Novo endereço do nosso site

Novo endereço do nosso site
Feminismo Diabolico

quarta-feira, 30 de abril de 2014

Minha resposta para o Semeador de Ilusões da Real


Hoje eu vi no facebook um artigo irado do Semeador da Real contra a minha pessoa. Nem a Lola poderia ter me xingado tanto como aquele sujeito. Ele me chama de "traidor da Real", me chama de gay, de viado, de chupador de rola de travesti etc, etc. Mas ocorre que eu nunca fui dessa tal de "Real". Nos primeiros meses do meu blog, eu entrei em algumas comunidades do Orkut que me pareceram adequadas para divulgar o meu site. Entrei na Comunidade do Olavo de Carvalho, em algumas comunidades desse tal de movimento da Real, em comunidades católicas e evangélicas. Eu só queria usar essas comunidades para divulgar o meu site. Nunca compartilhei da misoginia desses caras da Real. Tanto é verdade, que até escrevi um livro ensinando Como Seduzir Mulheres: http://www.clubedeautores.com.br/book/147561--Como_seduzir_mulheres#.U2FH_VcreCB
Eu fui expulso de TODAS essas Comunidades, assim como fui expulso daquela especialização em Gênero e Raça da UFMS. Da Comunidade do Olavo de Carvalho eu fui expulso porque eu disse que gostava do Putin e eu admiro a Russia. Da Comunidade Contra-Feminismo no Orkut eu fui expulso, creio eu, por causa das fotos de travestis que eu publico aqui no meu site. Eu entrei numa comunidade Católica também e eu fui expulso de lá porque eu era contra o aborto. A dona da Comunidade, que se dizia católica; mas era tão feminista quanto a Lola, me enxotou de lá porque eu escrevi um post dizendo que o aborto era errado. Imagine defender uma coisa assim numa Comunidade CATÓLICA, né?  E agora, o Semeador de Ilusões da Real do Facebook também me expulsou da página dele e ainda escreveu uma bela peça de acusação contra a minha pessoa, me chamando de "gay", porque eu acho a Travesti Domino Presley muito gata. É muito dificil para ele entender que eu acho perfeitamente possível admirar algo (as travestis), sem concordar com ela (sou contra o movimento gay). Pra mim, as travestis são como o Programa Espacial Soviético: são bonitas e admiráveis, exatamente como o Programa Espacial Soviético. Mas ao mesmo tempo eu sei que toda aquela beleza foi construida dentro do erro. No caso das travestis, dentro do erro do homossexualismo e no caso do Programa Espacial Soviético, dentro do erro do comunismo. Mas, porra, o Programa Espacial Soviético foi muito bonito. É só isso que eu estou dizendo.
Enfim, o Semeador de Ilusões da Real no Facebook publicou uma matéria me chamando de "Traidor da Real", apesar de eu nunca ter pertencido a essa tal de Real:


Os traidores da Real

Para entenderem a matéria leiam: http://www.midiaindependente.org/pt/red/2014/02/529190.shtml

De alguns anos para cá, muitos guerreiros voltaram para matrix, e pior de tudo, que fala mal do movimento, cuspiu no prato que comeu, que no passado chegaram até a nós, chorando feito mariquinha e no primeiro chá de bu#ceta, volta para a matrix. Já vi guerreiros antigos falarem mal do Silvio Koerich e Nessahan Alita, uns dos principais ícones do Movimento da Real, cujo objetivo era conseguir os seus próprios seguidores. Mas, somente um que mais me chamou atenção foi esse tal de Christoffer dono do blog “Feminismo diabólico” que alguns anos atrás até ajudei na divulgação do seu livro sobre a realidade feminista.
Claro que existem discordâncias dentro da Real, ninguém vai concordar 100% de tudo o que nós falamos, mas querer começar ditar as regras e como deve ser a Real, isso não aceitamos mesmo. O Christoffer chegou ontem e já quer sentar na janela, nos chamando de psicopata, misóginos e a pior piada de todas, que não sabemos o que é o feminismo.
Reflete bem aos traidores da Real!
Querer ensinar feminismo para nós é como ensinar padre a rezar a missa, porque o Movimento da Real não caiu de paraquedas, existe desde o tempo do Orkut, onde foi a formação do nosso movimento. A Real nasceu devido o que as feministas escreviam sobre os homens na Internet e começamos a ver que não pregava a “igualdade”, mas sim um movimento de ódio contra os homens.
Na época tinha expulsado o Christoffer da página do Facebook, mas depois o aceitei de volta, porque nós temos um inimigo em comum: As feministas. Mas ele começou a escrever besteiras na página dizendo que amava os travestis, que ficava excitado quando via uma. Falava que os homens tivessem relações sexuais com gays e travestis, como forma de protesto contra as feministas, claro que isso despertou raiva nos guerreiros chamando o Christoffer de gay, mas ele ficou com raiva de ser rotulado assim.
Começou a falar que nós não sabíamos nada de Guerra Psicológica, mas ele esqueceu quem falou isso pela primeira vez dentro da Real, foi eu Márcio de Andrade, que falava isso no meu antigo blog Quebrando os Mitos. Explicava tudo como funcionava, que estão usando o sexo como arma de destruição de massas usando conceitos de Sun Tzu, da arte da guerra.
O Movimento da Real não odeia a mulher, o que criticamos é o comportamento da mulher atual e como o homem pode ser preso, por simples acusação de estupro ou pode perder metade dos seus bens na justiça. Como o sistema judiciário está a favor das mulheres, e também é visto como piada a violência da mulher contra os homens. Isso que a criticamos e não pregamos ódio.
Quem mais matam as mulheres não são os Guerreiros da Real, porque sabemos da realidade das mulheres, mas quem mais comete crimes contra as mulheres são ditos os “Machos Alpha” que não aguentam levar fora de uma mulher. Quem conhece a Real não comete nenhuma violência contra elas, mas aqueles que não conhecem cometem crimes ou suicídios. Por exemplo, já recebi vários e-mails de homens dizendo que iria matar a mulher ou cometer suicídio e não fez isso, porque tinha conhecido a Real. Como disse um confrade: “A real não é bote, mas salva vidas!”. Agora chega um Zé Ruela, fala que devemos pegar gays e travestis, ele devia estar de sacanagem com a nossa cara.

O futuro proxímo dos traidores da Real!
Como diz na filosofia oriental maya (significa ilusão, seria mesma coisa que a matrix) é muito poderosa perfeitamente persuasiva, quando menos se espera a pessoa volta com toda força para a ilusão. Na realidade o ser humano gosta de viver na auto enganação, pois a verdade sufoca a mente condicionada dele. Para muitos é um pesadelo em pensar que não pode viver sem as mulheres, vivendo uma vida miserável, sustentando uma pessoa que não dá valor adequado para ele.
Homens assim sabem que a sua vida é uma merda, mas para não sentir sozinho, ele quer arrastar os outros com ele. Muitos conheceram a Real, mas no final acabaram voltando para matrix. Muitos querem modificar a Filosofia da Real para se acomodar na sua vida medíocre, mas nós não iremos modificar a nossa filosofia para bel prazer dos manginas. Nós não temos medo de guerra, mas pelo menos sejam sinceros, jogam limpo, não inventam histórias de coisas que não somos: Misóginos.
Se quiserem viver na matrix desejo felicidades para vocês, por isso que as feministas falam que muitos guerreiros não come ninguém, porque no primeiro chá de b#ceta, falam contra nós e esquece-se de tudo o que passaram nas mãos de uma mulher, é o poder da buça.
Aos traidores do Movimento da Real é somente questão de tempo voltar tudo aquilo que passaram, não pensam que ficaram espertos porque ficaram conhecendo a Real e depois abandonaram, pensando que vai pegar as mulheres mais facilmente. Paixão significa circulo vicioso, que muitas das vezes não tem como sair e pior de tudo quer arrastar os outros com vocês. Uma pergunta para vocês:
Vejam o seu modo de pensar e de agir, se o dia a dia está realmente te mostrando isso? Sem desculpas e sem justificativas!”.

Essa é a Real

Sejam Felizes e Superam as Paixões.

Por Búfalo
desculpas e sem justificativas!”.

Essa é a Real

Sejam Felizes e Superam as Paixões.

Por Búfalo




Meus comentários: Eu escrevi o meu primeiro livro: Como combater a Diabólica doutrina do Feminismo sem saber absolutamente nada dessa tal de Real. Eu nem sabia que a palavra antônima a feminismo era masculinismo. Eu achava que o oposto a feminismo fosse machismo, por isso, no meu primeiro livro, não existem fontes masculinistas, porque eu nem sabia que existia essa palavra: Masculinismo. E foi assim, tão carente de fontes que eu escrevi o meu primeiro livro combatendo o feminismo. Somente vários meses depois de eu ter publicado também o meu site Feminismo Diabólico que eu descobri esse tal de "Movimento da Real". Portanto, eu não devo nada a eles, já que eu me tornei antifeminista muito antes de sequer saber que esses misóginos existiam. Eu não quero ensinar feminismo para esse pessoal da Real. Tudo o que eu quero desse pessoal da Real é que eles fiquem longe de mim e parem de acessar o meu site, porque com "amigos" iguais a eles, quem precisaria de inimigos como a Lola?  Veja bem que a minha missão é destruir o Feminismo. Se esses caras da Real já sabem que o feminismo não presta, então por que diabos eu deveria tentar ficar bajulando eles? Eu tenho que atingir as mulheres e os homens que ainda acham que o Feminismo é uma coisa boa. Eu tenho que atingir os gays, para convencê-los a não apoiarem o movimento gay e assim enfraquecer o movimento gay. Tenho que convencer as mulheres a não apoiarem o feminismo, para assim enfraquecer o feminismo. E dar os insights de guerra psicológica para os católicos e evangélicos destruirem o feminismo. PONTO FINAL. O objetivo do meu site não é agradar os membros do Movimento da Real. O meu site é uma máquina de demolição do feminismo. Se você é do Movimento da Real, então é melhor você parar de acessar este meu site, porque eu gosto de mulheres e gosto de travestis e não tenho nada contra os gays. Se você já sabe que o Feminismo não presta, então não há mais nada que eu possa fazer por você. Eu quero os não-convertidos, os gays, as feministas, os estragados, os tais dos manginas, porque eles sim eu posso convencer de que o feminismo não presta. Não tenho ânimo, interesse, vontade e nem disposição para tentar convencer os guerreiros da Real de nada. Acreditem no que quiserem acreditar. Tudo o que eu quero desses Guerreiros da Real é que fiquem longe de mim e esqueçam que eu existo, para que eu possa retribuir a gentileza na mesma medida.

domingo, 27 de abril de 2014

10 Regras simples para os homens combaterem o feminismo no dia a dia

O Feminismo é a ideologia mais perigosa e diabólica que já surgiu na história da humanidade. Nunca antes na história deste planeta houve uma ideologia tão pervertida em seus conceitos e métodos. O Feminismo propõe excluir a metade da humanidade de seus direitos, posses e recursos: os homens. E também, o feminismo defende a vitimização da mulher, tratar a mulher como se ela sempre fosse vítima, mesmo quando ela for a algoz. Por esses motivos é preciso contrapor-se radicalmente contra o feminismo, negar a elas qualquer pedido e posicionar-se contra toda exigência feminista a partir de agora. Mas, além disso, existem mais algumas coisas que podemos fazer, no combate de infantaria contra o feminismo:

1) Sempre esteja do lado certo, do bem, do justo, da religião, de Deus e do correto. Não defenda pontos de vista errados e nem filosofias injustas. Fique do lado da lei, da moral, dos bons costumes, de Deus e da Religião. Devemos deixar para as feministas a defesa da violação da lei, da moral e da religião. Nós, antifeministas e masculinistas devemos sempre defender cumprir a lei, obedecer a moral e seguir a religião.
2) Sempre devemos enfatizar para a opinião publica o quão imorais são as feministas e as causas que elas defendem. Elas defendem o aborto, o infanticidio, a legalização das drogas e da pedofilia. Lá na Europa elas conseguiram legalizar a EUTANÁSIA DE CRIANÇAS. É preciso fazer propraganda e ampla divulgação das imoralidades feministas, para mostrar para a sociedade quão pervertidas e imorais são as feministas. Esta é a forma de punição MORAL, que gera a condenação por parte da sociedade; mas que não gera punição do Estado; mas que também é uma excelente forma de punirmos as mulheres feministas pelos seus maus comportamentos.
3) Apoiar outros homens que combatem o feminismo. Ajudando-os econômicamente, moralmente, e divulgando seus sites, livros e revistas para o maior número possível de pessoas. Sempre estar pronto e alerta para discutir e defender os pontos de vista masculinistas e antifeministas em qualquer discussão que porventura você tenha parte. Não deixe uma mentira ou afirmação feministas sem resposta: Contradiga-a, ridicularize-a e faça com que todos vejam que o feminismo não é mais unanimidade na sociedade, que agora existe uma corrente filosófica e teórica forte e bem fundamentada que se contrapõe ao feminismo: o Masculinismo.
4)As feministas também defendem abertamente a violação sistemática das leis vigentes, através da promoção do aborto, do tráfico de drogas, da pedofilia, e dos atentados ao pudor que elas cometem através das Marchas das Vadias, bem como as violações aos direitos religiosos dos cidadãos nas famigeradas marchas e protestos que elas realizam. É preciso acionar a Justiça, o Ministério Publico e a Policia contra as feministas, para puni-las com todo o rigor da lei.
5) O Masculinismo se contrapõe ao feminismo; mas os masculinistas não são os únicos inimigos do feminismo. Todas as religiões são também inimigas naturais do feminismo, e nós, antifeministas, conseguiremos grandes vitórias se nós coordenarmos um trabalho de contra-ataque e reação religiosas contra o feminismo. É preciso instigar os religiosos a atacarem e criticarem o feminismo. A usarem o púlpito, as emissoras de TV, rádio, internet e outos meios de comunicação que eles tem a disposição, para criticar, combater e demonizar o feminismo e as feministas.
6) O Masculinismo precisa adotar as técnicas de Guerra Psicológica para combater o feminismo. É preciso que adotemos a estratégia perfeita de demolição da credibilidade do feminismo perante a opinião publica. Inscrevam-se GRÁTIS no meu Curso de Guerra Psicológica contra o Feminismo: http://www.antifeminismo.com.br/user-login/
7) Transforme-se num produtor de conteúdo antifeminista. Use a internet, o seu jornal local, a sua câmera de videos para fazer documentários e divulgue ao máximo as idéias antifeministas. Ensine os outros homens os argumentos que eles poderão usar para refutar as falácias feministas. Divulgue sites que combatem o feminismo para seus contatos de e-mail, Orkut, Twitter, Youtube e facebook e peça para eles fazerem o mesmo, mantendo viva essa corrente do bem. Escreva artigos para jornais, revistas, sites de internet, blogs ou para seu próprio site, criticando aspectos do feminismo e o feminismo como um todo. Ensine aos homens como eles poderão combater o feminismo e refutar os seus argumentos.
8) Nunca se sinta culpado ou com compaixão por uma mulher, porque é isso que as feministas querem. Elas querem mudar as emoções que os homens sentem. Se, naturalmente, um homem sente amor por uma mulher, as feministas tentam sistematicamente mudar essa emoção e transformá-la em compaixão ou culpa. De preferência as duas emoções, que são as emoções dos manipuladores, pois só manipuladores baratos conscientemente fazem coisas conscientes para despertar a compaixão e a culpa das pessoas. O objetivo disso é manipular e escravizar os homens sob a vontade das mulheres. Nunca permita que tal coisa aconteça.
9) Nunca vote em mulheres nas eleições políticas. Nenhuma mulher deve exercer cargos políticos, pois as mulheres tem uma noção de valores diferentes dos homens. Os valores das mulheres são RELATIVOS, enquanto os valores dos homens são ABSOLUTOS. Isso significa que, para as mulheres, uma coisa é boa, desde que provoque nela boas emoções. E uma coisa é má, se provoca nela más emoções. Com isso, os valores das mulheres sempre são RELATIVOS e elas são capazes de defender as maiores atrocidades e injustiças, se tais atrocidades as fazem ter boas emoções e se sentirem felizes. É por isso que as mulheres na Europa estão defendendo a legalização do infanticidio, da eutanásia de crianças e da pedofilia. Isso faz elas se sentirem bem consigo mesmas e, portanto, elas concluem que é algo certo. Já os homens, tem um conceito de valores ABSOLUTOS, o que significa que para um homem uma coisa ou é certa ou é errada. Não dá para negociar com a verdade. Até os homens que cometem crimes, SABEM que fizeram coisa errada, justamente por causa dos valores ABSOLUTOS. Já uma mulher criminosa acredita piamente que ela está CERTA, porque o crime que ela cometeu a fez se sentir bem consigo mesma, então ela conclui que aquilo foi algo BOM, justamente por causa dos valores RELATIVOS que elas têm. Portanto, as mulheres são inerentemente perigosas demais para se imiscuirem na Política. Imagine uma lunática assim com o poder de lançar misseis nucleares?
10) A nossa propaganda de Guerra psicológica contra o feminismo deve ter o caráter RACIONAL. Nós temos que falar a VERDADE sempre. O objetivo da nossa propaganda deve ser esclarecer a opinião publica do quão imorais e pervertidas são as feministas e o quão errada e injusta é a ideologia do feminismo. Mas nós não devemos usar de mentiras e falácias na nossa propagada. Tudo o que dissermos para o publico deverá ser verdadeiro e ter credibilidade e confiabilidade das fontes. Essa estratégia se opõe totalmente à estratégia feminista, que consiste em usar a propaganda puramente emocional, de mentiras e falácias, que tem o objetivo de gerar emoções nas pessoas: ódio e medo nas mulheres e culpa e compaixão nos homens. Se você fora analistar a propaganda feminista, mais de 90% dela consiste em fazer surgir nas pessoas uma dessas quatro emoções, para manipular as opiniões e as crenças delas. Nós não devemos agir com esse tipo de trapaça. Nós não devemos tratar a opinião publico como se fossem animais passiveis de condicionamento pavloviano, que é como as feministas tratam o povo. Nós temos que esclarecer e instruir a opinião publica sobre a maldade intrínseca do feminismo e que nós, antifeministas e masculinistas estamos do lado do certo, do bem, da religião e de Deus.



sábado, 26 de abril de 2014

Conheçam a Mulher Fruta Pão

É ou não é ridiculo uma mulher-bagulho como essas agirem como se fossem gostosas e desejadas? Mas o pior é que são justamente essas gordas escrotas que viram feministas e vivem cacarejando sobre a inexistente cultura do estupro. A mulher moderna é muito sem noção mesmo.

sexta-feira, 25 de abril de 2014

Discutir comédia romântica pode salvar casamento, diz estudo

Discutir comédia romântica pode salvar casamento, diz estudoPor Danilo Barba | Sexo Oposto – qui, 3 de abr de 2014 00:31 BRT

Fonte: Think StockSe você não se sente confortável em adotar terapias e programas de aconselhamento pré-casamento, assistir e discutir filmes também podem ajudar casais a repensar e desistir da separação. Pelo menos é o que afirma uma nova pesquisa publicada pelo Journal of Consulting and clinical Psychology. Debater cinco filmes sobre relacionamento por mês reduz a expectativa de divórcio no terceiro ano. Segundo os pesquisadores, a maior evidência encontrada foi a redução na taxa média de separação para recém-casados, que simplesmente caiu pela metade. O experimento, que envolveu 174 casais, é o primeiro a investigar os diferentes tipos de programas de intervenção oferecidos antes da união.

Você não nasceu grudado nela Fonte: Think Stock
A descoberta mostra que a aproximação mais leve e divertida de conversar sobre a ficção do cinema pode ser tão eficiente quanto qualquer método terapêutico intenso — reduzindo a taxa de separação de 24% para 11% após três anos.
“Os resultados sugerem que maridos e esposas têm um ótimo senso do que podem estar fazendo certo ou errado na relação. Portanto, não há necessidade de ensiná-los muitas coisas para que diminuam a taxa de divórcio. Basta fazê-los pensar na maneira que estão se comportando ultimamente”, comentou Ronald Rogge, professor de psicologia na Universidade de Rochester e autor da pesquisa. A pesquisa foi desenvolvida em parceria com Thomas Bradbury, professor de psicologia e co-diretor do Instituto do Relacionamento da Universidade de Los Angeles. Fonte: Think Stock

Talvez mais excitante, acrescentou Rogge, é que este tipo de exercício pode abrir novas possibilidades para nutrir laços nupciais numa escala mais ampla. “Se os casais se sentem confortáveis em fazê-lo por conta, fica bem mais fácil ajudá-los”. A abordagem pode ser uma ótima alternativa para os casais que não ficam à vontade em terapias de grupo. “Assistir um filme e discutí-lo juntos não é tão assutador. É menos estigmatizante”, sugere o cientista. Fonte: Think Stock

Os participantes tiveram que assistir um filme focado em relações íntimas por semana — e manter uma conversa orientada sobre a trama por cerca de 45 minutos — durante um ano inteiro. Eles não receberam qualquer tipo de treinamento ou instrução de como deveriam fazer isso, e todos estavam numa faixa etária parecida, e apresentavam um grau similar de instrução e satisfação com seus relacionamentos.
Casais interessados em testar o método e ajudar a aperfeicoá-lo podem conseguir mais informações acessando www.couples-research.com. Embora esteja em inglês, o site de Rogge oferece ferramentas interativas para ajudar com o processo, inclusive sugerindo uma lista de filmes e questões que podem ser usadas na discussão.

Fonte: https://br.mulher.yahoo.com/blogs/sexo-oposto/discutir-com%C3%A9dia-rom%C3%A2ntica-pode-salvar-casamento-diz-estudo-033152640.html

Guia masculino da separação: superando o término em cinco passos

Guia masculino da separação: superando o término em cinco passosPor Danilo Barba | Sexo Oposto – ter, 22 de abr de 2014 23:43 BRT


Fonte: Think Stock
Frequentemente nos pegamos conversando por telefone sobre separação com um amigo – isso quando não somos nós nessa situação. Se eles estão meio que chorando ou gritando do outro lado, você já até espera que seja um término. Aí você analisa o caso dele e percebe que o cara cometeu os erros típicos de um sujeito que acabou de terminar um relacionamento longo, e agora está se sentindo o mais solitário do universo. É bom ir com calma, rapaz! Segundo cientistas, um término pode realmente ser um momento difícil, tanto quanto se livrar de um vício.
O estudo sem precedentes, feito pela Rutgers University e publicado na edição de julho do Journal of Neurophysiology, examinou o cérebro de pessoas que haviam terminado seus relacionamentos e não conseguiam superar o seu relacionamento. “O amor romântico é um vício”, disse a autora da pesquisa Helen E. Fisher, antropóloga biológica. “É um vício muito poderoso. Maravilhoso quando as coisas estão indo bem e horrível quando as coisas estão indo mal”, afirma ela.
Se você é esse cara descrito nos parágrafos acima, amigo desse tipo ou conhece ele, não se desespere, pois há solução pra tudo nessa vida. Fique ligado nas cinco dicas sobre como superar o seu “vício” e não ser infantil quando terminar com ela. Clique nas próximas páginas.

1. Descubra por que você se separou
Algumas separações estão fora de nosso controle pois, na maioria das vezes, as partes envolvidas contribuíram para o fim de alguma forma. Em vez de gastar seu tempo desejando a morte da ex ou que ela pegue uma doença sexualmente transmissível com o novo pretendente, gaste seu tempo refletindo sobre seu relacionamento, prestando mais atenção nos erros que você pode ter cometido. Se necessário, escreva numa folha aquelas vezes que você errou feio e quase assinou o atestado de óbito do relacionamento. Mesmo se sua ex tiver te traído, quase sempre há um motivo – descubra a fonte disso. Se você for capaz de controlar suas emoções durante uma conversa, pergunte a ela o que a fez seguir em frente, assim você mata a charada e enfrenta o jogo, porque superar, meu jovem, só depois de encarar essa mesmo.

2. Não destrua as memórias de vocês
Muitos homens terminam seus relacionamentos e passam a repugnar o amor e a felicidade, o que acaba fazendo com que eles tratem suas futuras namoradas como um jogo de vídeo game. Tudo parece um grande circo, porém com um único palhaço, e neste caso certamente não é a namorada. Digamos que esse ciclo precise ser interrompido para que o relacionamento não vire uma guerra. E é claro que você deve se livrar das coisas que vão te fazer lembrar dela e chorar, mas vale manter certas memórias, aquelas que servirão de exemplo de como os tempos não foram sempre tão difíceis assim entre vocês. Se não houver essa correlação, outro relacionamento poderá começar, embora certos traumas te farão agir de maneiras que irão custar para sua nova parceira aceitar e entender.

3. Não durma com todas...ainda!
Após o término, o maior erro que os homens cometem é derramar suas lágrimas num mar de mulheres estranhas. Isso pode fazer você se sentir melhor no início, mas qualquer paquera que você tiver antes de estar recuperado do término recente poderá barrar seu progresso emocional. Assim que você concluir sua meta de ficar com todas as menininhas da cidade, você vai acabar aonde começou – ou pior. Neste caso, seria recomendável ficar um tempo sem relacionamento sexual, pelo menos um mês ou o quanto for necessário. O conselho basicamente é: enfrente a fossa saindo dela, jamais fugindo.

4. Não tente se vingar da sua ex
Quando nosso coração está partido, começamos a ficar mais egoístas – é inevitável. O comportamento egoísta leva a hábitos egoístas, e hábitos egoístas levam a um estilo de vida egoísta, onde você perde o bom senso. Mesmo que a amiga gatinha da sua ex sempre tenha te dado umas olhadas suspeitas, é melhor você segurar a onda, e não se vingar saindo com a amiga bem agora. Em primeira instância é fácil comprar essa ideia, porém depois do serviço feito isso vai te fazer se sentir ainda mais idiota do que aquele “antigo você” que sua ex largou há algum tempo. Respeite-a mesmo quando ela não te respeitar. Isso o ajudará a se respeitar mais quando você finalmente se livrar desse carma.

5. Faça da escuridão sua aliada
Todos nós temos aquele período de reflexão em que ruminamos tudo o que aconteceu. A reflexão pode parecer triste para alguns, entretanto é um momento em que ficamos emocionalmente conectados com nós mesmos de uma forma que raramente acontece.
Explorar essas emoções obscuras é um jeito de se conhecer. Escreva, leia, ou produza músicas se você souber. Use o tempo que estiver sozinho para se conhecer fazendo algo criativo. Aproveite a fossa para aprender com a experiência terrível de se livrar de um “vício”.

Fonte: https://br.mulher.yahoo.com/blogs/sexo-oposto/guia-masculino-da-separa%C3%A7%C3%A3o-superando-o-t%C3%A9rmino-em-024356856.html

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Leiam o desabafo de uma mulher contra a Marcha das Vadias:

Porque EU sou contra a marcha das vadias

Primeiro eu gostaria de alertar que o artigo NÃO é recomendado para menores de 18 anos. Neste artigo, destacam-se: cenas fortes, atentado violento ao pudor, nudismo e palavras de baixo calão que ofendem e denigrem a fé cristã entre outras religiões, frases de ódio ditas pela marcha das vadias entre outras imagens e frases ofensivas. Recomendamos cautela.vadias3
Segundo: A matéria se trata de uma opinião pessoal. Como todos temos o direito a liberdade de expressão e opinião, venho por meio deste canal, colocar a minha visão sobre tal marcha que vem influenciando adolescentes e  jovens-adultas da classe média, média-média e média-alta por ter um caráter ilusório de liberdade sexual e luta pelos direitos das mulheres. Ressalto que, não há mais direitos a serem conquistados. O que queríamos, já é exercido desde 1950 (se não me engano). Todos os direitos como um todo… Estudar, trabalhar, divórcio… Ocupar cargos masculinos… Enfim… Esclareço que, o aborto não é um direito da mulher, quando o feto é concebido em uma relação sexual consentida, pois não se mata uma vida para “mascarar” um erro da mulher de não se proteger. O seu corpo é uma coisa… O feto dentro de você é outro corpo, por isso o aborto tem e deve ser considerado crime hediondo. Afinal, com tantos direitos conquistados, por que não usar um deles que é a proteção. Camisinha, pílulas anticoncepcionais e pílulas do dia seguinte são dadas até em posto de saúde. Portanto, não use a sua necessidade psicopata em matar um inocente indefeso com o argumento que o corpo é teu.
Terceiro: Da mesma forma que vocês exigem respeito por aquilo que vocês lutam e fazem, respeitem opiniões contrárias. Vocês não possuem a verdade absoluta e nem eu! Portanto, cada um com a sua convicção e opinião. Respeite para ser respeitado. TODOS TEMOS O DIREITO A OPINIÃO E LIBERDADE DE EXPRESSÃO.
psico

A “Marcha das vadias” não passa de um movimento para as “mulheres” lutarem por promiscuidade, vem chocando e ofendendo pessoas. Enquanto o Papa pregava a fé, a tolerância, o respeito e o amor propriamente dito, estas “mulheres” destruíram a imagem de Nossa Senhora, simularam sexo com o crucifixo e hostilizaram os cristãos.
vadia
Mulher não é mercadoria, mas esta marcha propõe, em forma de dicotomia, exatamente isso. Que a mulher seja vista como uma mercadoria em que você possa fazer sexo, sumir no dia seguinte que elas dão conta do “recado”. Se engravidar, ela aborta, se for contaminada com AIDS, hoje mesmo ela contaminará alguém, afinal, o corpo é delas e elas o usam da forma que bem entendem, inclusive contaminando pessoas com doenças sexualmente transmissíveis. A senhora gostaria que seu filho se relacionasse com uma “mulher” dessa? Que esta mulher nua da imagem fosse sua nora? Ou que a sua filha seja amiga de uma “mulher” que se porta de forma vergonhosa, manchando a imagem da verdadeira mulher?
vadia1 vadia2
Elas denigrem e mancham a imagem das mulheres. Uma mulher como eu, como à senhora, como a sua esposa, filha, irmã, etc…, batalhadoras, guerreiras, trabalhadoras… Que acordamos cedo, cuidamos dos nossos filhos (e as casadas, de seus maridos), vamos trabalhar, estudar, ajudar no orçamento doméstico, mantemos uma postura diante da vida e da sociedade, sermos chamadas de “vadias” por um bando de “mulheres” ensandecidas que desvirtuaram completamente o movimento feminista?! Querem ser igualadas a estas “mulheres”?
escrota
Mulheres entre aspas, pois estas não são MULHERES. Mulher se dá ao respeito, tem postura, não faz manifestação NUA, expondo filhos e familiares e, muito menos admite em hipótese alguma ser chamada de “vadia”, mesmo sendo um trocadilho com o linguajar masculino usado referindo-se as mulheres que fazem sexo indiscriminado.Um movimento que impõem intolerância, inverdades como “aborto natural também pode virar crime” para convencer pessoas a serem a favor do aborto, onde estas mulheres se relacionam sem proteção e acham que o maior problema é a gravidez, sem se preocupar com a disseminação da AIDS entre outras doenças sexualmente transmissíveis.
Um movimento recheado de promiscuidade, inverdades, intolerância, ódio e atentando violento ao pudor.
vadias4
Esta imagem, por exemplo, um manifestante contra a igreja Católica, introduz uma cruz na cavidade anal. Sim senhores, é um homem, introduzindo em seu ânus, um crucifixo, por uma “mulher”.
vadias5
Esta faz menção a Virgem Maria, demonstrando total desprezo ao significado da Virgem Maria, mãe de Jesus Cristo.
Mulheres cheias de ódios e ensandecidas, cansadas de suas vidas vazias e fúteis. Frases como: “O seu fundamentalismo bate na minha xoxota gostosa e volta pra você”, “O útero é meu e faço quantos abortos eu quiser”, “a buceta é minha e eu dou pra quem eu quiser”, “Meu gozo é uma delicia”, “Eu adoro gozar gostoso”, “Eu toco uma siririca (masturbação feminina)“ entre outras frases de baixo calão, ofensivas e amorais.
vadias6
Isso não é uma manifestação digna e muito menos luta por um ideal concreto. Luta, pela única e exclusiva ideia de liberar o aborto. Apenas pelo direito de matar bebês quantas vezes assim o desejarem com O NOSSO DINHEIRO. Sim, elas querem que isso seja feito pela rede pública. Não passa a ideia e muito menos é cogitada a ideia do uso de métodos contraceptivos tais como: preservativo masculino, preservativo feminino, pílulas anticoncepcionais, DIU, injeção de hormônio, pílula do dia seguinte entre outras formas de prevenção. Elas apenas desejam o aborto e o sexo promíscuo e indiscriminado.
Elas não lutam pelo direito a um ensino melhor e muito menos por melhorias hospitalares. Elas não lutam pelos menores abandonados, pelas crianças que sofrem abusos físicos e psicológicos e nem pelas mulheres que são espancadas diariamente. Elas lutam pelos seus desejos egocêntricos e fúteis. LUXURIA.
vadias7
Sexo promíscuo e indiscriminado já é pratico há muito tempo no Brasil. Não só neste Pais, mas em muitos outros, onde a liberdade sexual vem sendo confundida com libertinagem sexual. Ser a favor do aborto depois que nasceu é fácil neh?! Já que elas são a favor de matar filhos “indesejáveis”, elas poderiam se suicidar… Afinal, quem garante que seus pais tem orgulho do que elas andam fazendo por aí?
vadias8



Pedem respeito dizendo que mulheres não são glúteos e seios, mas saem nuas, segurando cartazes com os seguintes dizeres: “A porra da buceta é minha e eu dou pra quem eu quiser”.
Colocam e expõem crianças em mais tenra idade neste pseudo-protesto, banalizando a imagem da mulher e, mostrando para estas crianças que mulheres são objetos sexuais e assassinas de bebês. Ensinam a estas crianças que ter Deus (Jesus, Alá… Enfim, como quiserem) em seus corações e seguir uma vida moralmente regrada, se respeitando e respeitando os outros é errado e feio. Mostram que o legal é o sexo, a nudez, a violência, a intolerância e, claro, o assassinato de bebês.
vadias11
Esta garotinha segura um cartaz escrito: Meu corpinho, minhas regrinhas, desde já e sempre e, nas coxas, a palavra PUTA. Elas caracterizaram uma criança tão pequena como dona de seu corpo, com discernimento sexual e, o rótulo de PUTA. Cadê o conselho tutelar?
Esse pseudo-protesto é uma imensa contradição por si só. As feministas do movimento não lutam por um ensino melhor, por condições de trabalho melhor para as mulheres… Pelo fim do assédio sexual e moral no trabalho, faculdade, transportes públicos, vias públicas, estágios, etc… Elas lutam pela legalização do aborto, o direito de expor seus corpos nus em vias públicas sem serem questionadas ou incomodadas, ressaltando que homens andam sem camisetas (elas só esqueceram que homens não possuem seios. Seios que culturalmente são símbolo da feminilidade e aleitamento materno, portanto não é de bom tom expô-los como se fossem objetos a venda em uma vitrine qualquer). Lutam contra qualquer tipo de consciência religiosa, lembrando que:
“A Constituição Brasileira garante o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e as suas liturgias” (artigo 5.o, inciso VI).
vadias13
Uma “manifestação” como essa é um ato de agressão aos princípios e crenças pessoais, que devem ser respeitados. Portanto independente da Igreja (Católica, Evangélica, ou outras…) é algo extremamente agressivo e desrespeitoso.
vadias14
Esta leva em seu corpo nu o desenho de um terço católico onde a cruz esta próxima a púbis, com os dizeres em seu peito nu: “Basta de Rosários”.
Hostilizam  TODOS OS CONSERVADORES E CRISTÃOS, agridem verbalmente e visualmente idosos, jovens, adultos e crianças. Elas agem como se a verdade delas fosse absoluta e única e ninguém tem o direito a pensar diferente, pois aqueles que pensam são hostilizados e ridicularizados por elas.
Estas “mulheres” PODEM E DEVEM SER PROCESSADAS. Atentado violento ao pudor, agressão verbal, hostilização e repreensão contra pessoas que, garantidos pela lei, estavam cultuando e exercendo a sua fé.
Elas protestam por protestar, não se trata de uma questão de princípios ou de defesa de causas sociais. Trata-se de um movimento, com a finalidade de fazer tumulto, baderna, falta de respeito, apelação e preconceitos respaldados pelo nome de “protesto”.
Manifestações deste nível deixam clara a sua mensagem, de que tudo podem, em nome de um pseudo-protesto, pois estão acima da lei, mesmo quando
proclamam sobre assassinatos e estupros de que são vítimas, as “vadias” se esquecem que os verdadeiros estupradores e assassinos não se comovem com palavras de ordem e sim, têm seus instintos aguçados por seus corpos que as próprias expõem e pela revolta de tais atos. PORÉM, EM NENHUM MOMENTO ELAS SE COLOCAM CONTRA A PEDOFILIA E O ABUSO FÍSICO E PSICOLÓGICO DE CRIANÇAS.



Jovens universitárias — protegidas por familiares e amigos — expõem os seios em praças públicas, dizendo que adora gozar, mostrando uma nudez ostensiva, como se fora um bem de uso público, falando: “Meu corpo, minhas roupas curtas e minha nudez não é um convite ao sexo”. Essa atitude incentiva SIM o estupro e a banalização feminina, incentivando os homens a nos verem como objetos sexuais. De fato, as “vadias” não induzem, com sua atitude, o estupro de si mesmas, mas, sem dúvida, contribuem para transformar a mulher em objeto e, ao fazê-lo, reforçam nos machos brutais a convicção de que mulher é mesmo para ser usada. Porém estes homens não terão acesso às protegidas “vadias” das marchas — suas vítimas serão quase sempre as infelizes mulheres de periferia, que acordam as 04:00 da manhã, embaixo de sol e chuva para trabalhar por um salário mínimo. A marcha das vadias passam a falsa impressão de liberdade feminina, levando jovens garotas, sem muito discernimento a aderirem um movimento falso e agressivo, sem fundamento e ideais.

Esse video  trata-se de um funk, feito pelos membros da Marcha das Vadias. Não sei se sinto pena ou repulsa…. Há um trecho em que elas dizem: “Criancinha libertária quer viver sem opressão”. Isso mesmo… apoiam a pedofilia e o sexo precoce como se a criança tivesse o discernimento sobre sua vida sexual
mulher de verdade
Elas ainda têm a cara de pau e a falta de discernimento de pedir respeito. Respeite para ser respeitado. O movimento feminista genuíno vai muito além de pedir a liberação do aborto, sexo sem compromisso e promiscuo. O movimento feminista caracteriza a luta das mulheres por direitos iguais, tais como: Salário condizente, o direito ao acesso á cultura e educação, o direito a voto, entre outros garantidos em cláusula pétrea na Constituição Federal. Nos mulheres NÃO queremos que estupradores saiam impunes, que maridos, namorados e/ou companheiro nos espanquem e saiam livre, não queremos que nossas crianças sejam objetos sexuais e “saco de pancadas” e que o agressor seja responsabilizado e exemplarmente punido… Queremos que estes crimes sejam tidos como HEDIONDOS. Queremos o direito de sustentar os nossos filhos com dignidade e tranquilidade sem ser alvo de preconceito da sociedade. Queremos o direito de exercer profissões ditas como exclusivas do homem, com a equiparação salarial. Queremos ganhar de acordo com a nossa função desempenhada e não de acordo com o nosso sexo. Nos não queremos ser contratadas pela nossa aparência e sim pela nossa capacidade. Nos não queremos ser vistas como símbolo sexual e sim como seres humanos, dotadas de direitos, inteligência e necessidades.
O movimento feminista, desde que surgiu a marcha das vadias, que ao meu ver, suas participantes são realmente vadias, pois mulher que é mulher, é guerreira, trabalha, estuda, paga suas contas e não saem por ai, mostrando o corpo, aceitando ser chamada de “vadia” e hostilizando a fé dos outros, perdeu a sua essência, sendo banalizada e ridicularizada por  tais participantes.
Lutar pelo direito ao aborto é muito fácil depois que se nasceu. Se cuidar e se prevenir, ninguém quer… Matar uma vida, ai sim! Normal…
Essas pseudo-mulheres não tem um ideal concreto para lutar, a não ser pedindo respeito ao direito do sexo promiscuo (Como se isso já não fosse super comum) ainda se dão ao direito de hostilizar as pessoas…
É preciso resgatar a real essência do movimento feminista, para não saírem expondo seus corpos, envergonhando sua família e seus filhos.
Triste, lamentável e desprezível.
Esse tipo de “mulher” não representa a população feminina que não tem tempo para essa palhaçada, pois estas estão estudando, trabalhando e lutando pelos direitos igualitários e por um futuro melhor para si e seus filhos.
vadias16 vadias16
Lutar contra o preconceito contra a mulher já é por si uma luta desgastante ainda mais quando umas quantas desocupadas que não se valorizam fazem tudo para denegrir aquela que é a imagem da mulher de verdade.

Fonte: http://meupensamentolivre.com.br/porque-eu-sou-contra-a-marcha-das-vadias/

terça-feira, 22 de abril de 2014

Silvio Santos dá um bom conselho para as mulheres




Como entender que a Igreja não erra?



Todos os domingos o católico professa sua fé dizendo crer na Igreja Una, Santa, Católica e Apostólica, “esses quatro atributos, inseparavelmente ligados entre si, indicam traços essenciais da Igreja e da sua missão. A Igreja não os confere a si mesma; é Cristo que, pelo Espírito Santo, concede à sua Igreja que seja una, santa, católica e apostólica, e é ainda Ele que a chama a realizar cada uma destas qualidades”, assim ensina o Catecismo da Igreja Católica em seu número 811.
Atualmente virou moda afirmar que a Igreja é “santa e pecadora”. Esse pensamento não poderia ser mais errôneo. A Igreja é santa e imaculada, contudo, os seus membros são pecadores. Para explicar essa afirmação o Catecismo, por meio de um discurso do Papa Paulo VI, diz que:
"827.A Igreja «é santa, não obstante compreender no seu seio pecadores, porque ela não possui em si outra vida senão a da graça: é vivendo da sua vida que os seus membros se santificam; e é subtraindo-se à sua vida que eles caem em pecado e nas desordens que impedem a irradiação da sua santidade. É por isso que ela sofre e faz penitência por estas faltas, tendo o poder de curar delas os seus filhos, pelo Sangue de Cristo e pelo dom do Espírito Santo»”.
Assim, a Igreja é como um núcleo e cada católico é um membro que pode do núcleo aproximar-se ou afastar-se. Ao aproximar-se da Igreja, o católico é cada vez mais santificado pela Graça que dela emana. Da mesma forma, se livremente o católico decide afastar-se dela, por sua própria responsabilidade, afasta-se da comunhão com o Corpo de Cristo.
A santidade da Igreja é uma realidade que pode ser observada ainda em outros aspectos. Ela tem ainda a característica de ser infalível em matéria de fé. O próprio Cristo cuidou para que assim fosse:
“889. Para manter a Igreja na pureza da fé transmitida pelos Apóstolos, Cristo quis conferir à sua Igreja uma participação na sua própria infalibilidade, Ele que é a Verdade. Pelo «sentido sobrenatural da fé», o povo de Deus «adere de modo indefectível à fé», sob a conduta do Magistério vivo da Igreja.”
Trata-se, portanto, de um rebanho que há de permanecer fiel à Igreja mesmo sob tribulações. Não se trata de quantidade, mas sim de qualidade. De pessoas comprometidas com a fé, unidas à vida da graça, àquela santidade e santificação promovida pela união com o Corpo de Cristo. Estes serão os indefectíveis na fé, que responderão à pergunta: “mas, quando vier o Filho do Homem, acaso achará fé sobre a terra?” (Lucas 18,8)

Fonte: https://padrepauloricardo.org/episodios/como-entender-que-a-igreja-nao-erra

Fani Pacheco, ex-BBB, nua na Playboy

Clique na foto abaixo para ver ela nua:

http://amamosmulherpelada.blogspot.com.br/2014/07/fani-pacheco-nua-na-playboy.html

Playboy - Capa: Jaqueline Faria, As Curvas Mais Afrodisíacas do Big Brother Brasil 11 - Edição Maio 2011

Clique na foto abaixo para ver ela nua:

Confira as fotos das Curvas Mais Afrodisíacas do Big Brother Brasil 11, Jaqueline Faria, capa da Playboy de maio de 2011!


Carol Nakamura nua na Revista Sexy


Clique na foto abaixo para ver ela nua:





sexta-feira, 18 de abril de 2014

Mulher (Stephany Ramos) faz apelo contra o feminismo e a desvalorização do homem

Mulher (Stephany Ramos) faz apelo contra o feminismo e a desvalorização do homem


Diário da Manhã
Marcelo Caixeta
Homens. 
Por favor, homens, não acreditem nessas mentiras geradas pelo ódio social feminista dizendo que vocês são culpados por tudo o que há de ruim mundo, e de que vocês são “estupradores em potencial”, “opressores” e “algozes”. Por favor.
O homem, biologicamente falando, nasce para proteger as mulheres e a família. Isso acontece até mesmo no reino animal. Desde os primórdios, na Idade da Pedra, os homens sempre se arriscaram e deram sua vida (deram a Vida!) para salvar sua família e a perpetuação da espécie humana. E não há como nem sequer imaginar-se quantos homens tiveram que morrer nas guerras para que hoje eu estivesse aqui, viva e livre, podendo dizer essas palavras. Eu posso dar a minha palavra de que nenhuma mulher daria sua vida para salvar sua geração, não digo pelos seus filhos,  e muito menos garantir o conforto de desconhecidos, colocando sua vida em risco na guerra. E isso não tem nada a ver com a construção social. Isso é meramente biológico. 
Esse ódio, essas mentiras, esse culto feminista, só tem deturpado a mentalidade e caráter masculinos. O feminismo está destruindo os princípios familiares, e tentando  fazer com que os homens  acreditem que a culpa disso acontecer é sua, homem! 
Homem que é pedófilo, que bate em mulher, estupra, pratica incesto,  não é simplesmente machista! Esse tipo de gente é covarde, e não há espaço para covardia no machismo! Esse tipo de pessoa é psicopata, tem problemas mentais sérios, e não precisa somente de tratamento, mas sim de uma punição exemplar!
A tal cultura do estupro, (esta que o Governo tentou mostrar), não existe! A sociedade não compactua e não incentiva esse tipo de comportamento! Até mesmo os traficantes, homicidas e os mais altos graus de "bandidagem" não admitem estupradores e pedófilos vivos!
Homens, vocês não são o gênero descartável da espécie humana! As mulheres (até mesmo as feministas ingratas) precisam de vocês para nos proteger. Nós nunca teríamos chegado até aqui se não fossem a luta de vocês, homens! 
Sou grata a Deus por ter lhes feito e colocado dentro de vocês a força, a coragem, o cuidado, a audácia. E sou ainda mais grata a Deus em saber que apesar de eu ter experimentado a amargura da falta de caráter humano, ainda tenho a convicção de que ambos os gêneros ainda me encantam e toda essa biologia e a ordem natural das coisas, me fascina.
Chega de guerra entre os sexos. A guerra nunca é a resposta e muito menos a solução!
Stephany Ramos. 
Sem comentários.
(Marcelo Caixeta, psiquiatra)
Fonte: http://www.dm.com.br/texto/173575-mulher-stephany-ramos-faz-apelo-contra-o-feminismo-e-a-desvalorizaaao-do-homem


quinta-feira, 17 de abril de 2014

Mercado do sexo: travestis disputam espaço com prostitutas

Houve uma época em que a única forma de ouvir música era comprando fitas K-7. Então, a tecnologia evoluiu e surgiu os CDs e agora o MP3. O que foi que aconteceu com as fábricas de fitas K-7? Todas elas faliram e fecharam. Houve uma época em que a única forma de se tirar fotos era através de máquinas fotográficas Kodak e nós tínhamos que comprar os caros filmes e depois mandar revelar as fotos no fotógrafo. Então, surgiram as câmeras fotográficas digitais, que dispensam o uso de filmes e a Kodak se tornou uma tecnologia obsoleta. A mesma obsolescência ocorreu com as fitas VHS e as videolocadoras, que foram substituídas pela tecnologia do DVD e agora até os DVDs estão sendo substituídos pela tecnologia da Netflix. Também houve uma época em que a única forma de se fazer sexo era com mulheres e os homens tinham que se sujeitar aos caprichos e exigências femininos para obter sexo das mulheres. Então, surgiram as travestis, que são mais bonitas e femininas do que qualquer mulher e proporcionam muito mais prazer sexual do que qualquer mulher seria capaz de proporcionar. Hoje em dia, assim como as fitas K-7 e os filmes fotográficos Kodak, as mulheres são uma tecnologia OBSOLETA e inútil. Nenhum homem hoje em dia precisa de mulher alguma para nada. Elas não ajudam os homens, não melhoram a vida dos homens em nada, pelo contrário, elas tudo fazem para tornar a vida dos homens um inferno e para escravizar-nos nas pensões alimentícias dos divórcios. A mulher moderna não presta nem para ter filhos, porque todas elas são umas abortistas psicopatas infanticidas que odeiam crianças e em breve, com a tecnologia do útero artificial e da clonagem, as mulheres não serão necessárias nem para perpetuar a raça humana. As travestis estão substituindo as mulheres em todas as áreas. Hoje em dia, os homens preferem procurar as travestis, ao invés de prostitutas mulheres. E isso é apenas o começo. As travestis já estão tirando o mercado das mulheres prostitutas. Tão logo o número de travestis aumente, elas vão começar a tirar o mercado das mulheres nos campos do namoro, do casamento e do sexo com os homens.
A mulher moderna está profundamente angustiada com as mudanças de papéis que o feminismo impôs a elas. Antigamente, as mulheres sabiam o seu lugar no mundo: elas tinham que ser donas de casa, amar os maridos e criar os filhos. O feminismo bagunçou tudo isso e a mulher moderna está profundamente confusa e angustiada, porque agora, se exige das mulheres que elas conquistem o seu lugar e o seu papel na sociedade e é profundamente angustiante tal responsabilidade. O que nós, anti-feministas devemos fazer é elevar essa ansiedade feminina e essa angústia ao mais alto grau, precisamos agora não só questionar o papel político e profissional das mulheres, mas nós precisamos até mesmo questionar o seu papel sexual e reprodutivo. Não se enganem, a mulher feminista moderna está sofrendo e está cheia de ansiedades com tudo isso. E nós não devemos ter dó delas, nós precisamos aumentar até o limite do intolerável a ansiedade e a angústia das mulheres, devemos fazer com que elas vejam que nós não precisamos delas nem para sexo, nem para o amor e nem para a reprodução. Por essa reviravolta, feminista nenhuma jamais esperou. Elas sempre acharam que os homens iriam depender das mulheres para sempre e que, portanto, o domínio feminazi na sociedade estaria assegurado e garantido para elas. Mas vejam só que foram elas mesmas que nos forçaram a buscar uma tecnologia que as tornassem obsoletas. O erro das feministas foi o mesmo erro dos trabalhadores alemães e japoneses que exigiram aumentos estratosféricos de salários. No começo, os industriais alemães e japoneses cederam à exigência dos trabalhadores e aumentaram os salários. Mas, ao mesmo tempo ordenaram aos seus engenheiros que buscassem alternativas tecnológicas para os trabalhadores, através da informática e da robótica. Hoje em dia, a maioria das fábricas na Alemanha e no Japão são inteiramente automatizadas e os produtos são fabricados por robôs, controlados por computadores. E os trabalhadores que exigiam altos salários? Foram demitidos, se tornaram obsoletos. E é isso que nós devemos fazer com a mulher moderna: nós devemos torná-las obsoletas para o sexo e para a procriação, pois, com isso, o poder delas sobre nós será anulado.









quarta-feira, 16 de abril de 2014

Taxista grava momento em que passageira tenta seduzi-lo antes de processá-lo por assédio

  Taxista grava momento em que passageira tenta seduzí-lo antes de processá-lo por assédio Homem se negou a cair nas tentações da mulher e usa gravação para se livrar de prisão. Um vídeo explícito entre um taxista e uma passageira está sendo usado em um julgamento de um caso de 2012. A mulher havia entrado com uma ação contra o homem alegando assédio por parte do motorista. O vídeo gravado por Hervey Farrel, de 39 anos em seu próprio taxi mostra que ele fora a vítima da questão. Jennifer Gaubert, de 33 anos, tentou por várias vezes seduzir o motorista enquanto ele a levava até sua casa. O caso ocorreu há dois anos. Durante a corrida, Farrel se nega a ter contato com a mulher e diz ter uma namorada. “Eu tenho uma namorada. Eu amo minha namorada. Sou fiel e dedicado e ela”, comenta. A gravação termina quando a mulher chega em casa e diz: “sua namorada é uma garota de sorte”. A situação, porém, não terminou aí. O advogado Gaubert, acusou o homem de mentir à polícia dizendo que o taxista chantageou e tocou a mulher. Farrel, de 39 anos, foi preso e passou 27 horas na cadeia como resultado das alegações do advogado. Gaubert afirma que o homem tentou extorquir a mulher pedindo US$ 60 mil para não divulgar o vídeo. Por fim, ele queria apenas US$ 1 mil. O Ministério Público do Distrito decidiu não apresentar acusações contra Farrel, e, em vez disso, prender Gaubert por supostas falsas alegações. Farrel também entrou com uma ação civil contra Gaubert. Leia mais em: http://www.techmestre.com/taxista-grava-momento-em-que-passageira-tenta-seduzi-lo-antes-de-processa-lo-por-assedio.html#ixzz2z4f05XsI

terça-feira, 15 de abril de 2014

Supremo indiano reconhece transexuais como "terceiro sexo"

Supremo indiano reconhece transexuais como "terceiro sexo"EFE – 7 horas atrás

Compartilhar

Índia reconhece existência do terceiro gêneroEstadão Conteúdo - 10 minutos atrás
Mais em Mundo »

Nova Délhi, 15 abr (EFE).- A Suprema Corte da Índia aprovou nesta terça-feira uma medida que reconhece os transexuais como um "terceiro sexo", ordenando o governo a reconhecê-los como tais nos documentos oficiais, informaram fontes judiciais citadas pelas agências locais.
"Os transexuais também são cidadãos deste país. É o direito de cada ser humano escolher seu gênero", disseram os juízes K. S. Radhakrishnan e A. K. Sikri durante a sentença.
O máximo organismo judicial indiano também pediu ao Executivo considerar os transexuais como um grupo "social e economicamente subdesenvolvido" e que reserve trabalho público e vagas em centros educativos para esses cidadãos.
"O espírito da Constituição é proporcionar oportunidades iguais a cada cidadão para que cresça e alcance seu potencial sem importar sua casta, religião ou gênero", explicaram os juízes durante a sentença.
Até o momento, os transexuais tinham de optar pela classificação "homem" ou "mulher" nos documentos oficiais, mas, após essa sentença do Supremo, o governo deverá emitir passaportes e carteiras de motorista que incluam o "terceiro gênero".
Além disso, a partir de agora, os transexuais também integram o sistema de "discriminação positiva" indiano, que, desde 1950, reserva postos de trabalho público e em universidades aos membros das castas baixas.
Na Índia, os transexuais enfrentam uma grande discriminação e, muitas vezes, não encontram oportunidades fora da prostituição, após serem rechaçados por suas famílias e sociedade.
A medida aprovada hoje também visa respaldar a tradição das "hijras", transexuais ou travestis que fazem parte de uma comunidade de cunho religioso.
Apesar do suposto avanço tido com essa decisão, o Supremo indiano declarou ilegais as relações homossexuais no último dia 11 de dezembro, quatro anos depois que o Tribunal Superior de Nova Délhi as legalizassem. EFE

Fonte: https://br.noticias.yahoo.com/supremo-indiano-reconhece-transexuais-terceiro-sexo-122118061.html


sábado, 12 de abril de 2014

Feminista Lola prefere deixar empregada doméstica desempregada do que ganhando salário minimo

A Feminista Lola é uma mulher tão boa e tão solidária com as empregadas domésticas, que ela defende no site dela demitir todas as empregadas domésticas, porque segundo a Lola, é melhor para aquelas mulheres não ganharem nada, do que ganharem pouco. Vejam logo abaixo o print que eu fiz provando a inenarrável solidariedade da Lolazilla com as empregadas domésticas:

Ou seja, a Lola diz que o trabalho de uma empregada doméstica não é algo "relevante" e, como ela não pode pagar bem, ela prefere não pagar NADA para aquelas mulheres

O PAÍS DOS ESTUPRADORES INVENTADO PELO IPEA NÃO EXISTE! ERA TUDO UM ERRO.


O PAÍS DOS ESTUPRADORES INVENTADO PELO IPEA NÃO EXISTE! ERA TUDO UM ERRO. QUEM SABE, AGORA, O INSTITUTO RESOLVA PENSAR O DESENVOLVIMENTO DO BRASIL!


Eu sinto muita vergonha do Ipea — e não é de hoje. Passei um pouco longe dessa história do estupro e da minissaia — e de toda a sociologice vagabunda, desinformada e rasteira que se erigiu a respeito — porque, sinceramente, há coisas que me aborrecem de tal maneira que, ao escrever sobre elas, sinto-me também algo diminuído. Agora, o instituto que foi pensado para pensar políticas estratégicas para o país vem a público para dizer que se enganou. Não!, diz a instituição, não são 65,1% os que concordam que uma saia curta justifica ataque às mulheres, mas apenas 26% — que, sei lá, deve ser mais ou menos o índice de suecos ou noruegueses que diriam o mesmo. Por que diabos o Ipea está preocupado com a minissaia e os impulsos libidinosos dos brasileiros, eis uma questão que ainda está para ser esclarecida.
Agora, sim, o número parece compatível com outros divulgados. Segundo a pesquisa (tomara que os números estejam certos), 91,4% concordam total (78,1%) ou parcialmente (13,3%) que homem que bate na própria mulher tem de ser preso. Nada menos de 70% discordam total (58,4%) ou parcialmente (11,6%) da tese de que mulher que é agredida e fica com o marido gosta de apanhar. Enormes 81,1% discordam total (69,8%) ou parcialmente (12,3%) da afirmação de que a mulher que apanha deve se calar para preservar os filhos.
Ora, esses são os números de um país moralmente civilizado — talvez até mais do que o seja, de fato. Estou entre aqueles que acham que as pessoas mentem um pouquinho quando respondem a uma pesquisa com vergonha do entrevistador; sabem qual é a metafísica influente. Mas não tenho dúvida de que a imensa maioria pensa realmente assim.
Ora, por que, então, no caso da minissaia, seria diferente? Para que 65,1% concordassem com aquela boçalidade, seria preciso contar com um expressivo assentimento das mulheres, certo? Dado que certamente não haveria 100% dos homens endossando a frase, milhões de mulheres estariam dizendo: “Sim, nós merecemos ser molestadas quando vestimos uma saia curta…”. Tenham paciência! Nem “as inimiga” de Valesca Popozuda “pensa” isso das “adversária”.
E agora? O que hão de fazer com toda a baixa sociologia que se produziu de um extremo a outro do espectro ideológico, a partir de uma informação obviamente errada. Estou furioso porque tinha enviado — achei que tinha — um e-mail a Mauro Paulino, do Datafolha, sugerindo que o instituto fizesse a mesma pesquisa. Por uma dessas fatalidades que impede a gente de passar por profeta (mesmo quando não é…), a coisa ficou no “rascunho”. Ali eu chutava: “Duvido que o resultado seja esse; é incompatível com os outros achados, e boa parcela das mulheres teria de concordar com esse absurdo”.
O diretor da Área Social do Ipea pediu exoneração. É pouco! Erro assim não é trivial. Qual foi a sua gênese? Como foi produzido? Não há revisão? Não se faz uma análise para saber se os dados são compatíveis? Não há mecanismos de controle — uma espécie de contraprova — para saber se os pesquisadores não manipulam dados? As outras pesquisas feitas pelo Ipea são conduzidas com o mesmo cuidado?
Então o país que, até havia pouco, era composto de uma maioria de potenciais estupradores passou a ser formado por uma maioria que, quando veem uma minissaia, logo pensam em penitência, em ajoelhar no milho e se punem moralmente ao menos por seus pensamentos lúbricos?
O pensamento brasileiro, na era das redes sociais, está sendo dominado por uma espécie de ente de razão composto por uma algaravia de ONGs um tanto histéricas. Os dados errados do Ipea vieram a público em meio ao movimento de caça-tarados do metrô. Também nesse caso, com milhões de passageiros sendo transportados todos os dias, alguns casos ganharam a dimensão de uma verdadeira síndrome. NÃO, EU NÃO ESTOU MINIMIZANDO NADA! QUE EXISTA UM VAGABUNDO OU UM DOENTE, SEI LÁ, QUE FAÇA ISSO, E SE DEVE TOMAR A DEVIDA PROVIDÊNCIA. Ocorre que a maximização de ocorrências esporádicas e a “pesquisa” estúpida do Ipea geraram uma falsa evidência sobre o comportamento dos brasileiros. CURIOSAMENTE, ESSA FALSA CONSCIÊNCIA COINCIDE COM OS PRECONCEITOS DE GRUPOS MILITANTES, DE SETORES MILITANTES DA IMPRENSA, DE INTELECTUAIS MILITANTES.
Não por acaso, lá foi Dilma, que agora dá “beijinho no ombro” no Facebbok, fazer proselitismo cretino no Twitter. Proliferaram as fotos “Eu não mereço ser estuprada”. No universo da linguagem e da comunicação, o interlocutor, o “outro” dessa declaração, era uma maioria de potenciais estupradores, inclusive… mulheres!!! Andei de metrô na terça-feira. Estava com uma pequena pasta. Cobri a pélvis, mas fazendo certa ginástica para manter o cotovelo num ângulo agudo; com a outra mão, tentava me equilibrar. Os trens estavam relativamente vazios. Fiquei pensando em como deve ser nas horas de pico; pensei no pânico dos inocentes. E me lembrei de uma entrevista de Bernardo Bertolucci à revista BRAVO!, há muitos anos, quando eu lá trabalhava: “O fascismo começa caçando tarados”.
Quem sabe o Ipea volte a se preocupar com questões relevantes para o desenvolvimento do Brasil! Aí aquele que adora ler o que não está escrito pergunta: “Essa questão não é relevante?”. É, sim. Para tanto, existem a Secretaria da Mulher, a de Direitos Humanos, o Ministério da Justiça — no limite, até o Ministério dos Transportes. O Ipea se ocupar disso é uma evidência óbvia de desvirtuamento e de falta de foco — justo no momento em que o comando da instituição se orgulha de ter criado a metafísica das “polícias sociais focadas”… Que nojinho eu tenho dessa conversa que tem uma patinha no neoliberalismo de manual e outra no neo-social-intervencionismo!!!
Em homenagem ao Ipea, um trecho da peça “Quem Tem Medo de Virgínia Woolf?”, do genial Edward Albee, em que a Martha, a bêbada sensata, alterca com Nick, o “cientista” babaca:
MARTHA – Ora, mocinho, você vive curvado em cima daquele seu microfone. . .
NICK - Microscópio.
MARTHA – É. . . E não vê coisa nenhuma, não é? Analisa tudo menos a maldita mente humana. Enxerga manchinhas e pontinhos, mas não sabe o que é que está acontecendo ao redor, não é verdade?
O certo seria pôr na rua a direção inteira da instituição. Por ofensa ao povo brasileiro!
Cambada de burros e irresponsáveis!

Por Reinaldo Azevedo

Fonte: http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/o-pais-dos-estupradores-inventado-pelo-ipea-nao-existe-era-tudo-um-erro-quem-sabe-agora-o-instituto-resolva-pensar-o-desenvolvimento-do-brasil/

O estupro de homens: Por que o sofrimento dos homens sempre fica ignorado?

Estupro e assassinato de homens são considerados irrelevantes

por Human-Stupidity.com
traduzido por Durga, do Fórum do Búfalo 
 


A imprensa denuncia o estupro sistemático de mulheres em zonas de guerra africanas, mas mantém o silêncio sobre a morte de ainda mais homens nessas mesmas zonas de guerra.
Quando os homens saem, eles estão mortos. As mulheres só são estupradas.
O sofrimento das mulheres é enfatizado, o sofrimento dos homens é ignorado: um mecanismo evolutivo?
As mulheres têm um talento especial para pintar-se como vítimas e envolver os homens como “cavaleiros brancos” para ajudá-los nessa empreitada. O nível de sofrimento ainda mais alto e os apuros dos homens fica ignorado. A ciêncoa suspeita que esta habilidade de manipulação é construída devido à evolução nos mecanismos que as mulheres aprenderam na guerra dos sexos, para contrabalançar a força física superior dos homens. É de notar que o fator limitante para o nascimento de crianças (e, portanto, aptidão inclusiva) é o número de ventres das mulheres, não o número de homens. Como Angry Harry coloca: os homens são dispensáveis.
As mulheres são sempre as vítimas. Em comícios, as mulheres “tomam de volta a noite” no campus de segurança, pedindo segurança para as mulheres, não importa o quanto elas fiquem bêbadas. Ninguém menciona que, estatisticamente, os homens são mais frequentemente vítimas de violência e de homicídios. As mulheres enfatizam a cultura do estupro , re-definindo o estupro para incluir transgressões como o estupro de 5 segundos  (parar imediatamente o sexo consensual).
Mulheres, com a ajuda dos homens, conseguem sensibilizar o público sobre o estupro, ignorando o estupro na prisão. O estupro na prisão é extremamente violento, e muitas vezes envolve anos de escravidão sexual e estupro repetido. Presos que “concordam” com anos de sexo para evitar a violência nem sequer contam como vítimas de estupro.
Um trecho do novo livro Amando Homens, respeitando mulheres: O Futuro da Política de Gênero:
“Quando os homens saem, eles estão mortos. As mulheres só são estupradas. “




Um caso em questão é fornecido em um editorial de Nicholas D. Kristof, publicado 5 de junho de 2005 no New York Times sob o título: “Uma política de estupro” diz Kristof, ” Mais de dois anos após começo do genocídio em Darfur , as mulheres do campo de Kalma, um acampamento de refugiados repleto de 110 mil pessoas expulsas de suas aldeias incendiadas – ainda enfrentam o risco de estupro a cada dia quando elas saem à procura de lenha.” Agora, é claro, isso é uma abominação que exige atenção. Também é uma abominação que recebe atenção. A minha preocupação com este artigo vem do que está faltando, pelo menos até o fim. “Eu ainda estou arrepiado com a explicação prosaica que recebi a respeito de porque são as mulheres que recolhem lenha, mesmo que elas sejam as únicas que são estupradas”, diz Kristof. “‘É simples,” uma mulher aqui explicando. “Quando os homens saem, eles estão mortos. As mulheres só são estupradas. “
(Reportagem da Al Jazeera) – Por dentro da história – as vítimas silenciosas de estupro
As Nações Unidas, mesmo em resoluções do Conselho de Segurança, excluem explicitamente homens e meninos quando eles falam sobre a violência sexual contra mulheres e meninas. O porta-vozes das Nações Unidas se empurravam para fora do tópico, distraindo, mas não reconhecendo o viés das Nações Unidas contra vítimas do sexo masculino.
O vídeo acima foca no estupro masculino. Ele ainda ignora outros tipos de violência que é seletivamente anti-masculino. Menciona que 20% dos combatentes do sexo masculino foram estuprados, contra 30% das mulheres. Não menciona quantos homens foram mortos, nem que provavelmente não são muitos combatentes do sexo feminino.
Bem, isso muda as informações um pouco, não é? Então, por que então não poderia ser este editorial intitulado “Uma Política de Assassinato”? Porque é que toda a ênfase no estupro de mulheres e nenhuma ênfase sobre o assassinato de homens? Por que essa revelação foi jogada fora como um slogan no final do artigo e oferecido apenas como “uma indicação de quão estamos falhando com povo de Darfur”, e não como uma indicação de quão estamos falhando para dirigir igual compaixão e atenção para as atrocidades infligidas aos homens?
“Esta política de estupro floresce apenas porque ele é ignorado”, enquanto a morte dos homens simplesmente não importa.
Adam Jones, autor / editor de “Generocídio e Genocídio” (2004), estudou estas questões em profundidade. Genocídio pode ser definido como a tentativa de exterminar uma determinada população. Generocídio é o assassinato seletivo em massa de um gênero. Como Jones deixa claro, o gênero de escolha para o extermínio é quase sempre do sexo masculino. Em parte, os machos são selecionados porque os homens são mais facilmente assumidos como uma ameaça, mas também porque os homens podem ser abatidos sem sobrecarregar os proprietários dos matadouros de culpa e trauma. Além disso, você pode abater machos e provocar apenas indignação mundial mínima. Na verdade, a mídia vai se concentrar principalmente em dificuldades enfrentadas pelas mulheres privadas dos homens. [...]
“Um dos melhores indicadores da especial vulnerabilidade de homens e meninos é a freqüência com que parentes e amigos procuravam disfarçá-los com roupas de mulher”, afirma Jones. “O relatório Direitos Africanos ‘Death Despair, e Defiance” cita uma série de exemplos de tais procedimentos, que são uma reminiscência de práticas similares seguido nos conflitos da Bósnia e Kosovo da década de 1990 “. [5] É evidente que, se as mulheres eram especialmente visadas, homens não estariam vestindo roupas femininas. No entanto, como a reação da mídia para as atrocidades de Ruanda deixa claro, as mulheres serão apresentados como vítimas quase não importa qual seja a verdade – Fonte
fonte: http://www.inmalafide.com/blog/2012/02/01/rape-and-murder-of-males-deemed-irrelevant/

Fonte: http://canal.bufalo.info/2012/06/estupro-e-assassinato-de-homens-sao-considerados-irrelevantes/

ShareThis

Veja também

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...