recusar a assinar um acordo pré-nupcial, correr para as montanhas Ela acaba de mostrar sua mão..) Por que é que uma mulher pode recusar um acordo pré-nupcial, e ele aceitou. Na realidade, o homem deve ser ultrajado que ela é depois de um contrato legal, e não amor. No entanto, ninguém se solidariza com o macho neste impasse!
O que é surpreendente é a hipocrisia da reação no sentido de acordos pré-nupciais. As mulheres podem convenientemente afirmar que um homem é pouco romântico se ele sugere um acordo pré-nupcial. Afinal, como pode um homem poluir o verdadeiro amor com a assinatura de papelada legal! No entanto, o que é um contrato de casamento? As mulheres não parecem se recusam a assinar este documento legal, o que lhe garante pelo menos a metade do dinheiro de um homem ganha, e obriga-o a apoiá-la, se o caso de um rompimento. Por que os homens não estão autorizados a notar como pouco romântico deste contrato é? A distração de revistas de noivas, seleção de jantar guardanapos, igrejas, vestidos de casamento, recepções, chás de casamento, e lua de mel têm obscurecido a realidade jurídica do que os homens estão recebendo em si mesmos. O casamento é tanto um contrato legal pouco romântico como um acordo pré-nupcial é.
Ironicamente, acordos nupciais foram popularizadas no século 19, principalmente para proteger as herdeiras de se casar com homens que estavam "fora de seu dinheiro." Até Lei de Propriedade das Mulheres casadas de 1848, de propriedade de uma mulher, após o casamento, foi transferida para o marido.

Homens estúpidos
Homens são abusados ​​severamente em nossos meios de comunicação, com toda a franqueza. Basta assistir comerciais de TV / sitcoms e ver quantos refletir os homens como idiotas. (Se eles tivessem comerciais como que sobre as mulheres, as pessoas iriam ter um ataque.) Se não fosse por suas esposas que seria perdido "animais". Outros anúncios publicitários que fazem parecer que os homens agem sem pensar, impulsivamente e irracionalmente, ea mulher é o cérebro da família, que na realidade nem sempre é verdade. Mesmo que muitas mulheres vão concordar, as mulheres muitas vezes são os que agem sobre emoções e fazer o julgamento baseado apenas em ligações emocionais, em vez de lógica e da razão.

Perda do trabalho
Se um marido perde o emprego e está tendo dificuldades para encontrar trabalho, a esposa se justifica em ameaçando deixá-lo. No entanto, você pode imaginar a reação se um marido ameaçou deixar a esposa que estava na mesma posição? Ele seria crucificado! Se um homem perde o emprego, a mulher se justifica em ressentindo o fato de que o ônus financeiro recai sobre ela. No entanto, quando é um homem permitiu a ressentir-se esta mesma situação? Se um homem é demitido e se preocupa com as famílias / crianças, enquanto a mulher está trabalhando, ele pode ser acusado de não puxar o seu peso! No entanto, esta é exatamente a mesma situação que as mulheres exigem o reconhecimento por! De qualquer papel que o homem desempenha, ele perde!

Papéis tradicionais
É perfeitamente aceitável para uma mulher para exigir um homem fazer um determinado salário, a ser considerado "material de casamento", e proporcionar estabilidade. Da mesma forma, se um homem exige a esposa fazer o cozimento / limpeza, ele agora pode ser rotulado como um PIG misógino machista. Se ele pede a ela para levá-la financeiramente peso (assim como ele faz), ele pode ser criticado como um provedor inadequada. O que considerar exatamente uma mulher "material de casamento"?
Para completar, algumas mulheres ficaram tão mimado que eles não só parar seus trabalhos no dia em que descobrir que está grávida, mas eles contratam tantas babás como seu marido pode pagar. Sim, eles ficam em casa, e contratar alguém para criar as crianças e limpar, enquanto eles bebem lattes e ir às compras durante todo o dia com outras mães mimados "dona-de-casa". Este não é todas as mulheres, mas certamente as chances aumentam se o homem pode pagar. Será que pagar para trabalhar duro e chegar à frente mais, se é assim que seu suado dinheiro é desperdiçado?
São todas as mulheres gostam disso? Não. Poderia esta ser a sua futura esposa? Possivelmente. O conceito da esposa mimada é relativamente novo. América foi principalmente uma economia agrícola, mesmo se em 1920. Esposas americanas contribuiu para o bem-estar da família, ajudando na fazenda. Um homem precisava de uma esposa como um parceiro igual. Não foi até 1950 que a primeira geração de mulheres americanas começaram a surgir como peso morto. Talvez este coincide com o spiking da taxa de divórcio nos Estados Unidos. Talvez os homens tornaram-se cansado de dar tanto, enquanto recebendo tão pouco em troca.

Divórcio (aka: Licença para roubar)
50% dos casamentos americanos terminam em divórcio, e 70% destes divórcios são iniciados por mulheres. Portanto, um homem que se casa tem uma chance de 35% de ter sua esposa abandoná-lo. Todos os homens devem consultar um advogado antes de se casar, e entender as implicações do divórcio, porque eles podem participar de um quer se goste não.
Após o divórcio, todos os bens acumulados durante um casamento estão sujeitas a divisão. Mesmo que a mulher não tem funcionado nos últimos anos, e em vez disso, passou os últimos anos compras e almoçando das 8h às 3pm, ela tem direito a metade de tudo o que o homem trabalhava para durante o curso do casamento. Isso é justo? Quantas pessoas nunca iria aceitar uma oferta de trabalho que estipula que em caso de renúncia, você teria que devolver 50% de cada centavo que você já foram pagos? Ninguém no seu perfeito juízo. No entanto, os homens, sem saber, concordar com a mesma insanidade exato em que assinam seu contrato de casamento!
"Os ativos acumulados antes de um casamento estão isentos de um divórcio." Sim, em teoria. Contudo, a vida real indique o contrário. Se os fundos de uma conta são misturados, pode se tornar propriedade marital. Se até mesmo um centavo a partir de uma conta é gasto para o casamento, ela pode ser considerada propriedade marital. Compre o seu filho um pirulito de sua própria conta, e um bom advogado vai tomar 1/2 do que para sua ex-esposa quando se divorciar. Se uma mulher se muda para uma casa que o homem possuía antes do casamento, não está a salvo de divórcio. Se ela tanto como trava-se uma folha de papel de parede, a casa agora é classificado como bens do casal, e está sujeita a igual divisão. (Pior, na verdade, o homem pode ser ejetado da casa.) Isso é justo?
Nota: "igual divisão" é também um pouco um equívoco. Muitas vezes, ela pode obter mais de 70% dos ativos, enquanto o homem fica a maioria das dívidas! Isto, naturalmente, é a sua recompensa por trabalhar tão duro todos esses anos. Ele pode pagar, ela não pode porque ela não estava funcionando.

Se você cuidar de sua esposa, ele pode ser usado contra você
(Aka: Nenhuma boa ação fica impune)
Imagine-se dando um mendigo um sanduíche. Um ato generoso, de fato. Agora imagine sua reação se o homem sem-teto processa-lo no tribunal! O juiz ordena que você para continuar alimentando o homem sanduíches sem-teto, por tempo indeterminado, porque ele se acostumou com seu apoio! Isso seria categoricamente absurdo, mas isso acontece com os homens em tribunal o divórcio a cada dia. Em vez de lhe agradecer por pagar suas contas por todos esses anos, você terá a recompensa de legalmente ter de continuar a pagar as suas contas! Lembre-se de gente: Nenhuma boa ação fica impune.
Depois de ter filhos, muitas mulheres exigem para parar de trabalhar e ficar em casa. Antes de ter filhos, muitas dessas mulheres pode ter sido em carreiras que odiava, trabalhando longas horas, e duradouro longos trajetos. É a generosidade do homem e dedicação para sua própria carreira que lhe permite afastar-se dela dela. Durante um casamento, um homem com uma mulher dona-de-casa pode trabalhar-se ao osso, a fim de apoiá-la. Ele vai pagar a hipoteca, IPTU, conta de supermercado, conta de telefone, conta do cabo, e conta de energia elétrica. Ele também paga para o carro, o dinheiro do gás, roupas e férias.
Como um tapa na cara, o homem pode ser punido por trabalhando duro o suficiente para permitir a sua esposa a se dar ao luxo de ficar em casa com as crianças. Como mencionado acima, depois que as crianças estão na escola, a mulher pode desfrutar de uma vida de lazer que é oferecida a ela pelo trabalho duro do seu homem. Em caso de divórcio, ele pode ser legalmente obrigado a apoiá-la para os próximos anos. Porque ela parou de trabalhar e levou uma vida de lazer, o ex-marido é agora responsável por apoiá-la! A história tem uma tendência de reescrever-se. Originalmente, uma mulher pode ter tido uma carreira que ela pode ter odiado, e estava implorando para sair. (Na verdade, essa parte pode ter sido sua motivação para ter filhos em primeiro lugar.) Mas agora, em seus olhos (ou os olhos de seu advogado), ela "abriu mão" de sua carreira para o homem e seus filhos. Seu dom torna-se agora o seu sacrifício! Ou, a história diz que ele foi ameaçado por ela ter sua própria carreira, e forçou-a a sair e ficar em casa com as crianças. (Quantos homens você conhece pessoalmente que está chateado por ter uma esposa que ganha uma boa vida?) Muitos destes estereótipos enganosos ainda de forma desenfreada na nossa sociedade, e são usados ​​rotineiramente para a vantagem da mulher durante o divórcio. Como resultado de seu trabalho não, independentemente se ela estava cuidando da casa ou não, ela continua a ser uma responsabilidade.
Generosos, homens atenciosos que estragam suas esposas certamente deve pensar duas vezes sobre como essa generosidade pode mais tarde ser usado contra eles. A frase usada no processo de divórcio é "Ela se acostumou a um certo estilo de vida." A recompensa do marido por estragar sua esposa, hoje, é a obrigação legal de estragá-la indefinidamente. Compre-lhe um carro de luxo hoje em dia, e você pode ser obrigado a comprar seus carros de luxo, depois que ela o deixa por outro homem! No entanto ... imagine um marido que se acostumaram a comer um jantar caseiro preparado por sua esposa. Agora imagine os tribunais obrigam a ex-mulher para continuar a cozinhar para ele e sua nova namorada a cada noite, apesar de ser divorciado! Inconcebível, mas acontece o contrário todos os dias!
O insulto final, no entanto, surge quando o homem perde metade dos ativos de sua vida, mesmo quando ela decidiu deixá-lo. Sim, a mulher pode chutar um homem fora de sua própria casa, e têm os tribunais forçá-lo a continuar a pagar as contas, enquanto ela está dormindo com seu novo namorado na própria casa o marido trabalhava para comprar! Ela pode passar o cheque de pensão alimentícia em presentes para seu novo namorado! São todas as mulheres gostam disso? Não. O sistema legal apoiar uma mulher que
se sente com direito a isso? Sim.
Os riscos são claros, mas o que exatamente são os homens ficando fora do casamento? Muitas vezes, as razões homens se casam são infundadas.

Todas as razões "clássicos" por que um homem se casa são um mito
(Aka: Não acredito que o hype)

"Eu não vou morrer sozinho"
Errado. O simples fato é, que um cônjuge vai morrer sozinho. (A menos que você tanto morrer, simultaneamente, em um acidente de carro.) Seu cônjuge pode morrer 15 anos antes de você. Ou você pode estar em uma cama de hospital para o seu último ano. Sim, você pode receber os visitantes, mas eles não estão tendo os mesmos pensamentos que você é. Você está contemplando a sua mortalidade, enquanto eles estão se perguntando o que coberturas de pizza as ofertas lanchonete do hospital. Em última análise, todos nós morremos sozinhos. Casado ou não.

"Eu não vou envelhecer sozinho"
Não necessariamente. Um casamento pode autodestruir-se a qualquer momento. Seu parceiro pode iniciar o divórcio aos 30 anos, 35, 45, 50, 55, 60, etc pessoas MUITOS casadas acabam na mesma posição (por si só), como se nunca tivessem casado em tudo. (Mas eles entram em seus anos de crepúsculo quebrou, como resultado de ter sido despojado de metade dos activos da sua vida, perdendo metade de seus fundos de aposentadoria / pensão, e / ou que está sendo avaliada pagamentos de pensão alimentícia.) Além disso, experimentando devastação financeira de um divórcio pode impedir um homem de nunca se casar novamente. IE: Ele envelhece sozinho (e pobres).
Os homens são levados a crer que não se casar implica um destino de um monge solitário em uma caverna. No entanto, a vida não é tão preto e branco. Não se casar não significa que você não pode continuar a data ou ter relacionamentos significativos em toda a sua vida. Há uma abundância de pessoas solteiras em todas as faixas etárias. Na verdade, um mau casamento pode ser a mais solitária das instituições, porque a maioria de sua saída emocional e companheirismo está concentrada em uma só pessoa. Mais uma vez, o meu objetivo é educar os jovens em seus 20 e 30 com as alternativas que existem na vida. Eles devem estar cientes de que o casamento é uma
escolha, e não é o único caminho a vida tem para oferecer. Uma decisão informada é menos provável de ser aquele que mais tarde se arrependeu.

"Eu vou começar o sexo regular"
Não necessariamente. Há uma abundância de casamentos "sem sexo". Converse com alguns casais que são honestos sobre seu relacionamento. Um ou ambos os parceiros podem parar de querer sexo depois crianças. Além disso, ele continua a ser visto se o sexo com um parceiro há 30 anos é ainda um ato natural, ou apenas uma convenção artificial. O casamento é quase uma garantia de sexo regular, como muitas pessoas são levadas a acreditar.

"Eu vou ter alguém para cozinhar e limpar para mim"
Não necessariamente. Enquanto uma mulher é perfeitamente justificado em parar seu trabalho em nome de ficar em casa com as crianças, ela também pode exigir que o marido pagar por um cozinheiro, uma empregada doméstica, e uma babá. Isso deixa um homem para ganhar o dinheiro, e deixa-lo a pagar para a manutenção da família e das crianças. A mulher de hoje é autorizado pelo
não exercer as funções tradicionais da dona de casa, não importando se ela está trabalhando ou não. Se um marido pede que sua esposa executar tarefas domésticas tradicionais, porque ela não está trabalhando, ele pode ser rotulado sexista ou de controle, mesmo que ele está fazendo o seu "papel tradicional" de pagar todas as contas.

"É a coisa certa ou religioso que fazer"
Talvez, mas é uma farsa completa para assistir os casais que não têm ido à igreja em 10, 15, ou 20 anos de repente se tornam igreja vai habituais poucos meses antes de seu casamento, a fim de obter a aprovação de sua igreja. (E, na maioria dos casos, eles não voltar atrás em uma igreja no dia após o casamento.) Se você não estiver ativamente religioso, por que você precisa de seu relacionamento pessoal a ser aprovado pelo corrupto-pedofilia, isenta de impostos, -solicitar dinheiro, ladrões belicistas? (Quem você nunca vai ver de novo) Religião hoje é nada mais do que uma maneira de socializar e interagir com vizinhos aos domingos. Não é um motivo para se casar. É claro que a Igreja Católica só permite que você se casar uma vez. Então, quando se casar novamente, as pessoas divorciadas vai ter o casamento "aboliu". Um conveniente brecha feita pelo homem para contornar uma custom made-man. A farsa completa.

"Eu tenho que estar casada para ter filhos"
É mesmo? Seus ovários não precisa fisicamente um contrato na prefeitura para ser fertilizado pelo seu esperma. Cro-Magnon tinha filhos muito antes de os advogados inventou contratos de casamento. Muitas vezes, você não precisa ser casado, a fim de compartilhar os benefícios de saúde. (Devido ao movimento dos direitos gays.) Você não precisa ser casado para designar o seu parceiro em uma apólice de seguro de vida. É irônico que os pais responsáveis ​​que criam uma família saudável, mas nunca realmente assinar a papelada do casamento, ter menos respeito do que os pais ineficazes / desatenção / incompetentes casados ​​(ou divorciados).
- Ter um ao longo da vida, o relacionamento fiel não tem nada a ver com ser "casado".
- Possuir uma casa de sonho lindo juntos não tem nada a ver com ser "casado".
- Criação de crianças saudáveis, felizes e bem-sucedidas não tem nada a ver com "ser casado".
Todas essas coisas foram feitas por casais gays há anos, sem casamento. Na verdade, com o advento do casamento gay, os casais homossexuais têm provado que o único significado do casamento é ter um processo de separação formal. Caso contrário, nada mudou em seu relacionamento que existia antes de o "casamento".

Conclusão
Você precisa ser casado, a fim de lançar uma extravagante festa de três horas, e compartilhar o mesmo sobrenome, no entanto. Além disso, o casamento não faz nada, mas introduzir advogados e, figuras religiosas tortos falsos em sua vida. (As pessoas que de outra forma não têm nada a ver com a sua vida ou o seu relacionamento.)
Os homens precisam parar e perguntar: "Por que exatamente eu estou casando? O que exatamente faz o casamento significa para mim no mundo de hoje?"
Já não é um compromisso de vida, porque pode ser invertida durante a noite.
Casamento nasceu como uma forma para que as famílias se fundem terra / propriedade, talvez por isso as pessoas devem vê-lo como apenas isso. O resto da campanha publicitária é apenas fantasia falso moderno TV poluindo a mente dos jovens impressionáveis ​​de hoje, e uma maneira de manter a indústria de casamento EUA a US $ 70 bilhões por ano ao longo chugging. Talvez o único critério deve ser realmente "Estou animado para fundir minhas finanças com ele / ela?" Porque, quando todas as perfumarias e hype são cozidos distância, que pode ser a única realidade restante. (Não acredita em mim? Passe um dia em tribunais de divórcio, e você vai ver exatamente o que é real e tangível sobre o casamento. Você também vai ver as mulheres que assinaram o contrato de casamento sob pretextos românticos que agora são advogados leigos especialista que pode citar jurisprudência. Bouquet jogando ex-noivas agora envolvidos em uma guerra para conseguir tudo o que está vindo para eles!) O resto são mitos, mentiras, promessas infundadas negrito e maybes ... Para melhor ou para pior.
A taxa de divórcio nacional é de 50%. (É maior em algumas partes do país, como o CA.) No entanto, eu lhe pergunto, considerar o número de pessoas que estão em um casamento ruim, mas optar por ficar. (Os homens que não querem perder 50%, as mulheres que sabem que não podem sustentar-se sozinho, etc) Em seguida, pense em quantos mais casais permanecem juntos só por causa das crianças. Destes, "casamentos forçados", considere quantos desses casamentos envolvem infidelidade. Um tiro no escuro, mas eu estimar a porcentagem de casamentos monogâmicos felizes de ser inferior a 5%. São estas as probabilidades que você levaria em um negócio? Ou até mesmo um bilhete de rifa? A maioria da população de aversão ao risco não. No entanto, eles buscam essa exceção à regra todos os dias no altar.
Clique aqui para enviar seus comentários!

Ir para uma seção especial no ensaio:


Direitos de autor 1997-2013 The Original Não Marry Ensaio com -. Não Marry Forum, casamento, namoro, crianças, pensão alimentícia e divórcio artigos. Todos os direitos reservados pelo autor Emérito.
Não Marry Wordpress , o conselho aos jovens , Topix Não Marry americano Mulher Discussão , República Livre Conselhos para Homens Jovens , Ed Mecka Não Marry Comentário
Links Patrocinados Mail Order Bride , esposa obediente , esposa submissa , subserviente esposa Rendido Esposa Contumacius Homens

Fonte: http://do-not-marry.com/m.index.html

ShareThis

Veja também

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...